Total de visualizações de página

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Maduro agradece ao papa por mensagem enviada à Venezuela

O papa Francisco expressou no dia 26 de fevereiro sua preocupação pela situação na Venezuela

Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, cumprimenta seus apoiadores durante campanha com fazendeiros em Caracas, na Venezuela
Nicolás Maduro: "Sua mensagem [do papa] à Venezuela é perfeita, eu convido todos os presentes nesta mesa de trabalho para que leiam e que o processem cada palavra, cada frase"

Caracas - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, agradeceu nesta sexta-feira a mensagem que o papa Francisco enviou ao seu país pedindo o fim da violência e a reconciliação.

"Sua mensagem à Venezuela é perfeita, eu convido todos os presentes nesta mesa de trabalho para que leiam e que o processem cada palavra, cada frase", disse Maduro ao liderar uma reunião da Conferência pela Paz, que foi iniciada na quarta-feira e à qual convocou a todos os setores do país.
O papa Francisco expressou no dia 26 de fevereiro sua preocupação pela situação na Venezuela, onde desde 12 de fevereiro ocorrem protestos nos quais já morreram 17 pessoas e mais de 200 ficaram feridas, e fez uma chamada para a cessação da violência no país e que a reconciliação seja favorecida através do diálogo.
"Sigo com particular apreensão do que está ocorrendo nestes dias na Venezuela, peço que cessem o mais rápido possível com a violência e com as hostilidades e sobretudo que o povo venezuelano, a partir dos políticos e das instituições, cheguem à reconciliação", disse em sua carta Francisco.
Maduro afirmou que a mensagem do papa é "extraordinária" e apontou que "seguramente" foi pensada "por ele mesmo e pelo secretário de Estado (do Vaticano) Pietro Parolín que tanto conhecemos", disse ao se referir de quem fora núncio na Venezuela até meados do ano passado.
"Acho que o papa enviou uma mensagem de boa fé para nossa pátria e a acolhemos plenamente, sem rodeios", disse. Maduro ainda comentou que o mesmo ocorre com as mensagens de paz enviadas "pelos irmãos" judeus, muçulmanos e cristãos evangélicos.
"Eu sigo insistindo no espiritual", comentou durante a reunião, à qual também esteve presente o novo núncio apostólico na Venezuela, Aldo Giordano, e a quem pediu que transmitisse sua mensagem de agradecimento ao papa.
Francisco recebeu em junho do ano passado ao presidente, Nicolás Maduro, e seis meses depois esteve com o líder da oposição venezuelana, Henrique Capriles.
Fonte: EXame.com

Paraísos financeiros bloqueiam bens de clã de Yanukovytch

Suíça, Áustria e Liechtenstein decidiram atacar portfólio do ex-presidente ucraniano, enquanto sanções prometidas pela UE não se concretizam

O presidente ucraniano destituído, Viktor Yanukovych
Viktor Yanukovych: autoridades judiciais de Genebra anunciaram lançamento de uma investigação criminal contra o presidente deposto e seu filho por "lavagem de dinheiro"

Suíça, Áustria e Liechtenstein, paraísos financeiros muito apreciados pelos oligarcas, decidiram atacar o portfólio do presidente ucraniano destituído Viktor Yanukovytch e de seu clã, enquanto as sanções prometidas pela UE demoram a se concretizar.

Viena anunciou o congelamento das contas bancárias de 18 cidadãos ucranianos suspeitos de atentar contra os direitos humanos e de corrupção, mas não divulgou seus nomes.
Já o governo suíço ordenou o congelamento dos bens de vinte autoridades ucranianas, entre elas o próprio presidente destituído, seu filho Alexander e vários ministros do governo anterior.
E Liechtenstein seguiu o exemplo, publicando uma ordem idêntica à de Berna, com a mesma lista de afetados.
Ao mesmo tempo, as autoridades judiciais de Genebra anunciaram o lançamento de uma investigação criminal contra o presidente deposto e seu filho por "lavagem de dinheiro".
A decisão, solicitada pelo governo de transição em Kiev, foi apresentada em Viena como "uma medida de segurança provisória até a entrada em vigor das medidas da União Europeia".
A UE decidiu em 20 de fevereiro adotar sanções específicas, incluindo a proibição de vistos e o congelamento de bens de personalidades com ligações diretas com Yanukovytch.
Até o momento, nenhuma medida entrou em vigor, e Bruxelas parece disposta a adiar essa decisão. "O trabalho técnico continua", disse uma fonte ligada ao caso, sugerindo que as sanções não são uma prioridade.
"Nenhuma decisão política foi tomada nesta fase", indicou o porta-voz da Comissão, Olivier Bailly, em Bruxelas. "Não há, no momento, uma decisão final dos Estados membros sobre o alcance dessas sanções", insistiu.
De acordo com observadores citados pela agência austríaca APA, a hesitação da Europa fez com que a Áustria decidisse agir.
Viena é considerada em Kiev como um paraíso financeiro para os oligarcas que se enriqueceram graças a Yanukovytch. Além disso, sua reputação está em jogo na Europa, já que é um dos últimos redutos de resistência aos esforços da UE para melhorar a transparência das atividades bancárias.
Para a Suíça, o governo "quer evitar qualquer possível utilização indevida de recursos públicos ucranianos".
Entre os visados por essas sanções na Áustria, os nomes mais citados são o do ex-premiê Mykola Azarov e do ex-chefe de gabinete presidencial Andreï Kliuev.
Os dois também constam na lista divulgada pelas autoridades suíças, que também inclui onze ex-ministros do governo destituído, além do ex-procurador-geral, do prefeito da cidade Kharkov e do governador da província de Kharkov.
Fonte: Exame.com

Mortes em protestos na Venezuela chegam a 17

Segundo procuradora-geral, 261 pessoas ficaram feridas em episódios de violência que acompanharam os protestos contra o governo

Manifestante anti-governo durante confronto com as forças policiais na praça Altamira, em Caracas, na Venezuela
Manifestante anti-governo durante confronto com as forças policiais na praça Altamira, em Caracas, na Venezuela

Caracas - O número de mortes em mais de três semanas de instabilidade política naVenezuela aumentou para 17, após a morte de um jovem ontem no Estado de Carabobo que havia recebido um tiro quando estava limpando uma rua. As informações foram divulgadas pela procuradora-geral do país, Luisa Ortega, nesta sexta-feira.

