Total de visualizações de página

sábado, 31 de outubro de 2015

Este avião poderá levá-lo a QUALQUER LUGAR DO PLANETA em 4 horas

aviao quatro horas
A empresa britânica Reaction Engines Limited está trabalhando em um sistema de motor que vai ser capaz de levar 300 passageiros a qualquer lugar do mundo em apenas quatro horas.
Ainda mais impressionante, o mesmo motor pode também ser utilizado para pilotar um avião no espaço.

Sistema inovador

O sistema de motor se chama SABRE, e é baseado em um dispositivo nomeado “precooler” (algo como “pré-arrefecedor”), uma tecnologia capaz de resfriar o ar que entra no motor por mais de 1.000 graus Celsius em 0,01 segundo.
Isso corresponde a uma inédita taxa de 400 megawatts de refrigeração, o que permite que o avião “respire” oxigênio. Em outras palavras, significa que o sistema pode funcionar a uma potência muito maior do que atualmente é possível.
aviao quatro horas3
O sistema pré-arrefecedor pesa cerca de uma tonelada é constituído por uma espiral de tubos finos cheios de hélio condensado. Estes tubos sugam o calor do ar, resfriando-os a menos 150 graus Celsius antes da sua entrada no motor.
O SABRE será utilizado em dois modelos de avião – no LAPCAT A2, um avião comercial capaz de transportar passageiros de Bruxelas a Sydney em “duas a quatro horas”, e no ambicioso SKYLON, um avião não tripulado que visa proporcionar um acesso mais barato ao espaço.
aviao quatro horas2
Segundo o engenheiro-chefe Alan Bond, o LAPCAT A2 será capaz de voar “muito facilmente” ao redor do mundo a cinco vezes a velocidade do som.

No espaço

SKYLON, o avião que nos levará para o espaço exterior, terá 82 metros de comprimento e, embora vá voar como um foguete, decolará e pousará horizontalmente como um avião normal, o que o tornará mais versátil. O modelo está orçado em cerca de US$ 1,1 bilhões (cerca de R$ 2,95 bi).
aviao quatro horas4
Infelizmente, ele não terá quaisquer janelas, mas se a nova tendência da aviação pegar – alguns projetos pretendem colocar câmeras do lado de fora dos veículos e mostrar em telas enormes uma visão de 360 graus do exterior ao vivo –, isso não será um problema.
A Reaction Engines Limited já está avaliando a eficácia do SABRE, e planeja os primeiros voos de teste para 2019. 
Fonte: hypescience

Físicos demonstram versão quântica do Hotel de Hilbert

hilberthotel
Em 1924, o matemático David Hilbert propôs a ideia de um hotel com um número infinito de quartos que estão todos ocupados. Para demonstrar a natureza contra-intuitiva da ideia de infinito, ele demonstrou que o hotel, mesmo estando completamente ocupado, ainda poderia acomodar hóspedes. Embora não na forma de um hotel de verdade, feito de tijolo e cimento, o físico Václav Potoček, junto com sua equipe, mostrou, em um novo estudo, uma versão quântica de um hotel de Hilbert usando um feixe de luz.
No experimento de Hilbert, ele explicou que quartos novos poderiam ser criados em um hotel que já tem um número infinito de quartos porque o gerente do hotel poderia simplesmente “mudar” todos os convidados atuais para um novo quarto de acordo com alguma regra, como mover todos os hóspedes para um quarto com número acima do que eles estão (deixando o primeiro quarto vazio) ou mover todos para um quarto duas vezes acima (para criar um número infinito de quartos vazios, deixando os quartos ímpares vazio).
Em seu artigo, os físicos propuseram duas maneiras de modelar esse fenômeno, uma teórica e uma experimental, sendo que ambas usam o número infinito de estados quânticos de um sistema quântico para representar o infinito número de quartos em um hotel. A proposta teórica usa o número infinito de níveis de energia de uma partícula em um sistema quântico conhecido como poço de potencial, enquanto a demonstração experimental usa o número infinito de estados de momento angular orbital da luz.

Nó quântico no cérebro

Os cientistas mostraram que, mesmo que não haja inicialmente um número infinito desses estados (salas), a amplitude dos estados (números de quartos) pode ser remapeada para o dobro dos valores originais, produzindo um número infinito de outros estados. Por um lado, o fenômeno é contra-intuitivo: dobrando um número infinito de coisas, você tem infinitamente muito mais coisas. E mesmo assim, como os físicos explicam, ainda faz sentido, porque a soma dos valores de um número infinito de coisas podem na verdade ser finita.
“Mesmo que haja uma quantidade infinita de ‘algo’, pode fazer sentido físico que as coisas que podemos medir ainda sejam finitas”, explica (ou tenta) o co-autor Filippo Miatto, da Universidade de Waterloo e da Universidade de Ottawa, no Canadá. “Por exemplo, um estado coerente de um modelo de laser é feito com um número infinito de estados, mas conforme o número de fotons em cada um dos estados aumenta, as amplitudes diminuem. Assim, no final das contas a energia total é finita. O mesmo pode acontecer para todas as outras propriedades quânticas, então não é uma coisa de se estranhar para olhos treinados”.

Aplicação prática

Os físicos também mostraram que o remapeamento pode ser feito não só através da duplicação, mas também triplicando, quadruplicando, etc., os valores dos estados. No experimento do laser, estes procedimentos produzem “pétalas” de luz visíveis, que correspondem ao número dos estados que foram multiplicados.
A capacidade de mapear novamente os estados de energia deste modo poderia ter aplicações no processamento de informações clássico ou quântico, onde, por exemplo, poderia ser utilizada para aumentar o número de estados produzidos ou para aumentar a capacidade de informação de um canal.
Fonte: hypescience

Semana da Língua Portuguesa inclui exposição de 'selfies'

Uma exposição de autorretratos ('selfies') é um dos destaques da Semana da Língua Portuguesa da Universidade de Toronto, que decorrerá entre 02 e 09 de novembro, disse à agência Lusa fonte da organização.


