Total de visualizações de página

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Um computador que faz diagnósticos melhores (e mais baratos) do que médicos

computador medico diagnostico

O computador que faz diagnósticos

Você confiaria em um diagnóstico feito por um programa de computador? De acordo com estudo recente feito por pesquisadores da Universidade de Indiana (EUA), a ideia não é tão absurda quanto parece à primeira vista.
“O objetivo dessa pesquisa é desenvolver um sistema de inteligência artificial/computacional para propósitos gerais (não focado em doenças específicas) para lidar com desafios dos sistemas de saúde atuais [custos elevados, grande número de tratamentos e informações para lidar]“, escrevem os autores, em artigo publicado no periódico Artificial Intelligence in Medicine.
O sistema foi usado para analisar dados (como doenças crônicas e episódios de depressão clínica) sobre o estado de saúde de 500 pessoas reais e prescrever tratamentos. Em seguida, os resultados foram comparados com os tratamentos que haviam sido realizados de fato, sob recomendação de médicos. Resultado: o computador teve 42% mais casos de sucesso do que os médicos e com um custo menor – US$ 187 (aproxidamente R$ 370) contra US$ 497 (aproxidamente R$ 980) por análise.
O programa usa um sistema de inteligência artificial que é resultado da combinação de outros dois: o Markov Decision Processes e o Dynamic Decision Networks. Com essas duas ferramentas, o computador é capaz de prever e comparar consequências de cada tratamento, além de fazer suposições quando não há informações suficientes e refazer os cálculos conforme novos dados são adicionados. Além disso, o programa não é focado em um tipo específico de doença, podendo ser usado para avaliar virtualmente qualquer tipo de caso.
Apesar dos resultados animadores, os autores do estudo olham com cautela a ideia de passar para computadores a tarefa de diagnosticar doenças e prescrever tratamentos. Ao invés disso, eles acreditam que é melhor unir homem e máquina, e não colocar tudo nas mãos de sistemas de inteligência artificial. “Mesmo com o desenvolvimento de novas técnicas de Inteligência Artificial que podem se aproximar ou mesmo superar a performance de tomadas de decisões humana, nós acreditamos que o caminho mais efetivo a longo prazo seja combinar inteligência artificial com a de médicos humanos”, ressaltaram os pesquisadores em um pronunciamento.
“Vamos deixar que os humanos façam o que eles fazem bem, e que as máquinas façam o que elas fazem bem. No fim, vamos maximizar o potencial de ambos”, concluem
Fonte: hypescience

Gentileza gera… cafés mais baratos

gentileza cafe
Um café na Austrália resolveu levar a sério aquele provérbio que afirma que gentileza gera gentileza. O Seven Mile Beach Quiosque Café em Gerroa, Nova Gales do Sul, não apenas serve aos seus clientes um bom café, mas também uma lição de polidez.
Para reforçar a importância de ser gentil, os proprietários do café cobram taxas diferentes para o mesmo produto, dependendo da forma como ele é pedido.
Para não confundir os seus clientes, eles colocaram uma placa do lado de fora do café explicando sua política inovadora de preços. De acordo com o aviso, apenas pedir “um café” custa 5 dólares (cerca de R$ 12). Dizer “um café, por favor” fará o preço cair para 4,50 dólares (R$ 10,80). Mas se você quiser ser realmente gentil e disser “bom dia, um café, por favor”, seu pedido sai por 4,00 dólares (R$ 9,60).
A iniciativa tem apenas dois meses e as coisas estão indo muito bem até agora. O proprietário Kev Chilver e sua esposa Kylie Pickett afirmam que queriam “trazer de volta os bons costumes”, e tiveram a ideia depois que um de seus funcionários viu um sinal semelhante em outra loja. Desde que colocaram o sinal, eles afirmam que seus clientes têm feito um esforço para pedir com muita gentileza.
gentileza cafe 2
“A cortesia está cada vez menos comum, e nós estamos tentando trazê-la de volta”, afirma Chilver. “Estamos na indústria de serviços, mas merecemos o mesmo respeito que qualquer outra pessoa. Por favor e obrigado já servem”.
Vale lembrar que pode ser legal também ser gentil quando não há nenhuma recompensa envolvida. 
Fonte: hypescience

INML Três em cada cem mortes na estrada relacionadas com canábis

Um estudo do Instituto Nacional de Medicina Legal (INML) conclui que é detetada a presença de canabinóides em três de cada cem vítimas mortais em acidente rodoviário, num total de 1632 autópsias realizadas, entre 2012 e 2013.
PAÍS
Três em cada cem mortes na estrada relacionadas com canábis
A presença de canabinóides foi detectada em 3,2% (52 vítimas) das autópsias realizadas pelo Instituto de Medicina Legal, divulgou Jorge Rosmaninho, do INML, durante a I Conferência do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses, que decorreu no auditório da reitoria da Universidade de Coimbra, entre quinta-feira e hoje.
Em 44,2% desses casos, os canabinóides foram detetados em associação com o etanol, tendo, em 46% das vítimas, sido detetada apenas a presença de cannabis, referiu.
Apesar da presença desta droga, o etanol - álcool - continua a ser a substância mais presente, tendo sido detetado em 15,5% das vítimas mortais, em acidentes rodoviários.
Jorge Rosmaninho, recordando um estudo europeu, sublinhou que "o risco de um condutor com cannabis sofrer um acidente de viação fatal é o dobro do experimentado por um indivíduo sem essa substância", referindo que essa probabilidade aumenta "até 15 vezes", se a cannabis estiver associada ao álcool.
O vice-presidente do INML, João Pinheiro, disse à agência Lusa que "houve uma aceitação do consumo desta droga e isso não é bom", apontando para o estudo como forma de demonstrar que a cannabis "não é uma droga inócua".
Contudo, "não se pode dizer que foi por consumir que a pessoa teve o acidente, como também não se pode garantir o contrário".
O vice-presidente do instituto realçou ainda a maior presença da substância em homens entre os 20 e os 25 anos e os 40 e os 45 anos.
Fonte: NM