Luisa disse a repórteres que 261 pessoas ficaram feridas em episódios de violência que acompanharam os protestos contra o governo. Cinquenta e cinco pessoas foram presas, entre elas oito membros do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional, três guardas nacionais e três policiais. "O Estado venezuelano tem atuado para castigar e aplicar sanções aos responsáveis pela violação de direitos humanos", afirmou. Conforme Luisa, o Ministério Público abriu 27 investigações por denúncias desse tipo.
Nesta sexta-feira, a capital venezuelana e outras cidades do interior do país foram cenário de uma nova jornada de protestos, com avenidas sendo bloqueadas por dezenas de manifestantes. Pelo segundo dia seguido, algumas das principais vias do leste da capital Caracas foram interrompidas com barricadas de detritos e troncos de árvores instaladas por manifestantes, em protesto contra a administração de Nicolás Maduro.
Embora as atividades públicas e comerciais tenham sido suspensas desde ontem por decisão do governo, que aumentou de quatro para seis dias o feriado oficial de Carnaval, em alguns pontos da cidade eram vistas longas filas de veículos devido a bloqueios de vias. As barricadas também forçaram dezenas de pessoas a andar vários quilômetros para chegar às suas casas e a algumas lojas que abriram na sexta-feira. No meio da manhã, pelo menos quatro aeronaves militares sobrevoaram Caracas, o que chamou a atenção da população. As autoridades não informaram os motivos da ação.
Em outras cidades venezuelanas, como Valência, Mérida e San Cristóbal também foram registrados bloqueios de vias, de acordo com a imprensa local. Fonte: Associated Press.
Fonte: Exame.com

Farc querem que EUA participem de negociações de paz

Grupo afirma que isso iria acelerar o processo porque, de qualquer modo, o governo norte-americano está tomando todas as decisões

Fabián Ramírez, negociador das Farc, chega para as conversações de paz com o governo colombiano em Havana, Cuba
Fabián Ramírez, negociador das Farc, chega para as conversações de paz com o governo colombiano em Havana, Cuba

Havana - O grupo guerrilheiro colombiano Farc pediu que os Estados Unidos se unam às conversações de paz com o governo colombiano, dizendo que isso iria acelerar o processo porque, de qualquer modo, o governo norte-americano está tomando todas as decisões importantes.

O governo colombiano e o Departamento de Estado dos EUA não responderam de imediato ao pedido, que provavelmente será rejeitado pelas autoridades daColômbia com base na soberania nacional.
"Nós estamos discutindo uma questão do interesse dos Estados Unidos", disse a repórteres o chefe da equipe negociadora das Farc em Havana, Iván Márquez, antes do início da última rodada de conversações.
"Quem está de fato determinando o que acontece ou não aqui é o governo dos EUA, por isso nós gostaríamos de conversar com o governo dos EUA... Nós chegaríamos a um acordo mais rapidamente", disse Márquez.
Nos últimos 15 meses, Cuba vem sediando as conversações com o objetivo de pôr fim a meio século de guerrilha na Colômbia, a mais longa na América Latina, na qual morreram cerca de 200.000 pessoas e outros milhões foram forçadas a abandonar suas casas. A Noruega participa das conversações como mediador facilitador.
As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) criticaram um suposto encontro nesta semana entre os EUA e a Colômbia. Segundo o grupo, o ministro da Defesa colombiano, Juan Carlos Pinzón, se reuniu com o Departamento de Estado dos EUA e a Agência Central de Inteligência (CIA). A Reuters não confirmou se tal encontro de fato ocorreu.
Os Estados Unidos deram à Colômbia ajuda militar para combater as Farc e outros grupos guerrilheiros que procuravam derrubar o governo colombiano e forjavam alianças com narcotraficantes.
Durante décadas, insurgentes esquerdistas da América Latina acusaram os EUA de conduzir os governos e a estratégia militar na região, uma queixa que tinha mais ressonância durante a Guerra Fria, quando os norte-americanos participaram ativamente de golpes militares e usaram sua influência desproporcional para tornar as economias latino-americanas abertas aos interesses dos EUA.
Depois do fim da Guerra Fria e dos atentados de 11 de setembro de 2001, porém, muitos analistas consideram que os EUA perderam interesse na América Latina e até mesmo ignoram a região.
As Farc também anunciaram nesta sexta-feira que o comandante guerrilheiro Fabián Ramírez, líder de uma facção conhecida como Bloco Sul, aderiu às conversações de paz, em um significativo sinal de unidade dos rebeldes.
Governo e rebeldes chegaram a um acordo provisório em dois dos cinco grandes tópicos em discussão: a questão das terras e o futuro político das Farc como um grupo desarmado. Eles estão se encaminhando para a busca de um terceiro acordo, no tema do tráfico de drogas.
Fonte: Exame.com

Obama diz que o exército dos EUA está construindo o Homem de Ferro

612849920981643298
O discurso oficial do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, após uma reunião com engenheiros e funcionários do Pentágono no último dia 25 poderia ter sido como outro qualquer. Mas não foi. Nele, Obama disse as seguintes palavras: “Basicamente, estou aqui para anunciar que estamos construindo um Homem de Ferro. Este é um projeto secreto com o qual estamos trabalhando há muito tempo”. Depois ele desconversou: “Na verdade, não. Talvez. É confidencial”.
As pessoas presentes riram, mas a mais pura verdade é que sim, os militares dos EUA estão construindo um “Homem de Ferro”. E não estamos falando de um plano mirabolante para as próximas décadas: os primeiros protótipos devem ficar prontos já em junho deste ano. Confira o trecho do discurso em que Obama fala sobre o assunto. Infelizmente, as legendas não estão disponíveis, mas vale a pena para perceber o traquejo do presidente e a reação bem-humorada da plateia (em certo momento, temos a impressão de que se trata de um show de humor no formato stand up comedy):
A grande sacada aqui é que isso tudo que Obama declarou em tom de brincadeira é real. Não apenas o Pentágono está trabalhando firme na construção de um Homem de Ferro, como também este fato já havia sido confirmado pelo Exército dos EUA algumas vezes. Na realidade, junto com robôs, o Homem de Ferro é uma das maiores apostas do Exército, assim como a Força Aérea e a Marinha estadunidense aposta suas fichas nos drones (veículos aéreos não tripulados).
No ano passado, o site Gizmodo já havia noticiado o fato. À época, já se sabia até os componentes que a armadura dos “Homens de Ferro” do Exército teriam. Oficialmente chamada de Uniforme Leve Operador de Ataque Tático (TALOS, na sigla em inglês), a vestimenta pode não ter a capacidade de voar, nem pequenos mísseis acoplados, mas sua lista de recursos ainda é extremamente impressionante.
A ideia é que os uniformes rígidos tenham proteção a bala e a choque graças a uma armadura que reveste tanto a superfície macia e flexível da armadura até a parte de metal mais dura e sólida, capaz de repelir com segurança uma corrente elétrica, por exemplo. Além disso, deve ter capacidade corta-fogo. O Exército também havia mostrado interesse na função de armazenamento e liberação de energia para evitar lesões e melhorar o desempenho de seus soldados. Ou melhor, homens de ferro.
Para completar, a vestimenta terá sensores integrados de comunicação, corporais e externos, além de uma tela que trará informações e gráficos em tempo real da batalha em questão. Isso e um óculos de visão noturna. Todas essas tecnologias, por mais futuristas que possam parecer, já existem e estão disponíveis à equipe que trabalha neste grande projeto.
William McRaven, chefe do Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos, confirmou que três protótipos já estão sendo montados e devem ser entregues em junho para testes. É o primeiro passo até a efetiva implantação dos Homens de Ferro, prevista para agosto de 2018. Segundo McRaven, o processo produzirá uma melhoria revolucionária na capacidade de sobrevivência dos usuários – uma enorme vantagem comparativa sobre os inimigos.
Nada mais nada menos do que 95 instituições dos EUA estão envolvidas no projeto: 56 empresas privadas, 16 agências governamentais, 13 universidades e 10 laboratórios nacionais. Agora é esperar para ver se os protótipos que serão apresentados daqui a 4 meses corresponderão às expectativas. E se, em 2018, nas guerras em que os Estados Unidos costumam se meter, seus homens se parecerão menos com soldados da Segunda Guerra e mais com super-heróis de filmes de Hollywood.
Fonte: hypescience

Revelação Mundial de futebol levou Bento XVI a antecipar renúncia

O Mundial de futebol, que vai realizar-se no Brasil em junho, levou indiretamente o papa emérito Bento XVI a antecipar em um ano a renúncia, em fevereiro de 2013, contou hoje o secretário particular à imprensa alemã.
MUNDO
Mundial de futebol levou Bento XVI a antecipar renúncia
Ao suplemento semanal do diário Suddeustsche Zeitung, da Baviera (sul), o arcebispo Georg Ganswein disse que Bento XVI resignou mais cedo do que pretendia, depois de as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), no Rio de Janeiro, inicialmente previstas para o verão de 2014, terem sido antecipadas para o verão passado, para não coincidir com o Mundial de futebol.

Isso "passou-se exatamente assim", declarou Ganswein.
O papa alemão tomou, em agosto de 2012, a decisão de renunciar ao cargo - um ato histórico - que anunciou ao secretário particular em dezembro do mesmo ano.
Bento XVI queria garantir que o sucessor assistia às JMJ, no Rio de Janeiro.
"A minha reação espontânea foi dizer 'Não, Santo Padre, não tem esse direito'. Mas foi uma reação emotiva e rapidamente percebi que ele não me estava a dizer aquilo para tomar uma decisão, mas porque a sua decisão já estava tomada", explicou Ganswein.
Apenas quatro pessoas foram informadas da decisão do papa emérito.
Os cardeais presentes quando o papa anunciou a renúncia, em latim, levaram algum tempo a perceber o que se estava a passar, acrescentou.
"Alguns rostos estavam petrificados, outros incrédulos, desamparados, chocados. Eles olhavam uns para os outros, perguntando-se 'percebi bem?'", disse.
O exemplo de João Paulo II, que concluiu o pontificado doente e a sofrer, foi determinante na decisão de Bento XVI.
"Continuar como o seu antecessor terminou, ou mesmo imitá-lo, não era uma opção" para Bento XVI, sublinhou.
Sobre o argentino Jorge Mario Bergoglio, Ganswein considerou "um grande presente" a "alegria religiosa" latino-americana que levou ao Vaticano.
"Ele trouxe consigo uma religiosidade musical, que nós, na Europa, devemos obviamente voltar a aprender. E isso pode fazer-nos bem", garantiu Ganswein sobre Francisco, num encontro com o biógrafo de Joseph Ratzinger, Peter Seewald.
Na opinião de Ganswein, as diferenças entre Bento XVI e Francisco são óbvias, mas são mais de "personalidade, estilo, gestos" que substanciais.
"Todos os temas principais de Francisco, a alegria, a esperança, o amor, a misericordia, foram temas dominantes de Bento XVI", declarou.
Para o arcebispo alemão, que chegou a ser capa da revista norte-americana Vanity Fair, Francisco "é um homem de gestos", alguém que realiza ações "que não se esperam dele", enquanto Bento XVI era um homem que se ouvia com atenção para assumir as suas palavras.
"Com Francisco, as pessoas querem ver como faz isto, ou como assume aquilo. Ele é um homem que entendeu a necessidade de se dirigir às pessoas, não apenas aos intelectuais", indicou.
Fonte: NM

Aposta ZON OPTIMUS vai investir no cabo e fibra e atingir 400 mil casas em 2 anos

O presidente executivo da ZON OPTIMUS, Miguel Almeida, afirmou hoje que a operadora vai investir nas redes de cabo e de fibra ótica, tecnologias que considerou "interessantes".
ECONOMIA
ZON OPTIMUS vai investir no cabo e fibra e atingir 400 mil casas em 2 anos
Miguel Almeida falava em conferência de imprensa, após o Strategy Day 2014, que juntou em Lisboa vários investidores e analistas.