"Hoje em dia todos os alunos gostam de tirar 'selfies'. Estamos a falar de algumas centenas de alunos. Pensei que seria uma boa atividade porque às vezes temos muitas dificuldades em conhecer os alunos, pois são muitos", disse a professora Manuela Marujo.


A exposição de 'selfies' pode ser visitada durante o evento, no Victoria College daquela instituição de ensino.
A diretora associada do Departamento de Espanhol e Português da Universidade de Toronto, que organiza a Semana da Língua Portuguesa, salientou ainda que as novas tecnologias disponíveis nos 'smartphones' tornam cada vez mais fácil e corrente "tirar um retrato".
"É difícil fazê-lo com um símbolo lusófono, mas temos algumas coisas engraçadas. Acho que vai ser uma novidade, e todos os que passarem por ali vão aprender algo sobre a nossa cultura lusófona", acrescentou.
O Departamento de Espanhol e Português da universidade quer ser "abrangente", reconhecendo que a língua portuguesa "pertence a muitas outras pessoas de vários países", símbolos da lusofonia que podem ser os "cabo-verdianos, timorenses e doutros países que adotaram o português como língua oficial".
Manuela Marujo realçou ainda que a universidade pretende transmitir ao público em geral a mensagem da "importância e do potencial económico" da língua portuguesa.
"Muitos alunos da Universidade de Toronto vão aprender português sem ter qualquer ligação com a lusofonia. Eles são de muitas e diferentes heranças culturais e vão aprender português porque compreendem que vai ser uma língua que os vai ajudar no futuro", frisou.
Atualmente, os cursos do português são frequentados por 150 alunos, e cerca de metade não tem ligações à lusofonia, provindo de países como a Coreia do Sul, Vietname, China ou Itália.
Neste ano letivo estreou um novo curso de português para falantes de espanhol, que Manuel Marujo disse ser "muito frequentado", porque muitos alunos, como já falam línguas como a italiana, francesa ou espanhola, consideram que o português "vai ser uma disciplina mais acessível para eles".
"Isso para nós é muito vantajoso porque atrai esse tipo de alunos que compreendem bem como se aprendem as línguas. Quando mais línguas soubermos mais ricos ficamos e mais facilidades de emprego um dia terão", concluiu.
Além da exposição de 'selfies', a 12.ª Semana da Língua Portuguesa terá diversas iniciativas em vários locais de Toronto, que vão desde debates, seminários, cinema, atividades de rua e gastronomia.
No primeiro dia do evento, será entregue a um estudante da universidade o Prémio Pedro da Silva, numa parceria entre a Caixa Geral de Depósitos e aquela instituição de ensino.
Fonte: NM

Sporting de Braga goleia Belenenses e já é terceiro

Hassan, Ricardo Ferreira, Stojljkovic e Rafa marcaram os golos que resultaram na goleada por 4-0 do Sporting de Braga frente ao Belenenses.



O Sporting de Braga recebeu e goleou hoje o Belenenses por 4-0, em jogo da nona jornada da I Liga de futebol, e ascendeu à terceira posição da prova.

Depois de ter chegado ao intervalo a vencer por 1-0, com um tento do egípcio Hassan, aos 39 minutos, os 'arsenalistas' não deram hipóteses na etapa complementar, ampliando a contagem com golos de Ricardo Ferreira (59), Stojljkovic (63) e Rafa (73).
O triunfo permite ao Braga ascender provisoriamente ao terceiro lugar com 17 pontos, enquanto o Belenenses é 10.º com 10.
Fonte: NM

Parlamento grego aprova lei sobre recapitalização da banca

O Parlamento grego aprovou hoje por maioria a lei sobre a recapitalização da banca, que atribui ao Fundo Helénico de Estabilidade Financeira (FHEF) um papel mais ativo nos bancos que tenham sido capitalizados com ajuda deste fundo de resgate.



A lei, que contou com o apoio de todos os partidos pró-europeus e com os votos contra dos comunistas e dos neonazis, foi aprovada umas horas depois de o Banco Central Europeu (BCE) ter dado a conhecer os testes de solidez da banca grega.

O BCE anunciou hoje que os quatro maiores bancos gregos precisarão de 14,4 mil milhões de euros se a economia enfrentar os piores cenários.
No que concerne aos quatro bancos - Alpha Bank, Eurobank, NBG e Piraeus Bank -, o banco central considera que as administrações deverão submeter um plano até 06 de novembro explicando como tencionam preencher o 'buraco' de capital.
Os testes à saúde financeira dos bancos gregos, conhecidos como uma "avaliação global", realizada pelo departamento de supervisão bancária do BCE, identificou uma falta de capital de 4,4 mil milhões de euros no âmbito de um cenário de referência e 14,4 mil milhões de euros num cenário adverso, disse a instituição europeia em comunicado.
O exame aos bancos gregos, também denominados 'stress tests', compreende uma avaliação da qualidade dos ativos e um teste prospetivo destinado a avaliar "as necessidades de recapitalização específicas dos bancos individuais" sob programa de ajustamento económico atual da Grécia, indica o comunicado.
A nova lei hoje aprovada prevê que o FHEF tenha um representante no conselho de administração de cada um dos bancos que ajudou a recapitalizar.
Este representante terá direito a pedir a convocatória do conselho de administração e da assembleia geral de acionistas e será necessário contar com a sua aprovação para a nomeação do diretor responsável pela gestão financeira do banco. Terá ainda direito de veto sobre uma série de decisões, como a distribuição de dividendos, o pagamento de subsídios aos executivos, a estratégia do banco ou a gestão dos ativos e dos passivos.
A lei estipula igualmente que o preço das ações à disposição dos investidores privados "não pode ser inferior ao preço das ações que receberá o FHEF" em troca da sua contribuição para o aumento de capital do banco.
Fonte: NM

Novo tipo de insegurança urbana requer novo tipo de resposta

Grupos extremistas como o Estado Islâmico e o Boko Haram, que recrutam jovens noutros países, criando um novo tipo de insegurança, a insegurança urbana, exigem dos Estados novos tipos de respostas, defenderam analistas internacionais na conferência Diálogos Atlânticos, em Marraquexe.



Os especialistas falavam num painel intitulado "O Futuro da Segurança", no âmbito da 4.ª edição do encontro organizado pelo German Marshall Fund dos Estados Unidos (GMF) e pelo grupo OCP Policy Center, que reúne representantes de todos os países com costa Atlântica e decorre até domingo na histórica cidade marroquina.

A embaixadora de Marrocos Assia Bensalah Alaoui sustentou que, enquanto modelo, "a NATO está falida e está a tentar comunicar melhor com a opinião pública para que os países contribuam mais para o seu orçamento de defesa".
"[A Aliança Atlântica] não está paralisada, aprendeu lições com algumas anteriores intervenções desastrosas, como a da Líbia - por isso, está a fazer exercícios militares gigantescos, com 35.000 pessoas, e navios e aviação, mas precisa de refletir sobre como conseguir financiar-se", afirmou.
"A NATO tem um grande potencial de conhecimento e meios que não sabe como usar legitimamente", observou.
Por sua vez, a enviada especial do Presidente do Senegal, Aminata Touré, defendeu que "se não há um plano, é melhor arranjar um antes de intervir, derrubar um ditador e semear o caos", como considera que aconteceu no Afeganistão, no Iraque, na Líbia.
"Se estamos a falar de combater o terrorismo, primeiro temos de impedi-lo", defendeu, vincando que "a pessoa mais perigosa é aquela que não tem nada a perder".
"Foi isso que aconteceu a muita gente em África, é gente que não tem perspetivas, gente que perdeu o futuro", referiu, mas na Europa, e um pouco por todo o mundo, está a acontecer o mesmo.
A solução passa, segundo a responsável senegalesa, por "apelar para a solidariedade internacional, para que em todos esses países as pessoas tenham alguma coisa a que aspirar".
"Os jovens são centrais nesta equação, e o emprego parece ser a questão fulcral aqui, mas não há nenhuma instituição internacional para tratar disso", comentou.
Para o advogado norte-americano Gregory Craig, ativista contra a guerra no Vietname, conselheiro do senador Edward Kennedy e do atual Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para se conseguir lidar com o desafio das pessoas já recrutadas pelos grupos 'jihadistas', "uma das prioridades deveria ser educar as populações sobre o que se passa e como podem reagir".
"Não cabe só aos governos travar esta luta, cabe aos indivíduos também", sustentou.
A embaixadora marroquina apontou como causas deste novo tipo de insegurança "o extremismo, o fundamentalismo, mas também uma frustração relacionada com uma raiva antiga, do colonialismo, da pobreza, da discriminação, da exclusão".
Assim, prosseguiu, surgiram "muitos atores políticos que não são Estados: os Indignados, o Podemos, o Occupy Wall Street".
O embaixador francês Jean-David Levitte, que presidia ao Conselho de Segurança da ONU na altura dos atentados de 11 de Setembro, indicou uma diferença de fundo entre "a organização terrorista Al-Qaida, que não recrutava jovens no estrangeiro e que queria destruir, e, por exemplo, o grupo 'jihadista' Estado Islâmico, que finge que quer construir - um califado - e que, dessa forma, recruta os jovens ocidentais".
"Devemos colocar novamente sob protetorado países onde falhámos, países falhados, como a Líbia, o Afeganistão? A minha resposta é sim. Foi o que se fez no Camboja", argumentou.
Gregory Craig concluiu que "seja um problema de gente rica, instruída e zangada ou pobre, desempregada e zangada, o que é certo é que, por exemplo, os Estados Unidos não estão preparados para lidar com esta situação".
"É fácil ocupar e destruir; Difícil é defender e construir", rematou.
No início da sessão, para lançar o debate, a organização fez uma pequena sondagem à audiência, também ela composta por peritos nas áreas em discussão, à qual se respondia por meio de uma aplicação instalada num telemóvel distribuído a todos os convidados.
"Qual deveria ser a principal estratégia para impedir a eclosão de conflitos no futuro?", era a pergunta. A resposta com mais votos foi "Promover o emprego e a educação", a uma larga distância das restantes: "Reforçar as comunidades e as famílias; Melhorar o desempenho policial e a capacidade de resposta militar; Melhorar a eficácia dos serviços de informações"
Fonte: NM

Hackers conseguiram acesso a quase duas mil contas Vodafone

Caso aconteceu no Reino Unido.



Piratas informáticos terão conseguido aceder a 1.827 contas de utilizadores da Vodafone no Reino Unido, adianta a Sky News.

A empresa garante que os hackers não conseguem ter acesso direto a contas bancárias, mas alerta para o risco de fraudes, recorrendo, por exemplo, a esquemas de ‘phishing’, em que um utilizador se depara com um site que parece o oficial mas que, na verdade, serve para os criminosos recolherem informações.
A Vodafone adianta ainda que a tentativa de aceder a informações das contas bancárias de clientes ocorreu entre a meia-noite de quarta-feira e o meio-dia de quinta-feira.
A gigante das telecomunicações já lançou a sua própria investigação enquanto as autoridades britânicas já estão atentas ao caso.
Este ataque surge poucos dias após ter sido noticiado um ataque informático a uma outra operadora, no caso a TalkTalk.
Fonte: NM

Portugal é um dos países menos violentos do mundo, diz índice

Portugal surge no 11º lugar entre 162 países.



O relatório anual do Instituto para a Economia e Paz coloca Portugal em 11º no que aos países menos violentos diz respeito.

Em causa está o The Global Peace Index deste ano, um índice atualizado todos os anos que recorre a 23 parâmetros para avaliar se um país é mais ou menos violento.
ranking do IEP está online e mostra Portugal a apenas um lugar de um top 10 que é maioritariamente composto por países europeus.
A Islândia surge em primeiro lugar num ranking em que o país de expressão portuguesa pior posicionado é a Guiné-Bissau, que surge no 120º lugar.
A Síria é o país mais violento do mundo, o Iraque surge no penúltimo lugar, o Afeganistão no antepenúltimo e o Sudão do Sul no 159º lugar.
Destaque ainda para o facto de o Brasil não entrar no top 100 de países mais pacíficos (está em 103ª). Os Estados Unidos estão no 94º lugar, pior do que Angola (88º) e Moçambique (80º).
Fonte: NM

Em vez de folgar, 509 portugueses vão para a prisão

Os condenados a este regime são todos reincidentes, muitos não contam aos colegas de trabalho onde passam os dias de descanso.



Está a aumentar o número de pessoas a cumprir um regime de prisão por dias livres. Atualmente são 509 os portugueses que passam o fim de semana na prisão.

Segundo dados da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, consultados pelo Expresso, no ano passado havia menos 39 condenados a cumprir pena em dias de folga.
A maioria são homens, com idades entre 30 a 49 anos. Durante a semana de trabalho estão em casa, mas nos dias de descanso vão para a prisão, de onde saem domingo à noite ou segunda-feira de manhã para uma nova semana de trabalho.
Este regime é aplicado a penas inferiores um ano quando não podem ser substituídas por multa ou prestação de trabalho comunitário, nos casos em que este tipo de sanção já havia sido aplicado e o condenado voltou a cometer o mesmo crime.
Os crimes na estrada, como condução sob efeito de de álcool ou sem carta, motivam 75% das condenações, mas também há casos de desobediência às autoridades, pequenos roubos, ofensas à integridade física ou ameaças.
No máximo, o arguido pode ser condenado a 72 fins de semana com uma duração mínima de 32 horas e máxima de 48 horas.
Fonte: NM

Avião russo com 224 pessoas a bordo despenha-se no Egito

O avião terá perdido o contacto com a torre de controlo 23 minutos depois de ter levantado voo, mas não há indícios de que tenha sido abatido.



Um avião russo com 224 pessoas a bordo despenhou-se hoje na península do Sinai, Egito, após descolar da localidade turística de Sharm El Sheikh, anunciou hoje o gabinete do primeiro-ministro egípcio, Ismail Sharif, em comunicado.

Um alto funcionário da autoridade de controlo do espaço aéreo disse à Agência France Presse que a comunicação foi perdida quando o avião sobrevoava o norte da Península do Sinai, 23 minutos depois da descolagem.
"Desde então, não voltou a haver contacto. Desapareceu dos radares", disseram as autoridades aeroportuárias à agência russa Interfax.
Segundo fontes da aviação civil do Egito, seguiam a bordo do avião da companhia russa Kogalymavia, conhecido como Metroje, 217 passageiros e sete tripulantes.
Um dos membros da equipa de buscas, citado pela Reuters, esteve no local e diz que o aparelho está “completamente destruído. Provavelmente todos a bordo morreram”.
"Aviões militares descobriram os destroços do avião (...) numa área montanhosa, tendo sido deslocadas para o local 45 ambulâncias para resgatar mortos e feridos", informa o comunicado do gabinete do primeiro-ministro egípcio.
Segundo as forças de segurança egípcias não há indícios de que o avião tenha sido abatido.
O avião, que realizava o voo 9268, descolou esta manhã da localidade egípcia de Sharm el Sheikh, um dos destinos favoritos dos turistas russos.
De acordo com fontes da embaixada russa no Egito, todos os passageiros a bordo do avião são cidadãos russos, incluindo 17 crianças e sete membros da tripulação.
Aparentemente, segundo informação da agência de notícias RIA Novosti, o avião perdeu altitude abruptamente logo após a descolagem e o piloto terá pedido permissão à torre de controlo para realizar uma aterragem de emergência no Cairo.
O avião tinha como destino o aeroporto de Pulkovo, na cidade russa de São Petersburgo, onde deveria aterrar um pouco depois do meio-dia.
Fonte: NM

Carta forjada pode provar encobrimento de pagamentos a Sócrates

O Ministério Público acredita que uma carta encontrada nas buscas da Operação Marquês foi enviada de Carlos Santos Silva para si mesmo.



Uma carta dirigida a Carlos Santos Silva está a ser considerada pelo Ministério Público uma prova de que o Grupo Lena financiou um salário extra de 12.500 euros mensais a José Sócrates.

Segundo o Expresso, acredita-se que esta carta terá sido forjada para camuflar o alegado esquema de corrupção e branqueamento de capitais entre o Grupo Lena e o ex-primeiro-ministro arguido na Operação Marquês.
A missiva data de 12 de junho de 2014 e está redigida em francês. Ao “monsieur” Carlos Santos Silva era enviado um “relatório técnico sobre os projetos das unidades hospitalares” a ser construídas por uma outra empresa na Argélia.
O remetente era a empresa Intelegent Life Solutions (ILS) e o destinatário o amigo de longa data de Sócrates na qualidade de administrador da empresa Managements & Investments (XMI).
O ministério Público defende que o Grupo Lena contratou a ILS, que por sua vez contratou a XMI, alegando um pedido de consultadoria para a obra, apenas para canalizar dinheiro para Lalanda de Castro e financiar José Sócrates.
A XLM pagou mesmo 250 mil euros pelo serviço da ILS, mas a empresa de Lalanda e Castro, mas esta não terá feito trabalho nenhum.
Acontece que esta carta foi enviada previamente pelo diretor geral da XMI a Carlos Santos Silva por e-mail. “Veja lá se está ok”, dizia o recado. O próprio Carlos Santos Silva pediu depois à mulher, também por e-mail, que imprimisse a carta.
Ou seja, em nome da empresa ILS, a empresa cliente XMI terá redigido uma carta e depois enviou-a para si mesma. 
Fonte: NM

Ronaldo de saída: má fase do 'United' facilita mudança para clube milionário

Autor da biografia do internacional português garante que este já está a preparar a sua saída de Madrid e colocar dois clubes na sua rota.