Pires de Lima Redução de desemprego deve-se a "maior dinâmica empresarial"

O ministro da Economia, António Pires de Lima, congratulou-se hoje com a descida da taxa de desemprego de 13,9% em agosto para 13,6% em setembro, justificando a queda com a "maior dinâmica da atividade empresarial".
ECONOMIA
Redução de desemprego deve-se a maior dinâmica empresarial
"É com uma especial satisfação, embora ainda sintamos que há imenso caminho por percorrer, que hoje soubemos que depois de ter atingido um máximo de 17,7% nos primeiros meses de 2013, o desemprego está a cair há 20 meses consecutivos e desceu de 13,9% em agosto para 13,6% em setembro", afirmou Pires de Lima.

Segundo divulgou hoje o Eurostat, a taxa de desemprego em Portugal voltou a descer em setembro para 13,6%, valor abaixo dos 13,9% registados em agosto e menos 2,1 pontos percentuais do que os 15,7% de há um ano.
"Só através da maior dinâmica da atividade empresarial é possível explicar esta queda do desemprego, que tem correspondência na criação líquida de emprego ao longo dos últimos 12 meses. Não é integral, mas uma boa parte desta queda do desemprego tem a ver com a capacidade das empresas terem criado quase 100.000 postos de trabalho líquidos ao longo dos últimos 12 meses", afirmou.
Pires de Lima discursava na apresentação do programa de apoio a pequenas e médias empresas Advance Santander, que foi hoje apresentado pelo banco em Lisboa.
Segundo o presidente executivo do banco Santander Totta, o programa prevê o lançamento de "um fundo de 50 milhões de euros, que poderá crescer, para apoiar [as pequenas e médias empresas] em termos de capitais permanentes", linha que será utilizada através de empréstimos subordinados a prazos mais largos.
"Muitas vezes as empresas partem para investimentos mas a relação capitais alheios capitais próprios faz com que não consigam efetivamente fazer esse investimento. Nesse sentido, nós criamos uma linha que não é uma linha de capital; nós não queremos ser sócios de empresas: o nosso negócio é banca, é dinheiro, não é interferir na gestão das empresas.
Além deste fundo, o programa Santander Advance prevê também soluções não financeiras, como a disponibilização de 1.500 bolsas de estágio (num valor que será totalmente suportado pelo banco), a criação de parcerias de formação com universidades e o lançamento de um portal de internacionalização, entre outros.
Fonte: NM

Empresa Venda da PT na próxima semana é “impossível”

Esta semana foram avançadas notícias de que a PT SGPS poderia ser vendida já na próxima semana. Porém, fonte oficial ouvida pelo Expresso garante que esse cenário “é impossível”.
ECONOMIA
Venda da PT na próxima semana é “impossível”
Numa altura em que está em cima da mesa a possibilidade de a PT SGPS ser vendida, fontes oficiais da operadora portuguesa garantem que “é impossível” que a empresa seja vendida no imediato.

É "impossível que a venda da PT Portugal ou de qualquer outra participação citada pela comunicação social decorra durante a próxima semana", revelou ao Expresso fonte oficial.
A empresa, liderado por Mello Franco, é dona de 25,6% da Oi, garante assim que as notícias avançadas pela imprensa brasileira, que davam conta de um negócio em torno dos 7 mil milhões de euros, não têm, para já, fundamento.
Relembra ainda o semanário que, nos termos do entendimento assinado entre a Oi e a PT aquando do processo de fusão, a empresa portuguesa terá direito de veto de decisões estratégicas, tal como esta.
A PT SGPS tem entre os seus principais acionistas o Novo Banco, a Ongoing, a Controlinveste e a Visabeira, explica o semanário do grupo Impresa.
Fonte: NM