"Acreditamos que as tecnologias são interessantes e vamos continuar a atualizar as duas", disse o presidente executivo.
Miguel Martins, administrador executivo da operadora, acrescentou que a empresa vai investir nas duas infraestruturas.
"Vamos investir metade na nossa rede de cabo e a outra metade na FTTH [fibra]", disse o administrador, acrescentando que a aposta no cabo será feita com base na "extensão da própria rede".
Em relação ao FTTH, a aposta será feita onde a ZON OPTIMUS não tem redes.
"Ambas as redes permitem que tenhamos as mesmas larguras de banda e os mesmos serviços", disse.
"Em dois anos, vamos 'construir' à volta de 400 mil casas", explicando que o investimento vai do que já tiver sido feito nas áreas de expansão da rede.
"No fim veremos qual é o valor total", concluiu.
O presidente executivo da ZON OPTIMUS disse que a empresa ainda hoje está a migrar os clientes da ex-Clix para a Zon, mas que perderam 7.000 clientes na área da fibra, já que estes "ficaram acessíveis a ataques da concorrência".
Questionado sobre para que áreas geográficas a ZON OPTIMUS teria interesse em internacionalizar-se, Miguel Almeida disse que estas não foram ainda analisadas.
"Não temos definição de quais os mercados alvo, é um tema que vai estar sob análise", mas a médio prazo, acrescentou, isto porque o foco atual da empresa é o mercado português, onde quer atingir 30% de quota.
Sobre a aposta no setor empresarial, para reforçar a quota, o administrador executivo Manuel Ramalho Eanes adiantou que a estratégia tem uma "ambição transversal", mas está focada nas grandes empresas, já estas representam 11% para a operadora.
A quota de mercado nas pequenas e médias empresas (PME) "é de 25%", explicou.
Fonte: NM

Internada Betty Grafstein saiu do hospital e está "muito melhor"

Betty Grafstein, que se encontrava internada desde segunda-feira devido a problemas respiratórios, já saiu do hospital e encontra-se “muito melhor”, segundo contou ao Diário de Notícias.
FAMA
Betty Grafstein saiu do hospital e está muito melhor
"Estou muito melhor. Melhor do que quando entrei", disse Betty Grafstein ao Diário de Notícias, à saída do Hospital Amadora-Sinta, onde estava internada desde segunda-feira.

A socialite teve hoje alta e foi para casa acompanhada por José Castelo Branco, que confessou que tudo “foi um grande susto, grande susto. Agora vai ficar de repouso".
A má disposição sentida no passado fim de semana terá levado ao internamento da celebridade, que foi transferida para os cuidados intensivos devido a problemas respiratórios.
Fonte: NM

Kate Moss nua em capa de revista erótica

A manequim é a protagonista da edição de março da francesa Lui e mostra o rabo, numa sessão inspirada na que Romy Schneider fez para a mesma publicação em 1973

Aos 40 anos e depois de ter posado nua para a edição comemorativa dos 60 anos da Playboy, Kate Moss volta a despir-se, agora para a revista Lui.

A modelo posou para o fotógrafo Terry Richardson sentada numa cadeira personalizada com o seu nome. Kate Moss mostra as curvas e surge totalmente nua.
O ensaio é inspirado no que a atriz Romy Schneider, a mítica atriz de Sissi, fez para a mesma publicação em 1973.
Fonte: NM

Tribunal Mcdonald's processada por dar apenas um guardanapo a cliente

Um norte-americano está a processar a McDonald's por um empregado da cadeia de restaurantes se ter recusado a dar-lhe mais que um guardanapo, conta o The Independent. O homem acusa a empresa de racismo.
MUNDO
Mcdonald's processada por dar apenas um guardanapo a cliente
Um homem avançou com um processo contra a McDonald’s para arrecadar uma compensação de um milhão de euros, por lhe ter sido dado apenas um guardanapo com a sua refeição, conta o The Independent.

Webster Lucas afirma que não conseguiu trabalhar durante o resto do dia, devido ao stress com que ficou após o incidente, que ocorreu em Pacoimba, na Califórnia.
O homem diz que lhe foi dado apenas um guardanapo, após ter pedido um menu Deluxe, e que quando voltou ao balcão para pedir mais guardanapos o empregado negou-lhe o pedido. Lucas, que é um cidadão afro-americano, afirma que se tratou de uma atitude racista.
Lucas escreveu um e-mail para a empresa afirmando que tinha sofrido “uma forte angústia mental” devido ao incidente.
Ao homem foi-lhe oferecido hamburgueres à borla, para o compensar, mas mesmo assim a empresa não se livra da acusação.
Fonte: NM

Ações Norte-americana BlackRock passa a ter participação nos CTT

A gestora de fundos norte-americana BlackRock ultrapassou a barreira dos 2% no capital dos Correios de Portugal (CTT), passando a deter uma participação qualificada, informou hoje a empresa portuguesa num comunicado enviado ao supervisor do mercado.
ECONOMIA
Norte-americana BlackRock passa a ter participação nos CTT
Depois de uma operação de compra de ações dos CTT realizada a 25 de fevereiro, a BlackRock passou a deter uma participação de 2,04%, de acordo com a informação disponibilizada ao público através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Os títulos dos CTT encerraram a sessão bolsista de hoje a subir 1,6% para 7,30 euros, com mais de 435 mil ações negociadas.
Fonte: NM

Cofundador Greenpeace Não há "provas de causa humana das mudanças climáticas"

O cofundador da Greenpeace Patrick Moore considera que não há "nenhuma prova científica" para que o mundo fique alarmado com o aquecimento global e afirma que as mudanças climáticas "não são causadas por ação dos seres humanos".
MUNDO
Não há provas de causa humana das mudanças climáticas
Falando aos senadores norte-americanos, o ecologista canadiano considerou que há "pouca correlação" para apoiar uma "relação causal direta" entre as emissões de dióxido de carbono (CO2) e o aumento das temperaturas globais.

"Não há nenhuma prova científica de que as emissões humanas de dióxido de carbono são a causa dominante do maior aquecimento da atmosfera da Terra ao longo dos últimos 100 anos", disse Patrick Moore, citado hoje pelo jornal Independent.
"Se houvesse a tal prova, que fosse escrita para todos verem. Nenhuma prova real, como é entendido pela ciência, existe", acrescentou.
A posição de Patrick Moore está a criar inquietação na comunidade científica mundial, segundo o jornal britânico.
Contactado pela Lusa, o ambientalista da Quercus Francisco Ferreira considerou que as declarações do ecologista canadiano "não fazem sentido", até porque, assinalou, "não é um cientista do clima".
"Têm sido documentados vários interesses de personalidades que têm vindo a ter este tipo de discurso e ficou provado cada vez mais que, ou caem no descrédito, ou mudam de opinião. Acho que ele vai mudar. Se acreditarmos nele vai-nos sair muito caro depois de todo o mal ter sido feito", considerou Francisco Ferreira.
O ativista ambientalista criticou igualmente o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), organismo das Nações Unidas, por afirmar que "é muito provável" que a atividade humana seja a "causa dominante" para o aquecimento global, observando que "extremamente provável" não é um termo científico.
Patrick Moore sublinha que as estatísticas apresentadas pelo IPCC não são o resultado de cálculos matemáticos ou análise estatística, pelo que podem ter sido "inventadas" para apoiar "opinião especializada" do Painel da ONU.
Para o cofundador da organização internacional de defesa do ambiente, o aumento da temperatura atmosférica na superfície da terra remonta a Idade do Gelo, quando o CO2 foi "10 vezes maior do que é hoje, mas a vida humana floresceu" naquela altura.
"Estou consciente de que os meus comentários são contrários à grande parte da especulação sobre o nosso clima que é hoje frequente", disse o ecologista, mostrando-se no entanto confiante que a história lhe dará razão ao demonstrar que "as temperaturas mais quentes são melhores do que as temperaturas mais frias para a maioria das espécies".
Patrick Moore, doutorado em ecologia, é cofundador do principal grupo pró ambiente do mundo, a Greenpeace, que abandonou em 1986 por considerar que o grupo se tornou mais interessado em política do que na ciência.
Fonte: NM

Rio de Janeiro Carnaval espera 920 mil turistas e injeção de 690 milhões de euros

O carnaval carioca começa oficialmente este sábado, com a expectativa de receber 920 mil turistas, 444 blocos de rua e 12 desfiles de escolas de samba, movimentando cerca de 690 milhões de euros para a economia local.
ECONOMIA
Carnaval espera 920 mil turistas e injeção de 690 milhões de euros
Para garantir a segurança dos foliões, o efetivo policial é reforçado com 16.800 agentes militares destacados para atuar durante os desfiles dos blocos de rua e das escolas de samba, só na cidade do Rio de Janeiro, com o auxílio de 2.600 viaturas.

Um milhão de guias turísticos com roteiro e horário dos 444 blocos que desfilarão durante a semana serão distribuídos aos mais 920 mil turistas que chegam em busca de diversão na cidade maravilhosa, deixando uma média de 545 milhões de euros em gastos com hotéis e restaurantes.
No final de cada apresentação dos grupos de rua, uma equipa especial da Comlurb, empresa de limpeza pública do Rio de Janeiro, passa recolhendo o "estrago" deixado pelos foliões, que produziram, somente entre o sábado e quarta-feira de cinzas do carnaval passado, 700 toneladas de lixo.
Paralelamente, como nem tudo é controlo na "festa da desordem", o Ministério da Saúde reforça a sua política de prevenção contra doenças sexualmente transmissíveis com a distribuição de 104 milhões de preservativos gratuitos em pontos onde há previsão de grandes aglomerações em cidades de todo o país.
A maior fábrica de máscaras do Rio de Janeiro - Condal, criada por um espanhol há 55 anos - precisa trabalhar durante todo o ano para garantir estoque suficiente para o período, quando são comercializadas cerca de 250 mil máscaras e 130 mil fantasias.
A produção é feita por dez funcionários, capazes de fabricar até 2.000 máscaras por dia, e a empresa arrecada, só durante o carnaval, o equivalente a 70 por cento do seu faturamento anual.
Entre domingo e segunda-feira, 12 escolas de samba realizam um desfile de cerca de uma hora ao longo dos 700 metros de extensão da Avenida Marquês de Sapucaí, ou "Sambódromo".
Durante a passagem, o carnavalesco responsável pela música repete em média 65 vezes o samba-enredo da escola, enquanto os integrantes caminham e sambam com máscaras que podem pesar até 40 quilos.
O esforço definitivamente vale a pena quando a escola consegue fazer o público de 72.500 expectadores levantarem e cantarem juntos sua música-tema, criando o que os brasileiros gostam de chamar "o maior show da Terra".
Fonte: NM

Ex-ministro Vítor Gaspar nomeado para alto cargo do FMI

O ex-ministro das Finanças, Vítor Gaspar, foi nomeado esta sexta-feira diretor de Departamento de Assuntos Orçamentais do Fundo Monetário Internacional (FMI), assumindo funções em junho, conta o Jornal de Negócios.
ECONOMIA
Vítor Gaspar nomeado para alto cargo do FMI
Vítor Gaspar assume em junho as funções de diretor de Departamento de Assuntos Orçamentais do Fundo Monetário Internacional (FMI), foi hoje anunciado.

O ex-ministro sucede assim a Carlo Cottarelli.
Segundo o Jornal de Negócios, Christine Lagarde nomeou o antigo governante para aquele cargo devido às "suas impressionantes capacidades de gestão e à formidável experiência em política pública, tanto a nível europeu, como nacional”.
A diretora-geral do FMI rematou referindo que ela e a sua equipa “anseiam” trabalhar com Gaspar, “em questões de finanças públicas” sendo que este poderá “conceder um aconselhamento vital em termos de política orçamental aos nossos Estados-membros”.
Fonte: NM

Ucrânia Putin pede a líderes internacionais que impeçam escalada de violência

O Presidente russo, Vladimir Putin, pediu hoje a vários líderes ocidentais que ajudem a impedir a escalada de violência na Ucrânia, apelando também para a sua contribuação no processo de estabilização daquele país, divulgou o Kremlin.
MUNDO
Putin pede a líderes internacionais que impeçam escalada de violência
De acordo com a Presidência russa, Putin abordou a crise ucraniana em conversas telefónicas com a chanceler alemã, Angela Merkel, com o primeiro-ministro britânico, David Cameron, e com o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy.

"Foi destacada a enorme importância de impedir uma escalada de violência e a necessidade de uma rápida estabilização" na Ucrânia, indicou um comunicado do Kremlin.
Putin acordou com os três interlocutores, segundo a mesma nota informativa, "ativar a cooperação a nível da diplomacia" para tentar acalmar a situação na antiga república soviética.
Momentos antes, o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo rejeitou possíveis consultas com a Ucrânia em virtude dos recentes incidentes na república autónoma ucraniana da Crimeia, onde tem vindo a crescer a tensão entre a maioria pró-russa e as novas autoridades de Kiev.
"O lado russo encara os acontecimentos na república autónoma da Crimeia como uma consequência dos recentes processos políticos internos na Ucrânia e nesse contexto não considera necessário envolver-se nas consultas bilaterais urgentes propostas pelo lado ucraniano", esclareceu a diplomacia russa.
A Ucrânia pediu hoje uma reunião urgente ao Conselho de Segurança da ONU para analisar a situação no país, em particular na Crimeia, onde o atual clima de tensão "pode representar uma ameaça para a paz e segurança internacionais".
Homens armados, alguns exibindo bandeiras russas, entraram hoje de madrugada nos aeroportos de Sebastopol e Simferopol, as principais cidades da Crimeia, ação que o ministro do Interior ucraniano, Arseni Avakov, qualificou de "invasão militar e ocupação".
Estes incidentes ocorreram um dia depois de grupos armados terem tomado de assalto as sedes do Parlamento e do governo autónomo da Crimeia.
A república autónoma ucraniana da Crimeia tem presenciado nos últimos dias fortes tensões separatistas.
A Crimeia era considerada pela União Soviética como parte da Rússia, mas foi anexada à Ucrânia em 1954 e continua a albergar a frota naval russa do Mar Negro na cidade portuária de Sebastopol.
Fonte: NM

