Total de visualizações de página

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Quem sai a ganhar com o aumento da dedução por filho?

De que forma as alterações para 600 euros de dedução fixa por filho no IRS se refletirão na sua carteira? Depende do rendimento mensal que auferir, sendo certo que a mudança obrigará à criação de novas tabelas de retenção na fonte.

O ministro das Finanças anunciou ontem que a dedução fixa por filho em sede de IRS passará, afinal, a ser de 600 euros, ou seja, mais 50 euros do que o inicialmente previsto no Orçamento do Estado para 2016, ontem aprovado na generalidade, na Assembleia da República.
Ora, a medida implicará a criação de novas tabelas de retenção na fonte, confirmou oNotícias ao Minuto junto de fonte oficial do Ministério das Finanças, que adiantou ainda que as mesmas começarão a ser aplicadas "no primeiro mês posterior à entrada em vigor do Orçamento do Estado".
“Mais justo e vantajoso” foram os adjetivos empregues por Mário Centeno para qualificar o novo sistema, neutro do ponto de vista orçamental, que dita a morte já anunciada do quociente familiar implementado pelo governo de Passos Coelho. 
Mas de que forma estas alterações se refletirão na sua carteira? Depende do rendimento mensal que auferir. Os grandes beneficiados serão os contribuintes que não ultrapassem a fasquia dos 2.000 euros de salário por mês.
Vejamos algumas simulações levadas a cabo pela Deloitte.
Um solteiro com um filho
Um solteiro com um filho, e que tenha um salário mensal de 1.000 euros, tem este ano uma poupança de 61 euros em IRS face ao ano de 2015, considerando também a redução da sobretaxa, correspondendo a uma redução da carga fiscal de 5,74%.
Caso o salário mensal seja de 2.000 euros, o contribuinte paga menos 240 euros. Neste caso, a redução da carga fiscal é de 4,12%. Já no caso daqueles que têm um salário mensal de 4.000 euros, a poupança em sede de IRS, considerando as novas regras, é de 178 euros, correspondente a uma redução da carga fiscal de 1,05%.
Por fim, para um salário mensal de 8.000 euros, o cenário é o oposto, uma vez que há um agravamento da carga fiscal de 0,08%, ou seja, o contribuinte paga este ano mais 33 euros face ao ano passado.
Um casal com dois dependentes e opção de tributação conjunta
Um casal com um rendimento mensal de 1.000 euros poupa este ano perto de 285 euros em IRS face a 2015, uma vez que terá uma redução de 100% da carga fiscal este ano, não tendo por isso de pagar nada.
Já um casal com um rendimento mensal de 2.000 euros vai pagar menos 121 euros de IRS face ao ano passado, ou seja, menos 5,74%. Se o rendimento bruto do casal for de 4.000 euros, neste caso haverá um aumento de 0,64%, tendo este casal de pagar mais 71 euros face a 2015.
Por último, um casal com um rendimento bruto mensal de 8.000 euros vai pagar este ano mais 192 euros face a 2015, com um agravamento de 0,57% no IRS face ao ano passado.
Fonte: NM


Nenhum comentário: