Total de visualizações de página

segunda-feira, 31 de março de 2014

Japão é proibido de caçar baleias na Antártica

037714bfc81f6de0045f791a734ac96f1db7b6a9
O Tribunal Internacional de Justiça da Organização das Nações Unidas (ONU) decidiu que o Japão deve suspender temporariamente seu programa de caça às baleias na Antártica.
O país acusado concordou com a Austrália, que trouxe o caso para a discussão em maio de 2010, que o programa não era para a investigação científica, como reivindicado anteriormente, e disse que vai acatar a deliberação, mas que “lamenta e está profundamente decepcionado com a decisão”.

O caso

A Austrália argumentou, em 2010, que o “programa de pesquisa” japonês era caça comercial disfarçada. O Japão, por sua vez, afirmou que o processo foi uma tentativa de impor normas culturais ocidentais sobre o país.
A carne de baleia é vendida comercialmente no Japão. Embora esse comércio não seja ilegal, levou às acusações da Austrália e outras nações contra a caça de baleias de que o Japão não estava fazendo ciência na Antártica.
Apesar do país ter assinado uma proibição da caça comercial desses animais em 1986, continuou a abater baleias no norte e no sul do Pacífico sob o pretexto da pesquisa científica.
Em uma decisão demorada, o juiz-presidente do tribunal da ONU, Peter Tomka, disse que o Japão não conseguiu provar que a matança de baleias em águas antárticas a cada inverno – no âmbito de um programa conhecido como Jarpa II – era para fins científicos.
O tribunal decidiu, por 12 votos a 4, cortar todas as autorizações e licenças para a caça às baleias do Japão na Antártica.
a9bb5addd3aecebc9c9fcf5c123ad6666260f197

Ocidente x Oriente

O Japão entrou em conflito várias vezes com a Austrália e outros países ocidentais, que se opõem fortemente a caça às baleias por razões de conservação.
O país asiático sustentou que o seu abate anual de 850 baleias-minke-antártica e 50 baleias-comuns, ameaçadas de extinção, foi necessário para examinar a idade, saúde, hábitos alimentares, exposição a toxinas e outras características das populações de baleias.
Além disso, tem argumentado que as baleias-minke-antártica e uma série de outras espécies são abundantes, e que suas atividades baleeiras são sustentáveis.
7ef8e1dabaa5f1c89d4fb72df094de5bc3f2a6a1
Por fim, em sua defesa, o Japão citou apenas dois artigos científicos revisados por outros cientistas sobre seu programa, que já matou 3.600 baleias-minke-antártica, além de várias baleias comuns e jubartes, desde 2005.
Tomka afirma que essa produção científica é bastante limitada, que o Japão não ofereceu justificação científica suficiente para o abate de um grande número de baleias e que falhou em explorar a possibilidade de recolha de certos dados científicos sem precisar matar os mamíferos.
Um porta-voz do Greenpeace no Reino Unido, Willie MacKenzie, saudou a decisão da ONU. “O mito de que esta caça era de qualquer forma científica pode agora ser desmentido de uma vez por todas”, disse.
No entanto, os problemas das baleias estão longe de terminar – perto do Japão, a Noruega e a Islândia matam muito mais desses animais por seu valor comercial, desafiando abertamente a proibição da Comissão Baleeira Internacional.
Fonte: hypescience

Ouvimos a primeira palavra “falada” por um golfinho

"Vamos lá, diga 'sargaço' de novo!"
“Vamos lá, diga ‘sargaço’ de novo!”
Pela primeira vez, um dispositivo feito por cientistas permitiu que traduzíssemos o som emitido por um golfinho em tempo real. A primeira palavra que ouvimos do animal foi “sargaço”, um tipo de alga.
Desde o ano passado, os pesquisadores Denise Herzing, do Wild Dolphin Project (“Projeto Golfinho Selvagem”), e Thad Starner, do Instituto de Tecnologia da Geórgia, dos EUA, estão trabalhando em um protótipo de um tradutor da “linguagem dos golfinhos”, chamado CHAT – Cetacean Hearing And Telemetry (“Audição e Telemetria Cetácea”, em tradução livre).
O dispositivo é envolto por uma cápsula à prova d’água e contém hidrofones que detectam os sons (assobios ou apitos) feitos pelos golfinhos, que podem ser até 10 vezes mais altos que os tons que um humano consegue entender.
Os cientistas estavam ensinando e treinando um grupo desses animais a fazer certos sons, e associá-los com algas. Eles esperavam que os golfinhos adotassem os assobios, que são fáceis de distinguir de seus próprios assobios naturais – e não se decepcionaram.
Quando o aparelho pegou o apito do “sargaço”, Herzing ouviu sua própria voz gravada dizendo a palavra em seu ouvido.
O CHAT usa algoritmos padrão para analisar os assobios dos golfinhos e extrair características significativas que uma pessoa pode não pegar ou entender.
Os cientistas não querem só ouvir assobios inventados que eles ensinaram aos animais, e sim seu objetivo maior é decifrar a linguagem natural dos golfinhos.
No entanto, Herzing alerta que a observação tem limitações, uma vez que não foi repetida. Ainda assim, é um momento significativo que, juntamente com as melhorias nas capacidades de processamento de sinais de informação, pode levar a uma melhor compreensão – e possível participação humana – na comunicação animal.
O trabalho de Herzing foi interrompido recentemente porque sua equipe perdeu o contato com o grupo de golfinhos, mas eles fizeram algum progresso. Os algoritmos descobriram oito componentes diferentes em uma amostra de 73 assobios.
Os resultados são preliminares, mas os pesquisadores foram capazes de corresponder determinadas sequências desses componentes com as interações entre mãe e filhotes, por exemplo. O estudo deve continuar no próximo verão do hemisfério norte, a partir de junho.
Fonte: hypescience

4 maneiras pelas quais a mudança climática está criando um filme (real) de terror

Todo mundo sabe ou já ouviu falar do aquecimento global, agora mais precisamente chamado de mudança climática. Quase ninguém está realmente preocupado com seus efeitos, no entanto, ou exigindo que se faça alguma coisa contra o fenômeno – que os cientistas já avisaram que pode nos prejudicar bastante.
Se os pesquisadores quiserem que os cidadãos de todo o mundo prestem a devida atenção à mudança climática, não podem continuar nessa lenga-lenga de “possíveis efeitos” – tem que mostrar o filme de terror completo que ela gera e nos dizer coisas como:

4. A mudança climática está expondo e arruinando múmias de guerras passadas

4
Quando você pensa sobre derretimento de gelo e mudança climática, provavelmente se preocupa com coisas como o aumento do nível do mar e ursos polares morrendo. Mas existem outras preocupações vindas do centro desse gelo se liquefazendo lentamente.
Por exemplo, conforme a geleira Presena, no norte da Itália, descongelou gradualmente nas duas últimas décadas, vomitou alguns itens inesperados, como diários, cartas e rifles antigos. Mais recentemente, tornou-se assustadoramente claro quem possuía esses itens – porque eles estavam presos no gelo, também.
A geleira serviu como um túmulo gelado para soldados mumificados durante a Primeira Guerra Mundial, em uma batalha praticamente esquecida na qual os italianos venceram os Kaiserschutzen austríacos. Essa foi muito possivelmente a única batalha na história em que o medo de balas acertando seu crânio foi diminuído pelo medo de ser enterrado vivo por uma avalanche.