África UNICEF envia ajuda a "crianças esquecidas" da República Centro-Africana

A UNICEF está a acelerar o envio de ajuda de emergência a milhares de crianças que o aumento da violência e dos ataques às equipas de ajuda humanitária obrigaram a abandonar as respetivas casas na República Centro-Africana.
MUNDO
UNICEF envia ajuda a crianças esquecidas da República Centro-Africana
Em comunicado hoje divulgado, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) indicou que "confrontos recentes nas regiões norte e ocidental do país, bem como um surto de violência na capital, Bangui, vieram agravar a insegurança e comprometer o acesso humanitário".
Perante os novos obstáculos, a representante adjunta daquela agência especializada da ONU no país, Judith Léveillée, afirmou: "Recusamo-nos a aceitar as ameaças que visam impedir o nosso trabalho de proteger as crianças, especialmente aquelas às quais é mais difícil chegar".
"Temos de fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para levar ajuda às crianças da República Centro-Africana. Elas precisam desesperadamente de apoio e correm o risco de ser esquecidas pela comunidade internacional", insistiu.
Nesse sentido, a UNICEF assevera que "está a fazer o possível para chegar às crianças afetadas pela violência", e garantiu já o abastecimento de água a 55.000 pessoas no noroeste do país, "através do fornecimento de combustível e cloro suficientes para manter em funcionamento as estações de tratamento de água em Bossangoa e Bouar durante os próximos dois meses", lê-se no documento.
Além disso, por temer "a deterioração da situação, pré-posicionou mais bens de emergência para crianças -- incluindo lonas, jerrycans e cobertores -- nos seus cinco escritórios de campo no país".
A organização referiu ainda que, "na passada quarta-feira, um voo charter da Norwegian Air aterrou em Bangui com uma carga de bens essenciais, nomeadamente medicamentos para o tratamento de HIV, materiais para a construção de latrinas e produtos nutricionais para crianças gravemente subnutridas".
Por último, está "a montar 78 novos espaços de aprendizagem temporários para cerca de 15.600 crianças que foram forçadas a abandonar as suas casas em pontos cruciais, tais como Kaga Bandoro, Batangafo e Dekoa", precisa o comunicado.
Sobre as condições, cada vez mais difíceis, em que a UNICEF e organizações parceiras estão a trabalhar no país, Judith Léveillée indicou que "este mês, as equipas de ajuda humanitária foram alvo de ataques sem precedentes".
"Precisamos de acesso humanitário em segurança e sem entraves para levar ajuda de emergência a crianças vulneráveis e suas famílias, e apelamos a todas as partes envolvidas no conflito para que garantam o nosso acesso às pessoas que mais precisam", frisou.
Segundo a agência da ONU, na República Centro-Africana, "mais de 2,3 milhões de crianças foram afetadas pela crise desde que os confrontos violentos chegaram a Bangui, em dezembro passado, obrigando cerca de um milhão de pessoas a fugir das suas casas".
"Quase meio milhão de pessoas continuam deslocadas, entre as quais mais 3.000 pessoas que deixaram as respetivas casas na sequência do mais recente surto de violência em Bangui", refere a organização no comunicado.
No mesmo texto, a UNICEF diz ter confirmado que seis crianças morreram e 22 ficaram feridas durante os intensos confrontos na capital, no início deste mês.
"Entre as vítimas mortais, contam-se duas crianças que foram brutalmente assassinadas depois de terem sido acusadas de espionagem", lê-se no documento, no qual a agência acrescenta ainda ter recebido também "relatos de crianças feridas e mulheres grávidas que não conseguiram chegar a hospitais devido a bloqueios das estradas e ao medo de serem atacadas".
Fonte: NM

DGA Portugal terá um pavilhão na Bienal de Veneza

O diretor-geral das Artes, Samuel Rego, disse hoje à agência Lusa que Portugal terá um pavilhão na 56.ª Exposição Internacional de Arte - Bienal de Veneza 2015, estando aquela entidade a estudar "várias possibilidades".
CULTURA
Portugal terá um pavilhão na Bienal de Veneza
A Direção-geral das Artes (DGArtes) anunciou hoje que o artista português João Louro e a comissária espanhola María de Corral vão criar o projeto para a representação de Portugal na próxima edição da Bienal de Veneza, a mais importante mostra mundial de arte contemporânea.
Entre 2007 e 2012, Portugal apresentou anualmente os seus projetos oficiais das mostras de arte e de arquitetura, na Bienal, no palácio Fondaco Marcello, um edifício histórico situado junto ao Grande Canal, em Veneza.
Contactado pela agência Lusa, o diretor-geral das Artes disse que "há várias possibilidades em cima da mesa que estão a ser estudadas, mas haverá um pavilhão português nos moldes tradicionais".
Ângela Ferreira foi a primeira artista a apresentar o seu projeto no palácio Fondaco Marcello, em 2007, e por ali passaram também o artista Francisco Tropa e projetos de arquitetura com a participação, entre outros, de Eduardo Souto de Moura e Álvaro Siza Vieira.
"Lisbon Ground", a exposição que representou Portugal na 13.ª Mostra Internacional de Arquitetura da Bienal de Veneza, foi a última a ser ali apresentada, em 2012 e, em 2013, quando a artista Joana Vasconcelos foi convidada, solucionou o problema da falta de um espaço próprio, com a transformação de um cacilheiro em obra de arte e em pavilhão flutuante.
Este ano, na 14.ª Exposição Internacional de Arquitetura da Bienal de Veneza, Portugal apresentou o seu projeto em forma do jornal "Homeland|News from Portugal", com conteúdos originais desenvolvidos por uma equipa multidisciplinar, que foi distribuído aos visitantes, no recinto.
Sobre o orçamento que a DGArtes, responsável pela organização da representação portuguesa em Veneza, vai disponibilizar para a edição de 2015, Samuel Rego disse que "ainda não está fechado", não podendo confirmar se atingirá os 175 mil euros, como o atribuído a Joana Vasconcelos em 2013.
"Estamos a trabalhar para que em 2015 haja um valor considerável dentro das condições atuais", indicou, acrescentando que "a Fundação EDP terá um envolvimento destacado como patrocinador do projeto artístico".
A 56.ª Exposição Internacional de Arte, Bienal de Veneza 2015, cujo curador geral é Okwui Enwezor, terá como tema "All the World's Futures" ("Todos os Futuros do Mundo", em tradução livre), e vai decorrer entre 09 de maio e 22 de novembro de 2015.
Fonte: NM