Ucrânia Para EUA Ianukovich perdeu legitimidade para reclamar poder

Os Estados Unidos declararam hoje que o Presidente ucraniano deposto Viktor Ianukovich perdeu qualquer legitimidade para reclamar a liderança da Ucrânia quando deixou o país.
MUNDO
Para EUA Ianukovich perdeu legitimidade para reclamar poder
"Acreditamos que Ianukovich perdeu legitimidade quando abdicou das suas responsabilidades. Ele deixou a Ucrânia", afirmou a porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Jennifer Psaki, em declarações aos jornalistas.

Ianukovich afirmou hoje, numa conferência de imprensa, que "não foi deposto", prometendo ainda "continuar a luta para o futuro da Ucrânia".
Esta conferência de imprensa realizada em Rostov-no-Don, cidade no sul da Rússia, próxima da fronteira ucraniana, foi a primeira aparição pública de Ianukovich desde que foi destituído pelo Parlamento ucraniano, a 22 de fevereiro.
Viktor Ianukovich, de 63 anos, disse ainda que foi forçado a deixar a Ucrânia após ameaças contra a sua vida, defendendo ainda que o poder foi tomado "por jovens neofascistas".
Ainda em declarações à comunicação social, o político referiu que "o terror e o caos" prevalecem neste momento no país, culpando as "políticas irresponsáveis" do Ocidente pela crise que afeta a Ucrânia e pelos confrontos e vítimas registados em Kiev.
O chefe de Estado deposto garantiu que não ordenou à polícia de choque para disparar contra os manifestantes concentrados na capital.
Viktor Ianukovich aproveitou igualmente para pedir desculpas "ao povo ucraniano" por não ter tido mais força para suportar a situação.
Fonte: NM

Comunicado Banco de Portugal quer taxas máximas em todos os contratos de crédito

O Banco de Portugal vai solicitar ao Parlamento que aprove alterações legislativas que permitam que as taxas máximas fixadas pelo supervisor nos cartões de crédito e nas linhas de crédito sejam efetivas para todos os contratos de crédito.
ECONOMIA
Banco de Portugal quer taxas máximas em todos os contratos de crédito
Isto, porque a atual lei não obriga que os contratos de crédito assinados entre bancos e clientes antes da entrada em vigor do decreto-lei que define taxas máximas do crédito aos consumidores, datado de 28 de março de 2013, respeitem os limites impostos pelo Banco de Portugal.

O supervisor entende que "as novas utilizações que os clientes venham a fazer dos cartões de crédito, das linhas de crédito ou de outros contratos de crédito 'revolving' [como contas correntes e facilidades de descoberto] não devem estar sujeitas a condições que ultrapassem os limites estabelecidos pelas taxas máximas em vigor", lê-se num comunicado hoje divulgado pela entidade liderada por Carlos Costa.
Segundo o documento, "a adoção deste entendimento permitiria assegurar que os contratos de crédito aos consumidores observam as condições de mercado prevalecentes em cada momento, finalidade pretendida pelo legislador com a definição do regime de taxas máximas".
Por isso, "o Banco de Portugal irá solicitar ao legislador a promoção das alterações legislativas necessárias", informou o supervisor.
A entidade destacou que "as instituições de crédito estão a desenvolver ações publicitárias que incentivam a utilização de crédito no âmbito de cartões de crédito e de linhas de crédito" e que "as referidas ações publicitárias têm, sobretudo, como destinatários clientes que celebraram os seus contratos de crédito em momento anterior à entrada em vigor do decreto-lei n.º 42-A/2013, de 28 de março".
Este diploma "modificou substancialmente a forma de determinação das taxas máximas do crédito aos consumidores, permitindo, por essa via, a partir de 1 de julho de 2013, a consolidação da tendência de redução dessas taxas que se vinha verificando desde janeiro desse ano, nomeadamente no chamado crédito 'revolving'", realçou o supervisor.
De acordo com a atual lei, "a observância das taxas máximas é aferida no momento da celebração do contrato de crédito", pelo que "a eventual utilização dos cartões de crédito ou das linhas de crédito poderá ser feita em condições distintas das resultantes das taxas máximas atualmente em vigor", sublinhou o Banco de Portugal.
De qualquer modo, conforme realçou o supervisor, "os clientes poderão exercer os instrumentos legais existentes, denunciando estes contratos de crédito de duração indeterminada, sem encargos e de forma imediata, ou num curto espaço de tempo, e contratar novas operações de crédito".
Fonte: NM

Armando Guebuza "Coluna tem o direito de figurar na história de Moçambique"

Presidente moçambicano destacou o patriotismo, o esforço e a dedicação do antigo jogador do Benfica e da Seleção Nacional
DESPORTO
Coluna tem o direito de figurar na história de Moçambique
O Presidente moçambicano, Armando Guebuza, considerou esta sexta-feira que o antigo jogador do Benfica Mário Coluna tem "o direito de figurar nos anais da história do desporto de Moçambique".