Depois de ter sido anunciado o possível regresso à Liga Inglesa, renascem agora os rumores sobre uma possível mudança de Cristiano Ronaldo para a liga francesa e para o PSG em particular, dá conta o Talksport.

Guillem Balague, especialista desportivo espanhol que escreveu recentemente uma biografia de Cristiano Ronaldo, assegura que o luso está a preparar-se para deixar o Santiago Bernabéu no próximo verão.
Balague garante que o PSG é o destino mais provável, embora este gostasse muito de regressar à sua antiga casa não se vê novamente em Manchester.
“Ele está pronto para deixar o Real Madrid. A estratégia está a ser preparada pelos responsáveis pela sua carreira para sair este verão, se houver dinheiro e o PSG estiver disposto a pagar e o Real Madrid sentir que é a altura certa para o deixar sair”, começou por revelar.
O especialista em desporto confessou que este idolatra o Manchester United, mas o atual momento dos ingleses poderá inviabilizar o seu regresso á Premier League.
“Ele idolatra o Manchester United. Os fans, a atomosfera e o clube, mas o clube está agora num momento diferente [de quando este assinou pelos ‘red devils’]. Mas porque razão haveriam de gastar 125 milhões de libras (174 milhões de euros), além de pagar 20 milhões milhões (27 milhões de euros) por ano? Porque fariam isso nesta fase?”, atirou depois.
“O PSG está disposto a pagar por ele, ele está feliz por poder seguir em frente quande sentir que é o momento certo, mas lembrem-se do que aconteceu no Manchester United, de onde ele quis sair um ano antes. Portanto, se não for neste verão, será no próximo”, concluiu depois.
Fonte: NM

Este Inverno pode voar na Ryanair por menos de 10 euros

A campanha promocional inclui 16 voos com partida ou destino em Portugal, mas terá de reservar até segunda-feira.



Uma nova promoção da Ryanair está a oferecer voos a um “preço único” de 9,99€ para quem estiver a planear uma viagem de Inverno.

Se quiser ocupar um dos 500 mil lugares em voos na Europa e Marrocos terá de ser rápido: a campanha só está disponível para reservas efetuadas até à meia-noite de segunda-feira, dia 2 de novembro.
Entre os mais de 300 voos disponíveis na promoção da low cost irlandesa é possível viajar entre 1 de novembro e 29 de fevereiro de 2016, sendo obrigatório fazer uma compra com 14 dias de antecedência. A campanha promocional inclui 16 voos com partida ou destino em Portugal.
Entre as ligações aéreas disponíveis nesta campanha há apenas cinco com partida de aeroportos portugueses: Lisboa-Porto; Lisboa-Ponta Delgada; Lisboa-Marselha; Faro-Porto e Porto-Ponta Delgada.
A promoção integra ainda dois voos com destino à capital: Paris-Lisboa; Lisboa-Bruxelas e nove partem de Madrid, Barcelona, Paris, Marselha, Hamburgo, Bordéus, Frankfurt, Bruxelas e Dusseldorf Weeze para chegar ao Porto.
Fonte: NM

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

10 exemplos incríveis do que a arquitetura hipotética poderia fazer

Imagine que você estivesse desenhando a cidade do futuro. Como ela seria?
A maioria de nós provavelmente estaria satisfeito desenhando alguns carros voadores e talvez um hoverboard de “De Volta para o Futuro”, mas a maioria de nós não é arquiteto, certo? Ao longo dos anos, muitos desses profissionais dedicaram tempo para decidir exatamente o que gostariam de ver em uma sociedade hipotética do futuro. Os resultados variam de totalmente incríveis para honestamente insanos.

10. Arranha-céus móveis

arquitetura hipotetica 10
Alguma vez você já se encontrou olhando melancolicamente através da janela do seu apartamento, desejando simplesmente mudar para outro lugar? Os arquitetos poloneses Damian e Rafal Przybyla já, só que em vez de fazer algo chato como contratar uma empresa de mudanças, eles têm um plano muito mais audacioso. Eles querem motorizar todo o edifício.
Criado em 2012 para a prestigiada eVolo Skyscraper Competition, o seu “Migrant Skyscraper” é ambicioso e insano. Situado dentro de um pneu gigantesco, o edifício é rodeado por uma faixa de espaço verde que esconde um motor de biocombustível. No momento em que uma guerra civil ou uma festa de rua irritantemente alta começar, os moradores podem simplesmente ligá-lo e sair por aí em sua mega-roda para um novo lugar.
Projetado para pessoas que vivem em regiões propensas a conflitos armados, os arranha-céus são completamente autossuficientes. Há espaço para a pastagem de gado e culturas em torno de cada prédio e a água é reciclada para manter vivos os residentes mesmo na mais longa das viagens. Ele também supostamente garantiria que menos vítimas civis, no caso de algum conflito urbano surgir.

9. Fazendas voadoras


Você pode ter ouvido falar da agricultura vertical. Ao invés de expandir a nossa agricultura de maneira tradicional, a agricultura vertical nos permite apontar para cima, criando grandes fazendas arranha-céus que se erguem sobre nossas cidades. A empresa Vincent Callebaut Architects quer ir um pouco além. Em 2010, a companhia esboçou uma proposta de fazendas construídas em gigantescos dirigíveis auto-alimentados.
Conhecidas como “Hydrogenase”, as fazendas seriam aldeias autossuficientes transportadas por via aérea. Um terço de sua enorme massa seria dedicada ao cultivo de algas. Outra parte conteria camas de algas capazes de absorver CO2 e bombear gás de hidrogênio suficiente para manter cada nave flutuando. Em meio a tudo isso, um pequeno grupo de seres humanos iria vagar, vivendo suas vidas serenas livres de carbono muitos quilômetros acima da Terra.
Para aqueles de nós ainda no chão, as Hydrogenases pareceriam zepelins impossivelmente verdes virados de lado. Abaixo deles, homólogos à base de água se acumulariam em frente ao mar, com a capacidade de combinar com os seus equivalentes aéreos para formar uma única torre. Com financiamento suficiente, os arquitetos pensam que isso poderia se tornar realidade já em 2030.

8. Uma torre crescente que se alimenta de poluição

arquitetura hipotetica 8
Com todo o hype atual a respeito das mudanças climáticas, é bem difícil encontrar alguém que não concorde que a nossa atmosfera tem muito CO2. Mas como é que vamos nos livrar dele? Os arquitetos canadenses Yuhao Liu e Wu Rui acham que têm a resposta. Em 2014, eles propuseram uma torre que suga o carbono do ar e o usa para ficar ainda maior.
Esta ideia parece testar os próprios limites da imaginação sci-fi, mas o projeto é ao menos baseado em ciência prática. Com custos tão altos de remoção de carbono em zonas industriais, os especialistas já estão analisando processos que iria transformá-lo em um produto construtor utilizável. O grande salto da imaginação de Liu e Wu é a hipótese de que este produto poderia, então, construir a si mesmo. Usando uma estrutura básica, eles criaram uma torre que coleta e armazena este produto de carbono. O vento e a chuva modificariam esse carbono, em seguida.
O resultado seria uma torre que parece crescer e tomar forma de acordo com os seus arredores. Como rochas que tomam formas estranhas devido a um milhão de anos de erosão e ventos fortes, a torre se tornaria uma espécie de escultura de carbono, uma forma prática e estranhamente artística de purificar nossa atmosfera.

7. Icebergs vivos

https://vimeo.com/71321604
Antártica – o continente mais frio, ventoso, alto e seco da Terra – nunca foi devidamente explorada por seres humanos. Isso representa um desafio para os cientistas que esperam estudar lá. Em um ambiente tão primitivo, é correto deixar quaisquer vestígios de habitação humana? Alguns anos atrás, o David Garcia Studio (agora MAP Architects) surgiu com uma solução. Eles elaboraram planos para escavar um iceberg e criar uma base de pesquisa que um dia simplesmente derreteria.
Para o seu plano, precisariam de um super iceberg aproximadamente do mesmo tamanho de Mônaco, com 2,5 quilômetros quadrados, e uma profundidade de pelo menos 25 metros. Uma vez encontrado, este pedaço gigante de gelo e neve seria esculpido na Antártida, criando uma grande câmara oca bem distante da superfície. Duas rampas de acesso levariam a um túnel central, a partir do qual cerca de 18 cavernas diferentes iriam se conectar, como as hastes em um floco de neve. Haveria câmaras separadas para dormir, cozinhar, tomar banho, além de um auditório, um hospital e um espaço para o lixo. Ao todo, 100 pessoas poderiam viver neste iceberg, protegidas do severo inverno antártico por camadas de neve, de maneira semelhante a um iglu.
Nos seus planos, os arquitetos afirmam que a base iria durar entre 7 e 10 anos, momento em que iria derreter sem deixar rasto. Seu design é tão impressionante que o conceito desses icebergs vivos já está ganhando bastante atenção internacional.

6. Edifícios invisíveis

Na arquitetura, algo que parece ser uma ótima ideia hoje poderia ser considerada hedionda amanhã. No final de 1940, o brutalismo parecia ser algo promissor para o futuro. Hoje, é um estilo odiado por quase todos. Um ramo da arquitetura hipotética propõe contornar este problema, tornando nossos edifícios invisíveis. Literalmente.
Em uma proposta criada pela companhia de arquitetos stpmj, cada superfície seria um espelho angular altamente reflexivo. Sem juntas visíveis, se pareceria com uma ondulação – um lugar estranho, onde a luz se inclinaria de maneira estranha. Outros têm seguido uma estratégia mais high-tech. Em 2013, a Coreia do Sul deu o sinal verde para sua Infinity Tower, um arranha-céu coberto de telas de LED que projetariam imagens de seus arredores de maneira tão perfeita que o edifício pareceria desaparecer quando ativado.
A ideia de usar vidro altamente reflexivo na arquitetura não é nada de novo e há vários prédios que já parecem quase invisíveis em um dia de sol. Mas muitos estão interessados ​​em levar o conceito além. Se a Infinity Tower for construída e se tornar um sucesso, podemos entrar em um futuro onde pedaços inteiros da cidade ao nosso redor podem desaparecer apenas apertando um botão.