PS Crise criou condições de recrutamento para ISIS, diz Gomes

A eurodeputada socialista Ana Gomes defendeu hoje em Nova Iorque que "a crise económica europeia criou condições de recrutamento de jovens para estado islâmico."
MUNDO
Crise criou condições de recrutamento para ISIS, diz Gomes
Numa palestra na Universidade de Columbia, a deputada explicou que é preciso "perceber os contextos de exclusão social, desemprego, intolerância religiosa e outras formas de alienação que tornam estes jovens alvos de ser recrutados."
Na Escola de Assuntos Públicos e Internacionais, numa conversa moderada pelo diretor do Programa de Construção de Paz e Direitos, David L. Phillips, a deputada falou sobre o tema "A resposta da UE aos conflitos mortais: Iraque, Síria, Líbia e Ucrânia".
Ana Gones apontou as ferramentas que a União Europeia tem ao seu dispor enquanto instrumento de prevenção e resolução de conflitos, as alterações introduzidas pelo Tratado de Lisboa e o papel diplomático que uma instituição como o Parlamento Europeu pode ter na comunidade internacional.
Apesar de ter recebido perguntas da sala cheia de estudantes, diplomatas e membros de organizações não-governamentais sobre a situação na Ucrânia, Rússia, Irão e Líbia, sobre a eficácia de uma política de sanções e a colaboração parlamentar com os EUA, o Estado Islâmico dominou a conversa de cerca de duas horas.
Ana Gomes defendeu que para enfrentar esta ameaça a União Europeia "precisa de uma política de segurança e defesa inteligente e estratégica, que integre as dimensões externa e interna, com meios substantivos, e que combine serviços de 'inteligência', polícia, serviços sociais, educacionais e outros."
Em declarações à agência Lusa, Ana Gomes explicou a sua posição sobre o tratamento que deve ser prestado aos combatentes regressados à Europa.
"Os que regressam devem ser tratados respeitando os princípios fundamentais de um Estado de Direito. No quadro do código penal, devem ser levados à justiça e punidos. Depois, se for caso disso, devem receber ajuda para serem reintegrados na sociedade", explicou a representante.
Ana Gomes acredita que "retirar passaporte e nacionalidade, como alguns têm proposto, não resolve o problema, podendo agravar e exportar para a vizinhança."
Fonte: NM

Novo Banco Santander aguarda resultados da auditoria para analisar compra

O presidente executivo do Santander, Javier Marín, disse hoje que o Novo Banco terá de cumprir "critérios muito estritos de rentabilidade" para significar uma boa oportunidade para o banco, aguardando, por isso, os resultados da auditora à instituição.
ECONOMIA
Santander aguarda resultados da auditoria para analisar compra
"Estamos encantados com a quota de mercado que temos em Portugal [através do Santander Totta], mas como em todos os mercados onde estamos, é nossa obrigação analisar as oportunidades [de negócio], que têm de cumprir com critérios muito estritos de rentabilidade", respondeu Javier Marín aos jornalistas quando questionado sobre o interesse do Santander na compra do Novo Banco.

"Ainda não começámos a analisar [uma eventual compra do Novo Banco]. Têm de acabar primeiro a auditoria, para que entendamos todos um pouco melhor como está [o banco], mas ainda não estamos em nenhum processo", afirmou Javier Marín.
O presidente executivo disse ainda que não encetou contactos com o Governo para a possível venda do banco liderado por Stock da Cunha.
No início de outubro, o presidente executivo do Santander Totta, António Vieira Monteiro, disse que o banco estava atento e a acompanhar de perto a operação de venda do Novo Banco, ressalvando ser ainda muito cedo para se pronunciar sobre o interesse da operação.
Javier Marín falava aos jornalistas à margem da apresentação de um programa de apoio a Pequenas e Médias Empresas [PME] lançado pelo Santander Totta.
No discurso durante o encontro, o presidente executivo do Santander congratulou-se com os resultados do banco nos testes de 'stress' do Banco Central Europeu, considerando que demonstrou "força" e que "vai gerar mais confiança no setor".
No dia 3 de agosto, o Banco de Portugal tomou o controlo do Banco Espírito Santo (BES), depois de o banco ter apresentado prejuízos semestrais de 3,6 mil milhões de euros, e anunciou a separação da instituição em duas entidades distintas.
No chamado banco mau ('bad bank'), um veículo que mantém o nome BES, ficaram concentrados os ativos e passivos tóxicos do BES, assim como os acionistas. No 'banco bom', o banco de transição que foi chamado de Novo Banco, ficaram os ativos e passivos considerados não problemáticos.
Fonte: NM

Estudo Esta imagem pode revelar a sua inclinação política

A imagem de uma larva, de uma carcaça mutilada ou algo que causa repugna no lavatório da sua cozinha poderá determinar de forma rápida a sua orientação política. Esta é pelo menos a conclusão de um estudo recente realizado pelo Virginia Tech Carilion Research Institute, escreve o Huffington Post.
MUNDO
Esta imagem pode revelar a sua inclinação política
Um estudo recentemente realizado pelo Virginia Tech Carilion Research Institute apurou que imagens de cenas que nos repugnam poderão dar uma indicação clara sobre qual a nossa inclinação política, escreve o Huffington Post.
A pesquisa, realizada com 83 homens e mulheres, passava por mostrar imagens aos participantes enquanto o seu cérebro era monitorizado. Paralelamente, eram mostradas aos inquiridos imagens de bebés e paisagens agradáveis.
Numa segunda fase, era pedido às pessoas para classificarem as imagens relativamente ao nível de repulsa que lhes causava. Antes tinha sido preenchido um questionário sobre as suas crenças políticas, que incluíam perguntas sobre orações nas escolas, a sua posição face à possibilidade de terem armas, imigração e casamento gay.
“Surpreendentemente, verificamos que a resposta do cérebro a uma única imagem repugnante é suficiente para prever a ideologia política dos indivíduos”, refere Read Montague, um professor de psicologia encarregue pelo estudo.
Não foram registadas diferenças significativas, entre liberais e democratas, relativamente ao quanto os repugnavam as imagens, mas os investigadores notaram diferenças consideráveis na atividade cerebral dos participantes.
As diferenças eram tão pronunciadas que os investigadores conseguiam através dos resultados dos exames ao cérebro verificar a inclinação política de cada um com uma acuidade de 95%.
Concluindo, as imagens repugnantes geram respostas do cérebro que mostram se um indivíduo é liberal ou conservador, mesmo se essa resposta não corresponder à reação consciente do individuo. Assim, os ‘conservadores’ tendem a ter uma resposta mais intensa a imagens repugnantes, do que os liberais.
Fonte: NM