Guebuza falava no salão nobre do Conselho Municipal de Maputo, a autarquia da capital moçambicana, durante o velório de Mário Coluna, que ali morreu na terça-feira, aos 78 anos, vítima de infeção pulmonar.
Moçambique cumpre hoje um dia de luto nacional em memória do antigo jogador, que foi selecionador de Moçambique, dirigente desportivo e deputado à então Assembleia Popular, depois de ter passado 16 épocas no Benfica (1954 a 1970), durante as quais representou também Portugal, nomeadamente na conquista do terceiro lugar no Mundial de 1966.
O país organizou-lhe um funeral de Estado, no qual estiveram presentes os principais dirigentes de Moçambique e uma delegação do Benfica, chefiada pelo seu presidente, Luís Filipe Vieira, e que integrava 16 jogadores de várias gerações como Artur Santos, António Simões, José Augusto, Mário João e Mantorras, entre outros.
Humberto Coelho, tal como Coluna, antigo capitão dos encarnados, representou a Federação Portuguesa de Futebol, de que é um dos vice-presidentes.
"Mário Coluna esteve sempre disponível para orientar e aconselhar os mais novos", recordou o chefe de Estado moçambicano, que disse partilhar com a família do antigo jogador "a dor e a saudade" pelo seu desaparecimento
"Das grandes vedetas, só ele regressou a Moçambique"
Falando aos jornalistas, o antigo Presidente moçambicano Joaquim Chissano realçou o "patriotismo" de Coluna, conhecido nos meios futebolísticos como "monstro sagrado".
"Das grandes vedetas do desporto moçambicano, só ele fez o que fez: voltar a Moçambique, vivendo em condições precárias. Talvez pudesse ter sido de outra maneira se tivesse ficado em Portugal, mas ele preferiu estar aqui", lembrou Chissano.
Também o presidente da Federação Moçambicana de Futebol, Feizal Sidat, evocou os 34 anos de presença de Mário Coluna no país, após a sua carreira na Europa, considerando que se se tratou de um "exemplo" para as novas gerações.
"O que ele sempre quis foi que a seleção de Moçambique fosse uma das melhores de África e do mundo, e por isso se pautou pela área da formação", disse Sidat, que sucedeu a Coluna no cargo federativo.
O moçambicano Augusto Matine, antigo companheiro do "monstro sagrado" no Benfica e na seleção portuguesa, recordou o respeito que sentia pelo seu antigo capitão, a quem nunca tratou pelo nome.
"O senhor Coluna era um dos jogadores do Benfica que nós, os colegas, não conseguíamos chamar pelos nomes", recordou Matine.
"E a liderança do Mário Coluna não era imposta, pelos adversários, pelos árbitros, ou pelos companheiros, era assente, naturalmente", disse o antigo jogador.
De uma outra geração, mas também já afastado dos relvados, o angolano Pedro Mantorras, recordou que Coluna "estava sempre preocupado com o futebol africano" e disse que a sua carreira constitui "um exemplo para a juventude moçambicana".
Como técnico do Textáfrica, Mário Coluna venceu, em 1976, o primeiro campeonato realizado em Moçambique, e repetiu o título com o Ferroviário de Maputo, que hoje esteve presente no velório com a sua equipa principal, treinada pelo português Vítor Pontes.
"Entendemos que era nossa obrigação marcar presença como última homenagem àquele que foi uma das grandes figuras do desporto moçambicano", justificou.
Após o velório, o corpo de Mário Esteves Coluna seguiu para o cemitério da Llanguene, onde foi enterrado, com honras militares.
Fonte: NM

Guardiola "Messi é o melhor jogador da história"

Treinador do Bayern Munique considera que o craque do Barcelona "está noutro patamar" em relação aos restantes jogadores de elite
DESPORTO
Messi é o melhor jogador da história
Se há quem compare Mario Goetze a Leo Messi, Guardiola não o faz. Apesar de ser treinador do Bayern Munique, onde joga o médio alemão, o técnico não tem dúvidas e coloca o craque argentino "noutro nível"..

Messi está noutro patamar. É o melhor jogador da história do futebol", rematou.
Fonte: NM

Procuradoria-geral Iniciado processo de pedido de extradição de Yanukovych

A procuradoria-geral da Ucrânia anunciou hoje o início do processo de pedido de extradição do deposto Presidente Viktor Ianukovich, que se refugiou na Rússia.
MUNDO
Iniciado processo de pedido de extradição de Yanukovych
"A procuradoria-geral espera, depois de apresentar em breve o pedido [de extradição] a Moscovo, receber uma resposta positiva da procuradoria-geral da Federação Russa", indica um comunicado.

O documento sublinha que "a realização de uma conferência de imprensa em Rostov-no-Don (cidade meridional russa) por parte do cidadão ucraniano Viktor Ianukovitch é uma confirmação do facto de que este se encontra no território da Federação Russa".
Kiev recorda que o direito internacional e a Convenção Europeia sobre a entrega de pessoas que infringiram a lei (1957) regulam os processos de extradição entre a Ucrânia e a Rússia.
Entretanto, o procurador-geral, Oleg Majnitski, recordou que a justiça ucraniana autorizou a detenção do chefe de Estado deposto para ser processado penalmente.
"Foi parar à Rússia através da Crimeia com a ajuda de oficiais patriotas de um Estado desconhecido, depois de a Ucrânia já ter emitido um mandado de busca e captura internacional de Ianukovich", explicou.
Há umas horas, a procuradoria-geral tinha adiantado que pediria a extradição de Ianukovich se se confirmasse oficialmente que se encontra em território da vizinha Rússia.
O comunicado oficial recorda que o Presidente deposto fugido é suspeito de assassínios em massa e premeditados e de abuso de poder e que a Justiça ucraniana já ordenara a sua detenção, bem como a de vários dos seus colaboradores mais próximos.
A Rada Suprema (parlamento) pediu esta semana ao Tribunal Penal Internacional, com sede em Haia, que julgue Ianukovich e outros antigos altos responsáveis por crimes contra a humanidade.
As novas autoridades acusam-nos do "assassínio em massa" de cidadãos ucranianos "durante as ações de protesto maciças no período compreendido entre 21 de novembro de 2013 e 22 de fevereiro de 2014".
Ianukovich quebrou hoje, numa conferência de imprensa em Rostov-no-Don, o silêncio que mantinha desde que fora destituído, a 22 de fevereiro último, para afirmar que continua a ser o Presidente legítimo da Ucrânia.
"Chegou a hora de dizer que tenho a intenção de continuar a lutar pelo futuro da Ucrânia. Ninguém me derrubou. Tive de abandonar a Ucrânia devido às ameaças contra a minha vida e a da minha família", disse.
Segundo Ianukovich, o poder em Kiev "foi usurpado por nacionalistas e pró-fascistas, vândalos... que são a absoluta minoria dos habitantes da Ucrânia".
"Nunca ordenei à polícia que disparasse", garantiu Ianukovich, acusando as potências ocidentais de contribuir para a anarquia no seu país ao apoiar cegamente os manifestantes da praça Maidan (da Independência).
Fonte: NM

Troika Medidas de austeridade para 2015 apresentadas até abril

A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, afirmou hoje que haverá medidas de austeridade em 2015, as quais serão discutidas na última avaliação ao resgate e incluídas no Documento de Estratégia Orçamental (DEO), que será apresentado em abril.
ECONOMIA
Medidas de austeridade para 2015 apresentadas até abril
"As medidas para o próximo ano serão discutidas na próxima avaliação e serão incluídas no Documento de Estratégia Orçamental", afirmou Maria Luís Albuquerque, na conferência de imprensa de apresentação dos resultados da 11.ª avaliação ao Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF) a Portugal.