3. O aquecimento global liberta vírus que imediatamente passam a matar

3
Quando os cientistas analisaram um pedaço de permafrost (tipo de solo congelado encontrado na região do Ártico) de 30.000 anos de idade na Sibéria, descobriram algo fascinante (não no sentido positivo): um vírus zumbi que imediatamente ressuscitou.
Apelidado de Pithovirus sibericum, é o maior vírus já encontrado. E mal os cientistas acabaram de dar um nome para ele, o monstro acordou e começou a destruir amebas. Ou seja, esse vírus, que estava congelado desde que os Neandertais galopavam mamutes, imediatamente passou a matar coisas depois de ser libertado pelo nosso clima agradável.
Felizmente, este germe só tem apetite por amebas e não pode nos fazer mal, mas os pesquisadores que o descobriram levantaram preocupações de que o derretimento do permafrost poderia reviver vírus como o da varíola (ou um outro pior ainda, você entendeu a mensagem. Ou os cientistas devem sugerir a Hollywood um filme que mostre as consequências disso com mais clareza?).

2. A mudança climática permite que “muco de pedra” entupa nossos fluxos de água

2
Você sabe como às vezes filmes de terror usam iluminação (ou a falta dela), ritmo e música para construir uma crescente sensação de medo, enquanto em outras vezes pulam direto para o simples e eficaz nojento? Essa segunda opção é a tática da mudança climática, ao encorajar a proliferação de “muco de pedra” (Didymosphenia geminata).
Um novo estudo sugere que a espécie extremamente bizarra de algas, tecnicamente chamada de didymo, viu uma expansão sem precedentes em todo os EUA, Nova Zelândia, Europa e Canadá ao longo das duas últimas décadas, graças à mudança climática. Esse troço adora entupir cursos de água rochosos.
Uma vez que o aquecimento do clima derrete o gelo, está se tornando cada vez mais fácil para esta coisa chegar ao seu ponto de pesca favorito – o que significa que ele vai rapidamente perder a graça (além do fato de que se deparar com um rio entupido com essa coisa provavelmente vai te traumatizar de maneira permanente).

1. O aquecimento do clima cria hordas de mosquitos sugadores de sangue

1
No passado, a Dra. Alison Blackwell, maior autoridade em mosquitos da Escócia, fez uma previsão: os invernos mais quentes e úmidos causados pela mudança climática levariam a uma explosão na população de mosquitos (da família Chironomidae). Geralmente não temos medo desses minúsculos insetos, mas pensar em um enxame desses sugadores de sangue vindo na nossa direção (como nas imagens reais acima), prontos para nos atacar e deixar milhares de marcas vermelhas irritáveis, não é uma visão animadora.
Este ano, o prognóstico da doutora se concretizou por completo: o inverno extraordinariamente molhado do Reino Unido criou as condições perfeitas para uma imensa safra de mosquitos. No momento, ainda somos apenas sobremesa para esses bichos, mas é só uma questão de tempo até que eles unam suas cabeças miúdas para formar uma colmeia sanguessuga e devorar o mundo.
Fonte: hypescience

Ucrânia Rússia confirma retirada de forças destacadas na fronteira

A Rússia anunciou hoje a retirada de forças militares destacadas na fronteira com a Ucrânia, dias depois de Washington ter pedido ao Presidente russo, Vladimir Putin, para retirar as tropas e alivar a tensão na zona.
MUNDO
Rússia confirma retirada de forças destacadas na fronteira
Moscovo, 31 mar - A Rússia anunciou hoje a retirada de forças militares destacadas na fronteira com a Ucrânia, dias depois de Washington ter pedido ao Presidente russo, Vladimir Putin, para retirar as tropas e alivar a tensão na zona.

O Ministério da Defesa russo informou que o 15.º batalhão abandonou hoje o polígono (terreno destinado ao exercício de tiro e manobras da artilharia) de Kadamovski na região de Rostov del Don, na fronteira com a Ucrânia, e dirigiu-se para a base de destacamento regular em Samara, localizada a mais de mil quilómetros da fronteira.
O ministério precisou que o batalhão realizou durante as últimas semanas em Rostov vários exercícios, incluindo exercícios de tiro, explorações e outras táticas militares.
Algumas horas antes deste anúncio, o Ministério da Defesa ucraniano informou que tinha indicações de que as forças russas estavam a sair gradualmente da zona fronteiriça com a Ucrânia, sem especificar, no entanto, o número de militares envolvido na possível retirada.
"Nos últimos dias, as forças russas têm estado a retirar-se gradualmente da zona da fronteira", afirmou o porta-voz do ministério ucraniano, Oleksiy Dmytrashkivskiy.
Outra fonte ucraniana indicou hoje que cerca de 10 mil soldados russos ainda permaneciam junto da fronteira.
Segundo os serviços secretos norte-americanos, Moscovo tinha mobilizado para as regiões russas de Rostov no Don, Kursk e Bélgorod, que fazem fronteira com a Ucrânia, mais de 30 mil soldados, mas também blindados e meios aéreos.
Dados divulgados pelas autoridades de Kiev davam conta que quase 100 mil soldados russos, equipados com blindados, lança-mísseis, aviões e helicópteros, estavam na semana passada na fronteira com a Ucrânia à espera de ordens de Vladimir Putin.
Estas informações vieram aumentar os temores ucranianos sobre uma possível invasão das regiões orientais russófonas do país, depois do processo de anexação da república autónoma da Crimeia.
Na sexta-feira passada, durante uma conversa telefónica com Putin, o Presidente norte-americano, Barack Obama, exortou o líder russo a retirar as tropas destacadas ao longo da fronteira com a Ucrânia.
No dia seguinte, o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, negou que Moscovo tivesse planos para invadir o território ucraniano.
Fonte: NM

Real Madrid Grupo de adeptos reitera apoio a Cristiano Ronaldo

A federação de adeptos dos merengues emitiu um comunicado de apoio a Cristiano Ronaldo, depois do internacional português ter sido assobiado na vitória sobre o Rayo Vallecano (5-0).
DESPORTO
Grupo de adeptos reitera apoio a Cristiano Ronaldo
"Ao nosso querido Cristiano Ronaldo" é este o início do comunicado que a Federação de adeptos do Real Madrid emitiu de forma a manifestar o total apoio ao jogador português depois dos assobios ouvidos no jogo do passado sábado.

Depois de Carlos Ancelotti ter expressado o mal-estar do capitão da seleção nacional perante a reação da plateia durante o jogo contra o Rayo Vallecano, os adeptos do Real quiseram esclarecer quatro pontos:
"1 - Respresentas [Cristiano Ronaldo] todos os valores do madridismo: esforço, entrega, sacrifico e lealdade;
2 - Estivemos e estaremos sempre a apoiar-te de forma incondicional, conscientes de tudo aquilo que representas para o clube;
3 - O ruído de sábado não passa de manobras para distrair-te do carinho e admiração que és alvo por parte de todos os madridistas;
4 - Reconhecemos [Adeptos] que a nossa paixão nos podes levar a expressar os nossos sentimentos de maneiras que possam levar a mal entendidos. Mas só o fazemos devido a nossa paixão e orgulho por ti, enquanto membro da nossa familia madridista."
O jogo frente ao Rayo Vallecano, a contar para 31ª jornada, começou com um Santiago Bernabéu pejado de tensão, após as derrotas consecutivas frente ao Barcelona e Sevilha.
Todavia, ninguém consegue encontrar uma explicação satisfatória para o motivo que levou os adeptos a assobiar o melhor marcador do clube esta temporada, com 44 golos em todas as competições.
Fonte: NM

Turquia Erdogan insiste na radicalização do discurso após vitória nas municipais

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, prometeu hoje "ajustar contas" com os seus inimigos após a importante vitória nas eleições municipais, sugerindo novas tensões políticas num país dividido por polémicas e escândalos.
MUNDO
Erdogan insiste na radicalização do discurso após vitória nas municipais
Ao contrário de uma mensagem de apaziguamento, aguardada por diversos observadores, Erdogan optou por retomar a retórica agressiva contra a oposição que utilizou durante a campanha, em particular contra os "traidores" da organização do imã Fethullah Gulen, o seu ex-aliado e que agora prometeu "eliminar".

"Vamos procurá-los até nos seus esconderijos", prometeu perante milhares de apoiantes reunidos frente à sede do seu Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP, islamita-conservador) em Ancara. "Vão pagar o preço", prometeu, citado pela agência noticiosa AFP.
Acusado de corrupção desde há várias semanas, visado por comprometedoras escutas telefónicas divulgadas nas redes sociais, o primeiro-ministro turco conseguiu no entanto sair vencedor do "referendo", a forma como encarou o escrutínio municipal de domingo.
Os candidatos do AKP, no poder desde 2002 e com maioria absoluta no parlamento de Ancara, garantiram 45,5% dos votos, uma confortável vantagem face ao seu principal opositor, o Partido Republicano do Povo (CHP, 27,9%), e longe do Partido de Ação Nacionalista (MHP, 15,2%) e do pró-curdo Partido Paz e Democracia (BDP, 6,3%).
O AKP, que venceu todas as eleições desde 2002, conseguiu ainda manter em seu poder as duas principais cidades do país, Istambul e a capital Ancara.
A amplitude desta vitória poderá convencer Erdogan, a um ano do fim do seu terceiro e último mandato na chefia do governo, a concorrer à presidência da Turquia em agosto, numas eleições disputadas pela primeira vez por sufrágio universal direto. No entanto, também poderá prosseguir a carreira de primeiro-ministro no escrutínio legislativo de 2015, em caso de alteração dos estatutos do seu partido.
"Grande vencedor das eleições, vai provavelmente apresentar-se às presidenciais este verão", prognosticou, citado pela agência noticiosa AFP, o politólogo Soner Cagaptay, do Washington Institute, "mas isso vai encolerizar os liberais, os 'gulenistas' e a oposição laica".
Após 12 anos de poder sem partilha na liderança da Turquia, o primeiro-ministro permanece a personalidade mais carismática do país, mas também a mais controversa. Aclamado por quem o considera o responsável pelo crescimento económico, é acusado pelos opositores de "ditador" islamita.
Erdogan confrontou-se com um primeiro e sério desafio em junho de 2013, quando centenas de milhares de turcos exigiram a sua demissão na rua. E há três meses, foi de novo ameaçado por um inédito escândalo de corrupção.
Em reposta, adotou nos últimos meses diversas medidas autoritárias, e o bloqueio das redes sociais Twitter e YouTube valeram-lhe inúmeras críticas internas e externas.
Neste contexto, a sua candidatura presidencial poderá reforçar as tensões num país já muito dividido.
"A partir de agora Erdogan vai sentir-se invencível", opinou Brent Sasley, da universidade do Texas. "Vai provavelmente procurar vingar-se daqueles que, na sua perspetiva, tentaram prejudicá-lo e afastá-lo do poder".
"Nada será como antes. O primeiro-ministro decidiu avançar no caminho da divisão", lamentou por sua vez Devlet Bahçeli, o líder dos nacionalistas do MHP.
Os mercados financeiros saudaram a vitória do AKP, com a libra turca (LT) a progredir fortemente para atingir o seu nível mais elevado desde há semanas (2,15 LT por um dólar e 2,96 LT por um euro).
Fonte: NM

Guiné-Conacri Médicos Sem Fronteiras referem "epidemia sem precedentes" de Ébola

A organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) considera o surto do vírus Ébola, suspeito de ter causado a morte a pelo menos 78 pessoas na Guiné-Conacri, "uma epidemia sem precedentes" no país da África Ocidental.
MUNDO
Médicos Sem Fronteiras referem epidemia sem precedentes de Ébola
"Estamos perante uma epidemia de magnitude nunca vista, em termos de distribuição de casos no país", afirma, em comunicado, Mariano Lugli, coordenador dos MSF na Guiné-Conacri, enumerando as zonas onde o vírus já foi sinalizado: Gueckedou, Macenta, Kissidougou, Nzerekore e Conacri.

"Os MSF realizaram intervenções em quase todos os surtos de Ébola dos últimos anos, mas foram muito mais restritos geograficamente e afetaram zonas mais remotas", compara.
"Esta propagação geográfica é preocupante, porque vai complicar significativamente as tarefas das organizações que trabalham para controlar a epidemia", antecipa, no dia em que dois casos de Ébola foram confirmados na Libéria, país vizinho da Guiné-Conacri.
Os MSF contam mobilizar, até ao final da semana, 60 peritos internacionais (médicos, enfermeiros, epidemiologistas, higienistas e antropólogos) com experiência em febres hemorrágicas.
O Ébola -- nome do rio na República Democrática do Congo onde o vírus foi detetado pela primeira vez, em 1976, ainda aquele país se chamava Zaire -- transmite-se por contacto direto com o sangue, fluidos corporais e tecidos de sujeitos infetados, provocando febres hemorrágicas que podem ser fatais.
Após um período de incubação de entre dois e 21 dias, os infetados sofrem um brusco aumento da temperatura, acompanhado por fadiga intensa, dores musculares, dores de cabeça e dores de garganta. Seguem-se vómitos, diarreias, erupções cutâneas, desidratação, insuficiência renal e hepática e hemorragias internas e externas.
Não existe tratamento nem vacina, cenário que faz do Ébola um dos mais mortais e contagiosos vírus para os seres humanos.
Desde 1976, o Ébola causou a morte de pelo menos 1.200 pessoas, dos 1.850 casos detetados. Os surtos mais fortes registaram-se na República Democrática do Congo, em 1976 (318 casos), 1995 (315 casos) e 2007 (264 casos), no Sudão, em 1976 (284), e no Uganda, em 2000 (425 casos).
Fonte: NM

Beckham "Mourinho transporta o Chelsea para outro nível"

Antigo internacional inglês avisa o PSG para a qualidade das equipas treinadas pelo português
DESPORTO
Mourinho transporta o Chelsea para outro nível
David Beckham acredita que o PSG tem argumentos para bater o Chelsea nos quartos de final da Liga dos Campeões mas avisa os franceses para a qualidade das equipas orientadas por José Mourinho.

"Acho que o PSG tem boas hipóteses na Liga dos Campeões esta época. Vão defrontar o Chelsea, com José Mourinho no comando técnico, que consegue transportar a equipa a outro nível, mas acredito que eles têm uma boa hipótese", rematou, em declarações à imprensa francesa.
Fonte: NM

Militares Oficiais generais assinam petição para reestruturação da dívida

A petição que defende a reestruturação da dívida pública portuguesa foi hoje subscrita por mais 26 militares reformados, dos quais 19 oficiais generais, que se juntaram aos ex-chefes de Estado-Maior Pinto Ramalho (Exército) e Melo Gomes (Marinha).
PAÍS
Oficiais generais assinam petição para reestruturação da dívida
Entre os novos subscritores estão antigos elementos de topo da Guarda Nacional Republicana, como Mourato Nunes, Samuel Marques Mota ou Mário Cabrita.

Na maioria do Exército (sete tenentes-generais e quatro majores-generais), estes subscritores contam também com cinco vice-almirantes e dois contra-almirantes. Existem ainda mais seis coronéis e um major.
A petição já foi subscrita por cerca de 17 mil pessoas, bem acima das quatro mil necessárias para ser discutida no parlamento, mas ainda não há data para ser entregue na Assembleia da República, disse hoje à Lusa um dos subscritores, João Cravinho.
Disponibilizado na sexta-feira pelo movimento Manifesto 74, o documento reúne assinaturas de personalidades de todos os quadrantes da sociedade portuguesa.
O antigo ministro socialista das Obras Públicas João Cravinho, uma das 70 personalidades que assinou o manifesto a apelar para a reestruturação da dívida pública, disse à Lusa não estar surpreendido com a adesão, considerando que tal demonstra que "os portugueses querem tratar com seriedade e com bastante determinação os problemas fundamentais do país, como é o caso da dívida".
A petição visa conseguir que os deputados aprovem "uma resolução recomendando ao Governo o desenvolvimento de um processo preparatório tendente à reestruturação honrada e responsável da dívida", como se salienta na página oficial do Manifesto 74.
"O abaixamento significativo da taxa média de juro do 'stock' da dívida, a extensão de maturidades da dívida para 40 ou mais anos e a reestruturação, pelo menos, de dívida acima dos 60% do Produto Interno Bruto (PIB), tendo na base a dívida oficial", são as condições preconizadas pelos signatários.
A iniciativa do Manifesto 74 pretende ainda que a Assembleia da República desencadeie "um processo parlamentar de audição pública de personalidades relevantes" sobre a reestruturação da dívida de Portugal, contraída no âmbito do programa de reajustamento.
Dois dos subscritores, Sevinate Pinto e Vítor Martins, consultores do Presidente da República, foram exonerados por Cavaco Silva.
Fonte: NM

Brasileiras despem-se na internet em protesto contra violação

Depois do aparecimento de uma sondagem que indicava que muitos brasileiros acreditam que mulheres que usam roupa curta merecem ser violadas, milhares de mulheres criaram, na internet, uma onda de indignação através da publicação de fotografias onde aparecem seminuas com a hashtag #EuNaoMerecoSerEstuprada.







Na semana passada, uma sondagem do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revelou que 65% dos entrevistados (3.810 homens e mulheres) afirmam que mulheres que usam roupa reveladora merecem ser violadas e que 58,5% acreditam que existiriam menos ataques se as mulheres “soubessem se comportar”.

Em resposta, as mulheres brasileiras criaram uma campanha de protesto pelas redes sociais onde publicam fotografias delas próprias seminuas com inscrições no corpo ou em folhas de papel contra a violência sexual, acompanhadas pela hashtag #EuNaoMerecoSerEstuprada.
A campanha, no entanto, tem tido reações mistas com algumas das participantes a receberam ameaças pela internet e com algumas das fotografias a serem adulteradas por forma a dizerem “mereço ser estuprada”
Fonte: NM

Universitários Alunos do privado vão criar site com ofertas de emprego

O novo presidente da Federação Nacional do Ensino Superior Particular e Cooperativo (FNESPC), Joel Pereira, quer aumentar a empregabilidade dos diplomados, travando a emigração, criando uma plataforma `online´ para aproximar empresas, instituições de ensino e alunos.
PAÍS
Alunos do privado vão criar site com ofertas de emprego
O objetivo da plataforma é registar oportunidades de emprego, motivando contactos que se traduzam em contratos de trabalho e não apenas em estágios, explicou hoje à Lusa o dirigente estudantil, após na sua tomada de posse como presidente da FNESPC, no Palácio da Bolsa, no Porto.