Governo Agricultores com animais podem candidatar-se a apoios europeus

Os agricultores que pretenderem beneficiar em 2015 de pagamentos ligados aos animais poderão apresentar a respetiva candidatura a partir de 03 de novembro, e até 31 de dezembro, anunciou hoje o Ministério da Agricultura, em comunicado.
PAÍS
Agricultores com animais podem candidatar-se a apoios europeus
"Esta é a primeira etapa da operacionalização da reforma da Política Agrícola Comum (PAC). Pedimos aos agricultores que manifestem a sua intenção de candidatura aos pagamentos ligados aos animais para que possamos preparar a campanha de ajudas em 2015 com normalidade", afirmou o secretário de Estado da Agricultura, José Diogo Albuquerque, citado no comunicado.
Assim, a partir de segunda-feira e até 31 de dezembro, os agricultores terão de manifestar essa intenção através do portal do Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas (IFAP) - www.ifap.pt - ou através de entidades recetoras reconhecidas por este organismo.
Para beneficiar destes regimes de apoio o agricultor deverá também apresentar, a partir de 2015, a candidatura anual ao Pedido Único de Ajudas (PU), em data a definir, a fim de identificar a sua exploração agrícola.
"Estamos a fazer todos os esforços para que a primeira campanha de ajudas desta nova PAC corra da melhor forma. Para isso estão a ser colocadas à disposição dos agricultores informações nos 'sites' dos nossos serviços sobre o início da campanha", referiu ainda o secretário de Estado.
O novo sistema de pagamentos funcionará em regime de candidatura a prémio de forma anual, acabando o antigo regime de direitos. Este apoio está, ainda, condicionado à aprovação pela Comissão Europeia.
A falta de apresentação ou o indeferimento por apresentação, fora de prazo, da declaração de intenção aos prémios animais num determinado ano, dá lugar à exclusão da anuidade dos prémios previstos para o ano em questão, esclarece a tutela.
Fonte: NM

Aplicação A Starbucks também vai ter a sua app

A Starbucks está a desenvolver um app, a ser testada primeiro numa cidade americana, que permitirá adiantar pedidos através de um smartphone, evitando-se assim a fila ao balcão.
TECH
A Starbucks também vai ter a sua app
A Starbucks, gigante do café, está a preparar nos Estados Unidos uma app própria. O objetivo é permitir aos clientes que a utilizem ‘escapar' das filas habituais, conta o Engadget.
Através do smartphone, será possível fazer o pedido neste ‘balcão virtual’, pagar – já que o software também irá disponibilizar forma de pagamento –  e recolher na loja o pedido, sem ter de passar pela fila.
O Engadget conta ainda que a multinacional norte-americana vai procurar também, de futuro, acrescentar a possibilidade de entregas ao domicílio. “Imaginem a possibilidade de se entregar um Starbucks quente, diariamente, na sua secretária”, propõe o CEO da empresa, Howard Schultz.
Esta app chegará em dezembro e vai ser testada em Portland, antes de ser desenvolvida para o resto do país, já em 2015. Falta ver para quando é que a Starbucks terá planos de exportar o conceito para este lado do Oceano Atlântico.
Fonte: NM

António Vitorino "Há que evitar uma escalada de tensão com a Rússia"

Os voos russos, que passaram também por Portugal, alarmaram a Europa. A ideia, é de que a aviação do país liderado por Vladimir Putin poderá estar a testar os procedimentos europeus. No entanto, durante esta semana foi assinado entre Kiev, Moscovo e Comissão Europeia, um acordo relativamente ao fornecimento de gás. António Vitorino e Santana Lopes comentam esta questão e o antigo Comissário Europeu diz que é preciso “evitar uma escalada de tensão” com os russos.
POLÍTICA
Há que evitar uma escalada de tensão com a Rússia
António Vitorino e Santana Lopes comentaram esta sexta-feira a entrada de aviões russos em espaço aéreo europeu, mas também português. Para o antigo Comissário Europeu, numa altura em que a Ucrânia ainda é um problema central, é, sobretudo, preciso evitar uma escalada de tensão com o país de Vladimir Putin.

“A estratégia de Putin é voltar a afirmar a Rússia como uma potência com ambições globais. Estes voos de patrulhamento do Atlântico tinham sido interrompidos e foram retomados em 2007. (…) O que pode não ter outro significado senão a demonstração de que têm que contar com a Rússia. Qualquer que seja a forma de concertação de interesses, a Rússia afirma-se como uma potência global”, refere António Vitorino.
Para o antigo Comissário, no entanto, o acordo de Kiev, sobre o fornecimento de gás à Europa, no Inverno, traz fortes contrapartidas financeiras para os russos, algo a que não devem ter sido alheios os esforços desenvolvidos.
Para Pedro Santana Lopes, antigo primeiro-ministro, a questão Ucrânia continua a ser central. “Estes voos são contraditórios com o acordo do gás. Será que Putin quis mostrar que não é por assegurar o gás à Ucrânia no próximo Inverno que deixa de estar aborrecido com o que tem acontecido, como as eleições com resultados pró-Europa e o novo Governo em Kiev. Costuma falar-se em mixed feelings aqui são mixed signals. Celebram o acordo e ao mesmo tempo vão passear de avião”, atira o Provedor da Santa Casa da Misericórdia, acrescentando que “não se descortina um fio condutor”.
Vitorino refere a este propósito que estes voos podem ser explicados por uma necessidade de Putin se afirmar no espaço europeu, isto depois de ter cedido no acordo energético. Com esta manobras da aviação russa, o presidente mostra o seu poderia e afirma-se perante o povo que representa.
Estes voos acontecem “para criar espaço para fazer aceitar pela opinião pública interna russa um acordo que aparentemente vai contra a tensão nacionalista anti-ucraniana que Putin alimentou, esta bela demonstração de força e esta reação ocidental tão assustada, alarmada, tão visível e vocal, até serve os intuitos da propaganda interna do próprio Putin”, remata.
Fonte: NM