A governante afirmou que "não há, neste momento, medidas - quaisquer que elas sejam -- a serem discutidas com a 'troika' para o próximo ano", mas esclareceu que as medidas relativas a 2015 vão ser incluídas no DEO, que - de acordo com o calendário orçamental - é apresentado em abril.
Quanto à eventualidade de não concretização das medidas previstas, a ministra das Finanças disse ainda que "o compromisso do Governo é o mesmo: encontrar medidas substitutivas de forma a manter as metas com que se comprometeu".
Fonte: NM

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Dropleton: cientistas criam “gotas quânticas” pela primeira vez

quantum-droplet-660x879
Ao bombardear um semicondutor com pulsos de laser ultrarrápidos, cientistas descobriram uma nova quasipartícula que se comporta como uma gota de líquido. Eles a descreveram como uma “gota quântica”, e a nomearam “dropleton”.
A gota quântica é um novo tipo de partícula que poderia ajudar a estudar como a luz e a matéria interagem. Segundo Mackillo Kira, da Universidade de Marburg, na Alemanha, um dos pesquisadores do estudo, a descoberta adiciona um novo elemento para a “tabela periódica” de quasipartículas.
Os cientistas não estavam esperando encontrar o dropleton, que apareceu em experimentos com semicondutores em temperaturas extremamente baixas. Ele tem propriedades diferentes de tudo o que os pesquisadores já viram antes.~
“No início, coçamos a cabeça”, disse o físico Steven Cundiff, da Universidade do Colorado e do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia em Boulder (EUA), outro autor da pesquisa, publicada na revista Nature. “Mas, então, surgiu a ideia de que o que estávamos vendo era uma coisa nova, que chamamos de gota quântica”.

Entenda

Materiais como metais são bons condutores de eletricidade. Dentro de um condutor como fio de cobre, os elétrons dos átomos são desvinculados de seus núcleos e livres para fluir, permitindo-lhes facilmente carregar uma corrente. O oposto disso é um isolante, como a borracha, no qual os elétrons ficam parados.
Entre esses dois extremos existem materiais como os semicondutores de silício, em que alguns dos elétrons podem se mover livremente e conduzir eletricidade, enquanto outros ficam presos. O silício puro não é um bom semicondutor, porque todos os seus átomos estão ligados covalentemente aos seus vizinhos. Impurezas podem tomar o lugar de alguns dos átomos de silício e liberar alguns dos elétrons, criando um semicondutor.
Descrever as partículas dentro de um semicondutor é bastante complicado. Há inúmeros núcleos atômicos e elétrons, e explicar como cada partícula age ao interagir com outra é praticamente impossível. Em vez disso, os cientistas descrevem as propriedades de quasipartículas, uma forma simplificada de olhar para as dinâmicas de grupo de todas as partículas em conjunto.
Quando um fóton entra em um semicondutor de silício, atinge um dos núcleos atômicos, liberando um elétron. Um tipo de quasipartícula conhecida como “buraco de elétron” é deixada para trás. O buraco de elétron é uma espécie de bolha que, da mesma forma que uma bolha de ar em um copo de água sobe enquanto todas as outras gotas de água tendem a descer, se comporta de forma oposta a um elétron. O buraco tem uma carga positiva, em comparação com a negativa do elétron.
Se há algo que você provavelmente já sabe nessa descrição física toda, é que os opostos se atraem. Um elétron e um buraco podem se unir e criar uma quasipartícula conhecida como excíton. Do ponto de vista da mecânica quântica, o buraco tem propriedades semelhantes a um próton. Desta forma, o excíton se comporta como um átomo de hidrogénio neutro, no qual elétrons e prótons estão unidos.
Os átomos de hidrogênio são muito estáveis. A energia de ligação que mantém elétrons e prótons juntos é relativamente forte. Mas a energia de ligação mantendo um eléctron e um buraco de elétron em conjunto é muito fraca, cerca de 1.000 vezes menor. Qualquer pequeno distúrbio energético vai quebrar o vínculo. Assim, excítons se formam em temperaturas muito baixas, em torno de menos 263 graus Celsius.
O que a equipe de pesquisa fez foi esfriar um semicondutor de arsenieto de gálio e apontar um laser a ele. Os fótons do laser geraram elétrons livres, buracos de elétrons e excítons (tudo isso em alguns bilionésimos de segundo).
Conforme os pesquisadores aumentavam a intensidade do laser, criavam mais e mais excítons. Só que esses excítons começaram a interferir uns com os outros, e isso enfraquece os laços entre os seus elétrons e buracos de elétrons. A uma certa intensidade do laser, excítons não podem mais se formar.
A equipe então diminuiu o comprimento de onda do laser, e atirou novamente no arsenieto de gálio. Desta vez, os pulsos de laser criaram elétrons, buracos e excítons, mas esses últimos também se uniram em quasipartículas chamadas de biéxcitons, feitas de dois excítons. Da mesma forma que excítons são análogos a um átomo de hidrogênio, um biexcíton é como uma molécula de hidrogênio (H2).
Os pesquisadores esperavam que os vínculos entre esses biexcítons enfraquecessem com o aumento da intensidade do laser. Mas algo inesperado ocorreu – eles na verdade se ligaram mais fortemente, parecendo formar uma configuração completamente nova de quatro elétrons e buracos de elétrons.
Os experimentos também criaram quasipartículas de cinco elétrons e buracos, e seis elétrons e buracos. “Ficamos perplexos”, disse Cundiff.
Depois de verificar com alguns modelos matemáticos, os cientistas perceberam que tinham descoberto algo original.
Em biexcítons, excítons ficam regularmente espaçados uns dos outros, assim como átomos em uma molécula. Mas, nesta nova quasipartícula, os elétrons e os buracos já não têm uma posição fixa em relação um ao outro. Em vez disso, se “acotovelam” como uma pequena gota de líquido – um dropleton.
A descoberta não possui aplicações imediatas. “Eu não acho que alguém vai construir um dispositivo baseado em uma gota quântica”, disse Cundiff. Mas o estudo é importante para a compreensão básica de fenômenos complexos dentro de dispositivos de estado sólido, como semicondutores e supercondutores.
Fonte: hypescience