"É importante investir nos estudantes para evitar que saiam do país travando, assim, a alta taxa de emigração", frisou.
O dirigente estudantil defendeu um "diálogo sério e realista" em torno da empregabilidade, realçando que o país investe nos estudantes para, depois, os deixar "fugir" para o estrangeiro.
Joel Pereira, licenciado e mestrando em Direito na Universidade Lusíada do Porto, quer ainda combater o abandono escolar no ensino superior, motivado pelas dificuldades financeiras.
O académico, que estará à frente da organização estudantil durante um ano, quer, por esse motivo, criar um fundo de emergência social para impedir as desistências.
"Queremos apoiar os estudantes e diminuir os encargos financeiros das famílias", disse.
Do Governo e das instituições de ensino superior, o novo presidente da FNESPC espera "políticas e medidas preventivas", mas do lado dos estudantes, Joel Pereira disse querer mobilizar as associações que os representam para em breve ter disponível o fundo de emergência.
Joel Pereira sugeriu ainda uma alteração do modelo de apoio aos alunos, referindo exemplos vindos do norte da Europa, onde se apoia diretamente os estudantes, a quem se atribui uma verba anual que passam a ter a responsabilidade de gerir, à semelhança da entrega de um 'voucher' ou de um 'cheque-ensino'.
Na atual conjuntura económica, o dirigente estudantil frisou que aumenta o número de estudantes a inscrever-se no ensino superior particular.
Dadas as dificuldades, os estudantes optam, cada vez mais, por uma universidade privada, em vez de ir estudar para fora de casa e pagar casa, alimentação e transportes, exemplificou Joel Pereira.
Fonte: NM

Juergen Klopp "O Real Madrid está melhor do que na última época"

Treinador do Borússia Dortmund não tem dúvidas de que os merengues estão melhores esta época do que na última, com José Mourinho
O Real Madrid está melhor do que na última época
O Borússia Dortmund eliminou o Real Madrid da Liga dos Campeões no último ano mas Klopp, treinador dos alemães, avisa que este ano os merengues estão melhores.

"Eles compraram jogadores muito bons como, por exemplo, Gareth Bale e Isco. Ele são tremendamente fortes em todos os setores, ou seja, são uma equipa completa e preparada para todas as competições", começou por dizer, na antevisão do encontro.
"Acho que o Real Madrid está melhor do que na época passada. Eles têm um grande poder ofensivo e defendem também bem", acrescentou.
Fonte: NM

Passos Coelho "Empresários não devem temer mercados externos"

O primeiro-ministro apontou hoje a rede colaborativa internacional BizFeira, destinada a dinamizar os negócios entre empresários feirenses ativos pelo mundo fora, como "paradigmática" do que se espera atualmente dos municípios portugueses e da própria diáspora.
ECONOMIA
Empresários não devem temer mercados externos
Pedro Passos Coelho discursava no lançamento da plataforma online que, criada pela Câmara Municipal da Feira como serviço gratuito, arrancou hoje com a disponibilização de dados diversos sobre 173 empresas com ligação ao concelho, entre os quais meios de contacto, tipos de produção, oportunidades de negócios e ofertas de trabalho.

"Quem perceber o que aqui se passa terá uma noção muito paradigmática do que se espera hoje em dia dos nossos municípios", defendeu o primeiro-ministro. "O projeto é paradigmático para avaliar o quanto é indispensável que, nos tempos presentes, os municípios estejam muito atentos a esta dimensão da competitividade", acrescentou.
Passos Coelho reconheceu que o sucesso do BizFeira "dependerá da forma como as empresas aderirem à plataforma", mas admitiu também que é preciso "utilizar melhor o valor associado à diáspora".
"Temos de conseguir que os nossos empresários não tenham receio de fazer uma abordagem cooperativa aos mercados externos", defendeu. "Quanto mais pudermos ser colaborantes, mais fácil será resolver o problema que as empresas têm da falta de capital", continuou
Referindo que há em todo o mundo uma quantidade significativa de empresas que pertencem a lusodescendentes, sobretudo na Europa, nos Estados Unidos da América e no Canadá, o governante assegurou que esses empresários "têm interesse em conhecer melhor o que se faz em Portugal e em ajudar à internacionalização das empresas portuguesas".
A plataforma criada pela autarquia da Feira contribui para esse propósito desde logo "por fazer uma parte do investimento em Comunicação" que seria necessário às empresas suportarem por si quando apostadas em conquistar novos mercados, referiu.
Para Emídio Sousa, presidente da Câmara da Feira, os principais objetivos da nova plataforma online são o aumento das exportações por parte de empresas do concelho, a internacionalização dos seus produtos e a atração de investimento para o território municipal.
A BizFeira deverá crescer gradualmente como "um espaço virtual de negócios, ativo e colaborativo, a alimentar e a dinamizar pelos feirenses ativos no mundo".
Realçando que o concelho já tem provas dadas ao nível da indústria da cortiça e do calçado, entre outros setores, o autarca propõe-se afirmar o 'know-how' local junto dos mercados internacionais "com ambição e sem falsas modéstias".
"Sabemos fazer e temos muita gente a fazer bem", garantiu Emídio Sousa, antes de oferecer a Pedro Passos Coelho um 'frappé' em cortiça e um par de sapatos em pele, ambos produzidos em empresas da Feira.
Fonte: NM

Palestinianos dão 24 horas a Kerry para resolver crise sobre prisioneiros

Os palestinianos deram hoje 24 horas ao secretário de Estado norte-americano, John Kerry, para resolver um diferendo com Israel sobre prisioneiros, após o que desenvolverão ações para conquistar apoio internacional.
MUNDO
Palestinianos dão 24 horas a Kerry para resolver crise sobre prisioneiros
"Se não tivermos uma resposta de John Kerry sobre os prisioneiros esta noite, começamos a procurar parceiros em todas as agências da ONU amanhã (terça-feira)", disse à agência France Presse Mustafa Barghuti, do parlamento palestiniano, na sequência de uma reunião de líderes de topo em Ramallah e que se realizou quando Kerry chegou a Israel.

Os esforços de paz dos Estados Unidos estão em risco de colapso depois de Israel recusar-se a libertar um grupo de 26 prisioneiros palestinianos de longa data, no âmbito de um acordo que levou as partes de volta à mesa de negociações em julho de 2013.
Furiosas, fontes palestinianas avisaram que, a menos que Israel mude de atitude sobre a libertação de prisioneiros, as conversações ficarão em risco.
Uma outra fonte palestiniana que participou no encontro em Ramallah disse à AFP que o Governo israelita "violou os acordos" e deve "enfrentar as consequências dessa decisão".
Fonte: NM

Políticos mundiais rendem-se às selfies

A moda veio para ficar e nem os grandes nomes do panorama político internacional lhe resistem. Veja aqui alguns exemplos de governantes que aderiram à selfie.