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Espanhol de 9 anos se torna Jovem Fotógrafo da Vida Selvagem de 2014

fotografo de vida selvagem carlos perez naval (12)
Carlos Perez Naval, um espanhol de 9 anos de idade, se tornou o mais novo Fotógrafo da Vida Selvagem do Ano, ao vencer o concurso promovido pelo Museu de História Nacional de Londres.
Carlos recebe o prêmio da duquesa de Cambridge, Kate Middleton
Carlos recebe o prêmio da duquesa de Cambridge, Kate Middleton
Desde 1964, a instituição organiza a competição anual. A foto vencedora do Young Wildlife Photographer of the Year de 2014, tirada por Carlos, foi essa:
“Stinger In The Sun”, por Carlos Perez Naval
“Stinger In The Sun”, por Carlos Perez Naval
O concurso existe em duas versões: Wildlife Photographer of the Year, e Young Wildlife Photographer of the Year, que inclui somente fotógrafos de até 17 anos de idade.
A bela imagem tirada por Carlos, ganhadora da competição mirim, não foi um golpe de sorte. Os pais do espanhol são turistas frequentes, e sempre levam o garoto junto em suas viagens ao redor do mundo.
Quando tinha 4 anos, Carlos começou a tirar fotos de natureza durante suas aventuras. Ele ganhou primeiro uma câmera compacta, mas agora já usa equipamento profissional. O menino recebe uma lente maior a cada vez que vai para o exterior.
Além disso, Carlos gosta de fotografar a própria região em que vive. Durante o ano letivo, quando permanece em casa, retrata a flora e a fauna ao redor de Teruel, sua cidade natal.
Confira outras imagens belas feitas pelo talentoso garoto:
fotografo de vida selvagem carlos perez naval (15)
fotografo de vida selvagem carlos perez naval (14)
fotografo de vida selvagem carlos perez naval (13)
fotografo de vida selvagem carlos perez naval (11)
fotografo de vida selvagem carlos perez naval (10)
fotografo de vida selvagem carlos perez naval (8)
fotografo de vida selvagem carlos perez naval (7)
fotografo de vida selvagem carlos perez naval (6)
fotografo de vida selvagem carlos perez naval (5)
fotografo de vida selvagem carlos perez naval (4)
fotografo de vida selvagem carlos perez naval (1)
Fonte: hypescience

Arte digital: norte-americano transforma GIFs em itens dignos de museu

GIFs hipnotizantes de Drew Tyndell 2
Sempre há quem diga que “qualquer coisa” passa por arte moderna, ou que “meu sobrinho de 7 anos faz melhor que isso”. Porém, é sempre aconselhável não nos apressarmos muito para julgar aquilo que os outros consideram belo ou limitar demais o espírito de uma artista. Drew Tyndell é a prova disso.
O norte-americano resolveu usar seu computador para criar algo hipnotizante. Suas obras digitais, das quais cada quadro foi pintado no Photoshop, são tão impressionantes que poderíamos passar o dia todo apenas olhando para elas.
Há algumas menos abstratas, mas a grande atração são aquelas que ousam mais – talvez porque as mais abstratas funcionem como uma espécie de teste de Rorschach, em que você interpreta borrões de tinta disformes, dizendo o que eles parecem para você.
Mais do trabalho de Tyndell está disponível em seu site.
GIFs hipnotizantes de Drew Tyndell 3
GIFs hipnotizantes de Drew Tyndell 4
GIFs hipnotizantes de Drew Tyndell 5

GIFs hipnotizantes de Drew Tyndell 6
Fonte: hypescience

OE2015 Ministro promete QREN a 100% e novas candidaturas em novembro, oposição contesta