5. Cidades flutuantes

arquitetura hipotetica 5
Você provavelmente já viu “Star Wars”, e se lembra da cidade flutuante “Cloud City”, em “O Império Contra-Ataca”. O que você pode não saber, contudo, é que ela foi baseada em um conceito arquitetônico real. Em meados do século XX, o polímata Buckminster Fuller foi desafiado por um patrono japonês rico a projetar uma cidade que poderia flutuar na baía de Tóquio. “Bucky” foi além. Ele projetou uma cidade que poderia flutuar no céu.
Conhecida como “Estações de Pesquisa Atmosféricas de Tensegridade Esférica”, ou “Cloud Nines”, a proposta de Fuller está em algum lugar entre a genialidade e a loucura. Usando o mesmo material de construção ultraleve que ele pretendia para seus domos geodésicos, Fuller planejou uma vasta esfera de 1 quilômetro de diâmetro. De acordo com os seus cálculos, esta esfera pesaria apenas uma fração da massa de ar no seu interior. Se ele pudesse aquecer gentilmente esse ar interno através de painéis solares ou atividade humana, só precisaria de uma mudança de 0,6°C em relação à temperatura do ar exterior para fazer a esfera flutuar no céu como um enorme balão de hélio de festa de criança.
O plano de Bucky era amarrar suas Cloud Nines às montanhas usando cabos ou simplesmente deixá-las à deriva na atmosfera, permitindo que aqueles dentro delas vissem o mundo sem muito esforço. Embora nunca tenham sido construídos, seus projetos influenciaram uma geração de escritores de ficção científica.

4. Torres de energia que se alimentam de som

arquitetura hipotetica 4
Enquanto alguns de nós amam os sons da vida na cidade, outros ficam gravemente deprimidos por todo o barulho que nos cerca. Se você é um destes últimos, temos boas notícias. Em 2013, um grupo de arquitetos franceses projetou uma torre capaz de absorver os sons em uma área urbana. O plano deles: converter esses sons em energia e usá-la para alimentar nossas cidades.
Localizado ao lado de estradas movimentadas, o “Soundscraper” (uma brincadeira com as palavras ingleses “skyscraper”, que significa “arranha-céu”, e “sound”, que significa “som”) seria coberto em uma espécie de pele elástica projetada para absorver as vibrações. Estas vibrações seriam então absorvidas para energia cinética em células especializadas, projetadas para converter esta energia em eletricidade. A eletricidade colhida seria, finalmente, devolvida à rede da cidade. A equipe estima que uma única torre poderia fornecer energia para 10% de Los Angeles.
Se você estivesse parado ao lado de um destes Soundscrapers, seria como ouvir todo o mundo através de protetores de ouvido. O ruído do tráfego seria amenizado e a torre em si nunca iria ficar parada, vibrando visivelmente com a energia cinética absorvida.

3. Um monte de painéis de energia solar englobando o sol e capturando sua energia

arquitetura hipotetica 3
Depois de sete exemplos de torres e icebergs vivos, é hora de deixar a Terra para trás, flutuando acima da estratosfera como uma Cloud Nine exploradora. Imaginem que a nossa sociedade tenha se tornado tão evoluída que precisamos de cada gota de energia que podemos eventualmente conseguir. Nossa melhor saída poderia ser a de englobar o sol em uma esfera gigante de captura de energia.
Esta ideia foi proposta seriamente pela primeira vez pelo físico da Universidade de Princeton Freeman Dyson, em 1960. Uma “Esfera de Dyson” iria encerrar o sol dentro de um globo de painéis solares virados para o interior, permitindo-nos roubar cada pingo de sua energia feroz. Pelo menos, esse é o sonho. De acordo com a revista “Popular Mechanics”, uma esfera como esta seria altamente instável e propensa a entrar em colapso. Mas há um outro conceito relacionado que poderia muito bem se tornar realidade. Nós poderíamos construir um “Enxame de Dyson”.
Como a Esfera, o Enxame seria feito de bilhões de painéis solares avançados. Ao contrário de seu antecessor, porém, o Enxame não seria fixo. Em vez disso, seus espelhos seriam combinados individualmente para criar uma densa nuvem orbitando o sol, como abelhas zumbindo em torno de uma colmeia. Coletivamente, essas pequenas células iriam absorver quase toda a sua energia solar.
O poder de uma criação como esta seria fenomenal. Poderíamos alimentar um império gigantesco abrangendo nosso sistema solar com uma fração da energia que teríamos coletado – o que seria duplamente útil, já que nós provavelmente teríamos que desmantelar Mercúrio, Vênus, Terra e Marte para construí-lo. Alguns físicos estão tão convencidos de que a construção de um Enxame é o passo lógico para uma civilização avançada que estão procurando ativamente nos céus em busca de evidências de um deles. Encontrar um provaria que nós, definitivamente, não estamos sozinhos no universo.

2. Um supercomputador paradisíaco

arquitetura hipotetica 2
Por outro lado, os nossos futuros descendentes podem não querer conquistar o sistema solar, porque o princípio de um Enxame de Dyson pode ser usado para construir algo muito mais tentador: um supercomputador gigantesco capaz de dar a cada ser humano o seu próprio paraíso sob medida, no qual poderíamos viver para sempre.
Conhecido como “Cérebro de Matrioska”, este supercomputador do tamanho de uma estrela pode muito bem ser o motivo pelo qual não encontramos vida inteligente ainda. Como um Enxame de Dyson, ele seria anexado a uma estrela, colhendo sua energia. Mas, ao contrário do Enxame, ele iria usar essa energia puramente para criar um paraíso virtual em que toda a nossa espécie poderia fazer upload de si mesmo. Imagine “Matrix”, mas com Neo passeando em uma bela paisagem, vivendo cada uma de suas fantasias ao longo do filme inteiro. É assim que seria a vida em um Cérebro de Matrioska, só que nós nunca ficaríamos velhos, nunca morreríamos e nunca experimentaríamos qualquer coisa além de felicidade. Seria como passar a eternidade em um paraíso.
De acordo com as pessoas que consideram estes tipos de coisas, um cérebro de Matrioska não precisaria ser tão grande. Arquitetos espaciais futuros poderiam construir um com aproximadamente o tamanho de uma estrela anã vermelha, que teria apenas 7,5 a 50% da massa do nosso sol, e ainda poderiam alimentar seu paraíso virtual por impressionantes 10 trilhões de anos.