Seja Angela Merkel, a chanceler alemã, numa tentativa de se aproximar dos seus conterrâneos mais jovens ou Nicolás Maduro, o presidente argentino, num esforço para internacionalizar a sua imagem, o facto é que as selfies estão perfeitamente enraizadas até no panorama político.

Presidentes, primeiros-ministros, mayors e candidatos presidenciais, todos querem um espaço online através da nova técnica de captação de imagem.
Fonte: NM

Sony Novo álbum de Michael Jackson, "Xscape", é editado a 13 de maio

Um novo álbum de Michael Jackson, falecido em 2009, intitulado "Xscape", constituído por oito canções, é editado no dia 13 de maio, anunciou hoje a discográfica Sony Music.
CULTURA
Novo álbum de Michael Jackson, Xscape, é editado a 13 de maio
"O projeto inclui oito novos temas, que o mundo irá ouvir pela primeira vez neste novo álbum. Para a derradeira experiência de fã, 'Xscape' também irá estar disponível numa edição de luxo, que inclui todas as gravações de Michael Jackson no seu formato original", lê-se no comunicado hoje divulgado.

"Xscape" tem produção executiva do presidente da Epic Records, que o chancela, L.A. Reid, que, "após ter feito uma exploração inicial dos arquivos do cantor através do seu legado, recebeu um acesso ilimitado aos tesouros que representam quatro décadas de material sobre o qual Michael Jackson tinha contribuído com a sua prestação vocal".
"Xscape" é uma edição discográfica conjunta da Epic Records e do "Legado de Michael Jackson", instituição que zela pelo seu espólio criativo, cujos executores são John Branca e John McClain.
O título do álbum, explica a Sony em comunicado, "honra o processo de atribuição de nomes de Michael Jackson, que escolhia sempre uma canção do álbum para batizar os seus projetos e, começando com 'Thriller', utilizava títulos com apenas uma palavra, todos com um certo toque arrojado".
"Tal também se verifica no novo projcto, composto por Michael Jackson e Jerkins, com produção de Jackson e Jerkins, 'Xscape' tem um significado adicional no sentido em que é a única faixa do álbum que foi 'contemporizada' pelo produtor que gravou o tema originalmente em estúdio com o cantor", acrescenta a discográfica.
Timbaland é o principal produtor do álbum e, entre os produtores adicionais estão Rodney Jerkins, Stargate, Jerome "Jroc" Harmon e John McClain.
O cantor norte-americano sofreu uma paragem cardíaca e morreu no dia 25 de junho de 2009, na sua residência em Holmby Hills, na Califórnia, cerca de um mês antes de completar 51 anos.
Fonte: NM

Populares Movimento quer oferecer "bilhete" a Passos para emigrar

Populares que apoiam o Movimento Irrevogável tentaram hoje, na Feira, oferecer um bilhete de avião simbólico ao primeiro-ministro, para que ele "faça aquilo a que vem obrigando os portugueses e emigre para longe".
PAÍS
Movimento quer oferecer bilhete a Passos para emigrar
A tentativa deu-se nos portões de entrada no centro de congressos do Europarque, antes da apresentação da rede internacional de negócios BizFeira, e o líder do movimento explicou à Lusa que, embora o bilhete de avião seja apenas simbólico, expressa "a vontade real de que Pedro Passos Coelho faça aquilo a que vem obrigando os portugueses e também emigre".

O primeiro-ministro usou uma entrada secundária e evitou assim receber o bilhete simulado sem destino de voo específico, mas o líder do movimento, Victor Pinto, declara que a oferta mantém-se: "O primeiro-ministro pode escolher o destino que quiser, desde que seja o mais distante possível de Portugal".
As razões para que o Movimento Irrevogável pretenda esse afastamento "devem-se ao facto de que este Governo ainda não apreendeu o significado da palavra 'irrevogável' e continuar sem perceber que todas as suas ações são contraproducentes".
Para Victor Pinto, são disso exemplificativos os dados "absolutamente isentos" do Instituto Nacional de Estatística (INE), que recentemente demonstrou que "25,5% dos portugueses viveram em 2013 com privações materiais, o que representa mais 3,7% em relação aos valores de 2012".
O Movimento Irrevogável defende, por isso, que "a realidade do país está em total desacordo com qualquer tipo de milagre económico como o que o Governo está sempre a apresentar".
Considerando que, ainda com base em dados do INE, a taxa de pobreza vem aumentando gradualmente desde 17,9% em 2009 até 24,7% em 2012, Victor Pinto declara também: "Tem havido um crescimento constante, realmente, mas é da pobreza".
Outra referência estatística que, para esse responsável, demonstra que "não se pode confiar minimamente neste Governo" é o agravar da própria dívida púbica portuguesa, que "em 2009 era de 126 mil milhões de euros e em fevereiro deste ano já vai em mais de 212 mil milhões".
Se a emigração tem sido a única alternativa para um crescente número de portugueses, Victor Pinto afirma que, "para bem do país", o primeiro-ministro deve seguir-lhes o exemplo.
"Aqui ele já demonstrou que só sabe empobrecer toda a gente", explica. "Mais vale ir para fora, para não nos deixar pior do que já estamos", conclui.
O Movimento Irrevogável nasceu em Aveiro na sequência da demissão que Paulo Portas anunciou como "irrevogável" e após a qual foi nomeado vice-primeiro-ministro de Portugal.
A estrutura resulta do que os seus responsáveis definem como "um congregar de vontades" empenhado em demonstrar que, apesar de a democracia representativa eleger os governantes, a sociedade tem o direito e o dever de, posteriormente, "fiscalizar aquilo que os partidos prometem".
A concentração de hoje verificou-se na entrada do Europarque, dado que a PSP impossibilitou a entrada dos manifestantes no recinto. No local estiveram cerca de 50 pessoas, entre as quais representantes de diversos setores de atividade abrangidos pela da Uniao de Sindicatos de Aveiro.
Fonte: NM

Medina Carreira "Os cortes são angustiantes porque o tempo é curto"

Henrique Medina Carreira, antigo ministro das Finanças, disse esta segunda-feira na rubrica ‘Olhos nos olhos’ da TVI24 que o problema dos cortes na despesa se torna mais “angustiante” devido à duração em que foi estabelecido o acordo com a troika, defendendo que três anos “são uma lástima”.
ECONOMIA
Os cortes são angustiantes porque o tempo é curto

“O problema dos cortes na despesa é angustiante porque o tempo é curto”, defendeu Medina Carreira no seu espaço habitual de comentário na TVI24. De acordo com o antigo ministro das Finanças, “o maior erro deste acordo foi a duração”.