O ministro da Economia prometeu hoje uma taxa de realização de 100% do atual Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN) e novas candidaturas disponíveis a fundos europeus já em novembro, no debate parlamentar sobre o Orçamento do Estado2015.
ECONOMIA
Ministro promete QREN a 100% e novas candidaturas em novembro, oposição contesta
A oposição, contudo, rebateu diversos indicadores avançados por Pires de Lima, afirmando que o responsável ministerial da coligação PSD/CDS-PP tem a pasta da "propaganda", anda em constantes "road-shows" (mostras/exibições) e o seu "papel é distribuir empresas a grupos privados".
"Através da diplomacia económica, o Governo procura afirmar-se como um parceiro das empresas privadas", justificou o governante, louvando o facto de Portugal ter sido o segundo país da União Europeia (UE) a "fechar a negociação para o próximo acordo de parceira" e "um dos primeiros a abrir candidaturas, já em novembro, de forma a que as empresas possam, já no ano de 2015, aceder aos fundos".
Segundo Pires de Lima, "Portugal leva já uma taxa de realização do QREN que é a maior da UE, de 83%, e atingirá 87% no fim de 2014", tendo uma "taxa de compromisso de candidaturas que já ultrapassa os 100% (109%)".
"Portugal atingirá uma taxa de realização de 100% quando o programa estiver fechado", vincou o ministro da Economia, salientando que a trajetória das exportações "continua a ser positiva, com um crescimento previsivel de 3%, no final do ano, e acumulado até final agosto de 2%, muito alavancado, é certo, nos serviços transacionáveis, como o turismo e outras industrias, mas que vai levar a bater o recorde de exportações - mais de 69 mil milhões de euros", disse.
O deputado comunista Bruno Dias lamentou que o ministro se comportasse na Assembleia da República como se estivesse num dos seus "road-shows" quando "um em cada quatro portugueses está em rico de pobreza" e "120 mil a saíram do país em 2013".
"Quer mesmo continuar com essa propaganda, esse discurso do milagre económico enquanto prossegue o massacre as pequenas e médias empresas? Enquanto o Governo enche o discurso coma confiança dos mercados, o pais enfrenta esta politica de desmantelamento. Pode falar na confiança que tem nos portugueses, mas o que a vida demonstra é que os portugueses não podem confiar num Governo que não é de confiança", afirmou o parlamentar do PCP.
A deputada bloquista Mariana Mortágua estranhou que, "há um ano (Pires de Lima) só queria falar de exportaçoes e, passado um ano, abra o seu discurso com a procura interna"
"O seu papel é distribuir empresas a grupos privados", acusou, referindo-se àquilo que considera falta de intervenção estatal em interesses estratégicos nacionais como a PT ou a anunciada privatização da TAP, "a maior exportadora e empresa-bandeira portuguesa".
A socialista Ana Paula Vitorino, apesar de uma troca de elogios sobre a bem-parecença de Pires de Lima, apelidou-o mesmo de "ministro da propaganda deste Governo", que promete "há se ser, há de ser (a retoma da economia)".
O democratas-cristãos Helder Amaral e Filipe Lobo d'Ávila e os sociais-democratas Leite Ramos e Nuno Serra lamentaram que a oposição desvalorizasse o esforço de empresários, gestores e trabalhadores portugueses, desdenhando os sinais económicos positivos e que o PS não assumisse as suas responsabilidades pela situação a que o país chegou, de quase bancarrota.
Fonte: NM

Energia Ucrânia, Rússia e UE chegam a acordo para a venda de gás a Kiev

A Federação Russa concordou hoje em recomeçar a abastecer a Ucrânia com gás durante o inverno, num acordo intermediado pela União Europeia e concretizado em Bruxelas, informou fonte comunitária.
MUNDO
Ucrânia, Rússia e UE chegam a acordo para a venda de gás a Kiev
Os pormenores vão ser divulgados pelo presidente da Comissão, José Manuel Durão Barroso, e pelos ministros da Energia russo e ucraniano, em conferência de imprensa, a ter lugar hoje à noite, disse a fonte, sob anonimato.
A dívida ucraniana, de 2,5 mil milhões de euros, vai ser paga em duas prestações, uma agora e outra no final do ano, adiantou outra fonte, garantindo que "os ucranianos têm o dinheiro para pagar.
O acordo define um preço de 385 dólares (305 euros) por mil metros cúbicos durante o contrato, que vai de novembro deste ano até março de 2015.
Os pagamentos vão ser feitos mensal e antecipadamente.
Fonte: NM

Estudo Fatores genéticos determinarão reação do organismo ao Ébola

Fatores genéticos serão determinantes na reação do organismo dos infetados com o vírus do Ébola, alguns não têm qualquer sintoma, enquanto outros morrem, indica um estudo norte-americano realizado em ratos.
MUNDO
Fatores genéticos determinarão reação do organismo ao Ébola
Estas reações diferentes são observadas nos humanos, dado que a taxa de sobrevivência é de cerca de 30 por cento na epidemia atual, assinalam os investigadores cujos trabalhos são divulgados hoje na revista Science.
Enquanto alguns resistem completamente à infeção, outros têm sintomas que podem ser relativamente ligeiros ou graves, como hemorragias internas e falência dos órgãos levando à morte.
Estudos anteriores sobre populações afetadas pelo Ébola já mostraram que as diferentes reações não estão relacionadas com qualquer alteração particular do vírus, mas com o modo como o organismo reage contra a infeção.
Estes cientistas infetaram ratos com a mesma estirpe do vírus Ébola responsável pela epidemia que já causou perto de 5.000 mortos desde o início do ano, a esmagadora maioria na Libéria, na Serra Leoa e na Guiné-Conacri.
"Os diferentes sintomas e reações clínicas ao Ébola no grupo de ratos são até agora semelhantes na sua variedade e proporção aos observados nesta epidemia", disse Michael Katze, do departamento de microbiologia da Universidade de Washington em Seattle (noroeste), um dos principais autores da investigação.
"Os nossos dados indicam que os fatores genéticos desempenham um papel importante na evolução da infeção", adiantou.
O estudo mostra que todos os ratos infetados com Ébola perderam peso nos primeiros dias e que 19 por cento dos animais não tiveram qualquer outro sintoma.
Um outro grupo, representando 11 por cento dos ratos, mostrou-se parcialmente resistente e menos de metade morreu. No total, a mortalidade ultrapassou os 50 por cento nos 70 por cento dos ratos que ficaram doentes.
Em geral, quando a infeção ativa genes que promovem a inflamação dos vasos sanguíneos e a destruição das células, os sintomas são graves, constataram os virologistas.
Os ratos que sobreviveram tendiam a mostrar mais atividade nos genes responsáveis pela reparação dos vasos sanguíneos e pela produção das células brancas do sistema imunitário que combate a infeção.
Segundo os investigadores, os resultados deste estudo devem permitir encontrar marcadores genéticos da infeção nos humanos e avaliar a eficácia dos diferentes antivirais contra a estirpe do Ébola responsável pela atual epidemia na África ocidental.
Fonte: NM