1. Um sistema solar móvel

arquitetura hipotetica 1
Às vezes, arquitetura, engenharia e imaginação colidem para produzir resultados verdadeiramente espetaculares. Talvez o mais espetacular deles seja a ideia do Propulsor Shkadov.
Outra megaestrutura espacial, o Propulsor Shkadov seria significativamente mais fácil de construir do que o Enxame de Dyson ou um cérebro de Matrioska – e seria potencialmente ainda mais incrível. Um espelho colossal em forma de arco flutuando no espaço, ele teria seu lado côncavo voltado para nosso astro-rei. Se colocado em um lugar onde a gravidade do sol é equilibrada pela pressão externa de toda a radiação emanada por ele, o Propulsor Shkadov nos permitiria mover todo o nosso sistema.
O conceito funciona por captar toda aquela radiação solar com o espelho curvo e a jogar de volta para o sol. A “Popular Mechanics” afirma que isso resultaria em um pequeno impulso líquido, o suficiente para lançar o nosso sol e tudo em sua órbita pela galáxia. Ou quase tudo. Para construir um mecanismo tão grande, nós provavelmente precisaríamos desmantelar Mercúrio completamente.
Embora um Propulsor Shkadov não fizesse qualquer diferença notável por muitos milhões de anos, ele acabaria por acelerar o nosso sistema solar o suficiente para tornar a exploração do espaço profundo possível. Depois de alguns bilhões de anos, nós teríamos velocidade suficiente para sair completamente da Via Láctea em busca de aventura.
Ao contrário de alguns dos projetos nesta lista, já temos o know-how para fazer um Propulsor Shkadov. Embora a escala do projeto seja um empecilho atualmente, é totalmente possível que um dia nós, humanos, sejamos capazes de fazer um mochilão pelo universo.
Fonte: hypescience

‘Megaestrutura Alien’: mistério poderá ser resolvido em breve

megaestrutura alien buscas
Os astrônomos de todo o mundo estão concentrando suas energias (e curiosidade) sobre a intrigante estrela KIC 8462852, que tem perdido luminosidade dramaticamente inúmeras vezes ao longo dos últimos anos.

Quanto é exatamente esse “dramaticamente”?

O brilho da estrela caiu em cerca de 22%.
Estes periódicos “apagões” têm estimulado a especulação de que a estrela pode ser rodeado por algum tipo de ‘megaestrutura alien’ – uma hipótese que será posta à prova, se e quando KIC 8462852 escurecer novamente.

Por que precisamente neste momento?

De acordo com Jason Wright, astrônomo da Universidade Estadual da Pensilvânia, a ideia é que os cientistas consigam ver o evento de escurecimento no ato, enquanto estiver acontecendo, para ter mais detalhes e entender melhor do que se trata.
Até as medições mais simples que puderem ser feitas, inclusive só olhar a luz em diferentes comprimentos de onda, deve excluir, ou pelo menos sugerir, se estamos falando mesmo de uma ‘Megaestrutura Alien’.

O que é KIC 8462852?

A estrela do momento não está em blogs de moda, não é hit no Youtube (quem sabe em breve) e não está em portais de fofoca. A KIC 8462852, pelo contrário, prefere manter a distância dos holofotes (e das lentes dos astrônomos).
E não é para menos: a estrela fica a cerca de 1.500 anos-luz da Terra.
Os eventos de escurecimento, que foram observados a duras penas pelo telescópio espacial Kepler, da NASA, entre 2009 e 2013, parecem muito substanciais para serem causados por um planeta em órbita – e isso é um consenso entre muitos astrônomos.

O que mais pode ser?

A outra explicação plausível, que supõe que os eventos estejam sendo causados por um disco de formação planetária, não parece fazer sentido, também, porque KIC 8462852 parece ser uma estrela madura cujo planetas (se tiver algum) já se formaram.
Então, os cientistas estão entretidos com uma série de outras ideias, levantando a hipótese de que o escurecimento pode ser causado por um enxame de cometas ou talvez até mesmo por algum tipo de ‘Megaestrutura Alien’ que está orbitando ao seu redor.
Esta última possibilidade é improvável, os pesquisadores salientam, mas ainda vale a pena conferir.

Só acreditam vendo

De fato, os astrônomos têm procurado radiotelescópios na KIC 8462852 para procurar sinais que possam ter sido gerados por alienígenas inteligentes.
O acompanhamento da estrela está avançando em outras frentes também.
Uma série de telescópios ópticos estão assistindo a estrela, esperando ansiosamente pelo escurecimento acontecer novamente. Uma vez que tal evento começa, grandes âmbitos equipados com espectrógrafos vão entrar em ação, estudar e monitorar os vários comprimentos de onda de luz que emanam da KIC 8462852.

Expectativa

Isso deve dizer aos pesquisadores o que material é, e pelo que a luz das estrelas está sendo filtrada. Assim, a expectativa é conseguir descobrir se talvez nós estamos olhando para a poeira espacial comum, ou para um gás.
De acordo com Jason Wright, se virmos qualquer cor no escurecimento, isso excluiria qualquer possibilidade de estarmos vendo um objeto sólido.
Wright acredita que os dados irão mostrar que os eventos de escurecimento da KIC 8462852 de são causados pela poeira comum. Se esse for o caso, o evento iria levantar um outro mistério para os astrônomos resolverem: que seria de onde toda essa poeira vem vindo.
Ela pode estar sendo derramada por exocometas, por exemplo, ou o material está preso em um sistema gigante de anéis em torno de um planeta alienígena parecido com Saturno.
Também segundo Jason Wright, a quantidade de escurecimento pode nos diz algo sobre o tamanho da poeira – se é tão fina como o fumaça ou não.
“Isso vai nos ajudar a descobrir para qual desses cenários nós estamos olhando” – conclui o astrônomo
Fonte: hypescience