Para Medina Carreira, o curto espaço de tempo negociado com os credores internacionais aliado às possíveis intervenções do Tribunal Constitucional dificultam o trabalho do Estado na aplicação dos cortes necessários à redução da despesa.
“Nós não teríamos as angústias que temos se tivéssemos um período de tempo mais largo (…) para relançar a economia portuguesa. A verdade é que estes três anos são uma lástima”, esclareceu, acrescentado que essa é a razão por que a austeridade se tornou tão intensa.
O comentador de segunda-feira da TVI24 acrescentou ainda que a forma como Portugal sai do programa de ajustamento [saída limpa ou com cautelar] é irrelevante “porque o importante é cumprir o tratado orçamental”.
Fonte: NM

domingo, 30 de março de 2014

A simples “regra do um dedo” que vai cortar seus gastos desnecessários

170881943-1
O consumismo exagerado é com certeza um dos maiores problemas da humanidade. Que atire a primeira peça com etiqueta aquele que nunca comprou alguma coisa que nunca usou. Ou pensou, imediatamente assim que chegou em casa, “onde é que eu vou com isso”?
Bom, mesmo que você não seja uma vítima do consumismo desnecessário, deve conhecer pelo menos uma pessoa que é. E, sendo assim, vai ficar feliz com o que vamos falar aqui hoje. De acordo com a escritora de finanças Kim McGrigg, existe uma regra bem simples que podemos aplicar na hora das compras e que pode reduzir consideravelmente nossos gastos.
É a chamada “regra do um dedo”.
Segundo um estudo desenvolvido na UCLA – Universidade da Califórnia em Los Angeles (Estados Unidos) -, tocar os objetos pode tornar uma pessoa mais propensa a comprá-lo. Isso porque o toque cria um senso de “propriedade percebida”, que influencia diretamente aquela sensação de “minha vida não vai mais fazer sentido se eu não comprar isso agora”. E foi com base nesses estudo que Kim desenvolveu a regra.
Ela mesma explica como funciona: “Você pode tocar tudo o que quiser, mas com apenas um dedo”.
Ela criou essa técnica depois de fazer uma visita ao museu com 30 crianças de pré-escola. Durante o passeio, as crianças tiveram permissão para tocar tudo o que quisessem, mas com apenas um dedo. “E funcionou tão bem que eu decidi transformar em uma regra de compras”, completa a escritora.
A regra funciona com crianças porque satisfaz a necessidade de tocar as coisas, e também impede o mau uso dos objetos. Como adultos, nós ainda temos resquícios desse desejo de “ver com as mãos”, só que um pouco menos urgente do que era na infância. Usando a “regra do um dedo”, então, podemos satisfazer esse desejo sem, contudo, ficarmos mais suscetíveis a efetuar compras e mais compras – o que nos levaria a gastar menos.
Infelizmente, essa ideia não se aplica à compras online. Mas, da próxima vez que você estiver em uma loja física, em um momento de fraqueza, vale tentar colocar a “regra do um dedo” em prática. 
Fonte: hypescience

Atividade cerebral aumenta momentos antes da morte

Algumas pessoas que estiveram à beira da morte mas sobreviveram para contar a história já relataram experiências interessantes. Entre as visões de moribundos mais comuns, estão a de se caminhar em direção a uma luz brilhante ou estar flutuando acima do próprio corpo. Cientistas da Universidade de Washington (EUA) divulgaram um estudo a respeito dessas sensações.
A partir do acompanhamento do cérebro de sete pessoas em estado terminal através de eletro encefalogramas (que medem os impulsos elétricos no cérebro), eles descobriram que há uma cascata de impulsos nervosos quando o organismo sente que a morte se aproxima. O fenômeno, geralmente, atinge um pico e decresce. Quando ele acaba, a pessoa normalmente é declarada, embora haja exceções, é claro, de pessoas que acabaram sobrevivendo. A partir delas e de seus relatos, aliás, é que partiu o estudo.~
A explicação encontrada para o processo é a seguinte: como o fluxo de sangue no cérebro diminui e há uma queda vertiginosa no nível de oxigênio, os neurônios (células do cérebro) reconhecem o sinal e lançam seus últimos impulsos elétricos em uma descarga rápida e intensa, o que provoca as sensações relatadas. Cada história de sobrevivente de estado terminal tem características únicas, o que mostra que os cérebros reagem de forma diferente a essa derradeira (ou não) descarga nervosa.
Fonte: hypescience