Marques Mendes Esgotado "império da troika", partidos têm de renovar discurso

Num texto publicado na Visão, Marques Mendes defende que tanto PSD e CDS com o PS têm de renovar o seu discurso. E se António Costa precisa de se “comprometer” com ideias, PSD e CDS têm de saber apelar à “esperança”.
POLÍTICA
Esgotado império da troika, partidos têm de renovar discurso
Para Marques Mendes, os tempos que se avizinham, e já pensando no facto de em 2015 haver eleições legislativas, terão de ser de renovação de ideias. E se sobre António Costa o comentador social-democrata quer ideias, sobre a coligação governamental diz que “esgotado que está o império da troika, não pode deixar de o fazer”.
A opinião surge no seu espaço de comentário semanal na revista Visão e, para Marques Mendes, é importante que o Governo não se limite “a uma espécie de relatório e contas destes três anos de mandato”. Isto caso os partidos que compõem o Executivo queiram vencer nas urnas. O passado “conta e muito”, escreve, mas é importante um discurso de “futuro, de ambição e de esperança”.
Se PSD e CDS têm de procurar formas de “mobilizar os portugueses”, para o antigo líder ‘laranja’ o desafio do PS e de António Costa em particular é outro: “construir o seu próprio discurso porque, em boa verdade, nunca chegou a ter algum”, escreve.
Para Marques Mendes, o discurso apresentado até agora pelos socialistas “para slogan eleitoral pode chegar”. Mas é preciso explicar o tipo de reforma de Estado que quer levar avante.
Fonte: NM

Moçambique/Eleições Principais cidades calmas e quase desertas mas sob forte vigilância policial

As principais cidades moçambicanas encontravam-se esta noite praticamente desertas e com forte presença da polícia, no dia em que foram anunciados os resultados das eleições gerais que dão vitória à Frelimo e ao seu candidato presidencial, Filipe Nyusi.
MUNDO
Principais cidades calmas e quase desertas mas sob forte vigilância policial
Em Nampula, norte de Moçambique e capital do principal círculo eleitoral do país, a cidade esteve calma e deserta desde o princípio da tarde e no início da noite era visível uma grande vigilância de agentes da Polícia da República de Moçambique (PRM), em grupos de três a cinco elementos, testemunhou a Lusa no local.
As delegações dos principais partidos, Frelimo, Renamo e Movimento Democrático de Moçambique não tinham sinal de vida e não se registou nenhuma manifestação, de festa ou de contestação.
Várias empresas, organizações não-governamentais e universidades privadas encerraram as suas portas por volta das 14:00 locais (12:00 em Portugal) na capital da província de Nampula, onde o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, ganhou as presidenciais (embora o seu partido tenha perdido as legislativas) e palco de violentos confrontos no último dia de campanha e no dia da votação, 15 de outubro, envolvendo apoiantes do partido da oposição e a polícia.
As ruas da Beira, segunda maior cidade de Moçambique e bastião da oposição, também ficaram hoje desertas horas antes da divulgação dos resultados e encontrava-se à noite sob forte vigilância da Força de Intervenção Rápida (FIR), disseram à Lusa vários moradores.
Um jornalista local e um residente no bairro da Muchava, onde no dia das eleições se registaram tumultos de apoiantes da Renamo, afirmaram que circulam rumores de manifestações convocadas para a próxima madrugada, apesar do ambiente de total serenidade ao início da noite.
Hoje à tarde, o comércio encerrou e os transportes públicos abrandaram, com receio de protestos.
"As pessoas estão a preferir recolher para casa", disse à tarde Francisco Froide, um residente local, que descrevia um ambiente de "medo" na população.
No início da noite de hoje, também Maputo apresentava um cenário de tranquilidade, com poucas pessoas na rua mas com um dispositivo policial anormal nas ruas e sem sinais de celebrações de apoiantes da Frelimo nem de protestos da oposição.
A capital moçambicana despertou hoje com uma série de SMS de alerta para possíveis situações de instabilidade, na sequência da divulgação dos resultados eleitorais, o que provocou um clima de ansiedade e uma corrida de muitos pais às escolas para recolherem os seus filhos.
Ameaças de paralisação de vias, como a que liga Maputo à cidade vizinha da Matola, anúncios de concentrações de pessoas para a celebração dos resultados ou a circulação de imagens de alegadas manifestações nas redes sociais, que depois se comprovou serem de tumultos ocorridos no passado, avivaram o sentimento de insegurança, levando muitas escolas, empresas e serviços públicos a optarem pelo encerramento antecipado.
Em consequência, um anormal fluxo de pessoas ganhou vida durante o dia nas ruas da capital, com enchentes nos pontos de paragem dos transportes que fazem a ligação entre o centro da cidade e os bairros periféricos, onde fortes contingentes policiais se movimentavam.
Também no centro de Maputo, era notória uma presença reforçada da polícia, que montou operações de controlo em diversos pontos da cidade, embora não se tivessem registado quaisquer incidentes.
A Frelimo ganhou as eleições gerais em Moçambique, com uma maioria absoluta de 55,97% no parlamento, e o seu candidato, Filipe Nyusi, venceu as presidenciais com 57,03%, segundo os resultados oficiais hoje divulgados pela CNE.
A Renamo rejeitou os resultados das eleições gerais, considerando-os fraudulentos e garantiu que vai impugnar a votação.
Fonte: NM