Animação suspensa: testando uma técnica inédita

emergency-room--5-larry-mulvehill
Meio vivos, meio mortos. Vítimas de facadas e de armas se fogo terão seus corpos resfriados no final deste mês, quando uma técnica inovadora de emergência será testada pela primeira vez. Médicos vão tentar salvar a vida de dez pacientes colocando-os em animação suspensa, ganhando tempo para tratar de seus ferimentos.
A equipe de cirurgiões está neste momento de plantão no Hospital Presbiteriano de Pittsburgh, Estados Unidos, para executar a operação que tem como objetivo dar mais tempo para que os médicos consigam corrigir lesões que de outra forma seriam letais.
“Estamos suspendendo a vida, mas não gostamos de chamá-la de animação suspensa porque soa como ficção científica”, diz Samuel Tisherman, o cirurgião do hospital que está conduzindo a operação experimental. “Nós preferimos chamar de preservação de emergência e reanimação”.
Embora os médicos envolvidos não gostem da associação, as técnicas que serão usadas são, de fato, dignas de filme de ficção científica – o personagem Han Solo, da franquia Guerra nas Estrelas, por exemplo, foi congelado em animação suspensa para seu transporte, uma manobra praticamente idêntica à qual os cientistas esperam realizar com pacientes reais.
Haverá a substituição de todo o sangue do paciente por uma solução salina fria, que resfria rapidamente o organismo inteiro e faz parar quase toda a atividade celular. “Se um paciente chega até nós duas horas depois de morrer, nós não conseguimos trazê-lo de volta à vida. Mas se ele está morrendo e nós conseguirmos suspendê-los, temos chances de ressuscitá-lo depois de seus problemas estruturais serem corrigidos”, explica Peter Rhee, da Universidade do Arizona, EUA, um dos cirurgiões que ajudaram a desenvolver a técnica.
Os benefícios da refrigeração, ou hipotermia induzida, são conhecidos há décadas. Na temperatura normal do corpo (pouco menos de 37°C), as células precisam de um fornecimento regular de oxigênio para produzir energia. Quando o coração para de bater, o sangue não carrega mais oxigênio para as células. Sem oxigênio, o cérebro só é capaz de sobreviver por cerca de 5 minutos antes que o dano ao organismo se torne irreversível.
No entanto, em temperaturas mais baixas, as células necessitam de menos oxigênio, uma vez que todas as reações químicas diminuem de intensidade. Isso explica por que as pessoas que se afogaram em lagos gelados às vezes podem ser revividas mais de meia hora depois de terem parado de respirar.
Pouco antes de cirurgias convencionais no coração ou no cérebro, é comum os médicos diminuírem a temperatura do corpo do paciente usando blocos de gelo e fazendo o sangue circular por meio de um sistema de refrigeração externa. Esta tática pode render até 45 minutos em que o fluxo de sangue cessa e a cirurgia pode ser realizada. No entanto, o processo de resfriamento leva tempo e só pode ser feito com preparação e planejamento cuidadosos.
Quando alguém chega a um pronto-socorro com um ferimento de bala ou de um objeto perfuro-cortante, o resfriamento lento não é uma opção. Muitas vezes, o seu coração já parou de bater devido à perda excessiva de sangue, deixando aos médicos apenas alguns minutos para parar o sangramento e reanimar o coração. Mesmo que o sangramento possa ser interrompido, não é como encher um tanque de gasolina vazio.
A ressuscitação é uma manobra extrema e arriscada, que expõe o corpo a um recebimento intenso e repentino de oxigênio. Isso pode fazer com que alguns tecidos liberem substâncias químicas que danificam as células e causem lesão por reperfusão fatal – em que uma célula que tenha sofrido lesão reversível causada pela falta de oxigênio pode ser levada à morte justamente no caso de a oferta de O2 ser restabelecida de súbito.
Encontrar maneiras de resfriar o corpo até atingir o estado de animação suspensa, em que as pessoas já não estão vivas, mas ainda não estão mortas, poderia dar aos médicos mais tempo para agir em casos de emergência.
A técnica foi demonstrada pela primeira vez em suínos em 2002 por Hasan Alam e colegas do hospital da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos. Os animais foram sedados e induzidos a uma hemorragia maciça para imitar o efeito de múltiplos ferimentos de bala. O sangue dos porcos foi drenado e substituído por uma solução salina fria de potássio, o que resfriou rapidamente o corpo em cerca de 10°C. Depois que os ferimentos foram tratados, o organismo dos animais foi gradualmente aquecido à medida que a solução era substituída de volta pelo sangue original dos porcos.
O coração dos porcos voltou a bater normalmente por si só, embora alguns animais tenham precisado de uma ajuda no início. Os cientistas observaram que a experiência não afetou de forma alguma as funções física ou cognitiva dos porcos.
“Depois que fizemos essas experiências, a definição de ‘morto’ mudou”, relata Rhee. “Todos os dias, no trabalho, eu declaro várias pessoas como mortas. Elas não têm nenhum sinal de vida, nenhum batimento cardíaco, nenhuma atividade cerebral. Eu assino um pedaço de papel sabendo, no meu coração, que elas não estão realmente mortas. Eu poderia, ali mesmo, realizar a suspensão. É frustrante saber que há uma solução”, completa.
Esta solução será posta à prova em seres humanos pela primeira vez. Uma reunião ainda no final deste mês de março irá definir a equipe de médicos que estará totalmente preparada para fazer o experimento. Eles terão apenas de esperar o paciente certo chegar. Essa pessoa precisará ter sofrido uma parada cardíaca após uma lesão traumática, e não ter respondido às tentativas de reanimação de seu coração. “O paciente provavelmente já terá perdido cerca de 50% do seu sangue e seu peito já estará aberto”, diz Tisherman. A equipe vê um desses casos a cada mês. A chance de sobrevivência de uma pessoa nesse caso é inferior a 7%.
A solução salina fria é injetada diretamente no coração e levada para o cérebro – as áreas mais vulneráveis à situação de falta de oxigênio. Para fazer isso, a região inferior do coração deve ser estancada e um cateter é colocado na aorta (a maior artéria do corpo) para transportar a solução salina. A região do coração é depois liberada para que a solução salina possa ser artificialmente bombeada para todo o corpo. Demora cerca de 15 minutos para que a temperatura do paciente caia 10°C. Neste ponto, ele não terá sangue algum em seu corpo, não estará respirando e não haverá atividade cerebral. Ele estará clinicamente morto.
Neste estado, quase não há reações metabólicas acontecendo no corpo, de modo que as células podem sobreviver sem oxigênio. O paciente é então desconectado de todas as máquinas e levado para a sala de cirurgia, onde os cirurgiões têm até 2 horas para reparar a lesão. A solução salina, na sequência, é substituída pelo sangue e, se o coração não voltar a bater sozinho, o paciente é ressuscitado. O sangue vai aquecer o corpo lentamente, o que deve ajudar a evitar lesões de reperfusão.
A técnica será testada em dez pessoas, e os resultados serão comparados com o de outros dez pacientes que preencheram os critérios, mas que não foram tratados desta forma. A técnica será replicada em outras dez pessoas, conta Tisherman, até que haja resultados suficientes para uma análise aprofundada. “Nós sempre presumimos que não é possível trazer os mortos de volta, mas isso é tudo uma questão de por quanto tempo nós conseguimos conservar as células”, explica Rhee.
O experimento da equipe de Pittsburgh com a animação suspensa levanta questionamentos sobre o que pode acontecer se esse estado for prolongado por muito tempo. Afinal, será que a hibernação humana pode, de fato, acontecer?
Algumas pistas para responder esta questão podem ser encontradas em nossos genes. O lêmure anão de rabo de gordo é o único primata conhecido capaz de hibernar. Seu cérebro pode conter pistas sobre os mecanismos genéticos por trás de tal flexibilidade metabólica. A pesquisadora Kathrin Dausmann, da Universidade de Hamburgo, na Alemanha, que fez a descoberta com seus colegas em 2004, avalia que os seres humanos podem ter os genes para hibernar, mas nós simplesmente não os acionamos.
Produtos químicos também podem ajudar na manutenção de um metabolismo mais lento. Cientistas do Centro Fred Hutchinson de Pesquisa sobre o Câncer, em Seattle, EUA, usaram ácido sulfídrico para colocar ratos em animação suspensa durante 6 horas. O gás desacelera o metabolismo, limitando a absorção de oxigênio pelas células. Eles estudam agora uma substância química encontrada em nosso próprio corpo capaz de diminuir o metabolismo naturalmente.
Para Peter Rhee, no final das contas, tudo pode virar uma questão financeira. “Quando eu estava na faculdade de medicina, após 5 minutos de morte cerebral o paciente já estava morto. Agora, nós podemos aumentar esse período para horas. Com tempo e dinheiro, talvez possamos começar a pensar sobre como estender a animação suspensa para meses e até anos”, projeta.
Fonte: hypescience