Total de visualizações de página

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Ciclismo Antigo ciclista quer que devolvam vitórias do Tour a Armstrong

O antigo ciclista alemão Jan Ullrich, segundo classificado da Volta a França em quatro ocasiões, pediu hoje, numa entrevista à revista Sport-Bild, que os títulos retirados ao norte-americano Lance Armstrong lhe fossem devolvidos.
Antigo ciclista quer que devolvam vitórias do Tour a Armstrong
Redação, 31 jul (Lusa) -- O antigo ciclista alemão Jan Ullrich, segundo classificado da Volta a França em quatro ocasiões, pediu hoje, numa entrevista à revista Sport-Bild, que os títulos retirados ao norte-americano Lance Armstrong lhe fossem devolvidos.
"Se dependesse de mim, devolveria as vitórias no Tour ao Armstrong", disse aquele que foi o grande rival do norte-americano durante o seu domínio na prova francesa.
O alemão, que não voltou a correr desde que o seu nome foi implicado na Operación Puerto, um dos maiores escândalos de dopagem do ciclismo, garantiu que não tem qualquer intenção de ver o seu nome no lugar de vencedor.
"Não estou a reclamar nenhum dos triunfos dele. Só quero vitórias que foram obtidas na bicicleta. Não quero ganhar o que quer que seja por desclassificação de outros", confessou.
Jan Ullrich, que secundou Armstrong no pódio em 2000, 2001 e 2003, recordou que o seu colega na Telekom, Bjarne Riis, também reconheceu ter-se dopado para ganhar o Tour1996, no qual foi segundo classificado, mas não lhe viu o seu nome ser retirado do historial de vencedores.
"Bjarne Riis recuperou a sua vitória de 1996. Era assim que as coisas eram naquela altura. Não ajuda a ninguém ter linhas apagadas nos quadros de honra", defendeu o antigo ciclista, que na última semana viu o senado francês revelar que testou positivo por EPO no Tour1998.
Armstrong, de 41 anos, viu a organização da Volta a França apagá-lo dos registos e optar por não atribuir a ninguém as vitórias conquistadas pelo texano entre 1999 e 2005
Fonte: NM

Cavaco "Coligação assumiu compromisso de sintonia duradoura"

O Presidente da República frisou hoje que os dois partidos da coligação assumiram o compromisso de manter e reforçar a coesão governamental e de alcançar de forma duradoura uma sintonia relativamente às principais políticas económicas e sociais.
Coligação assumiu compromisso de sintonia duradoura
O chefe de Estado, que falava à margem da inauguração da Biblioteca de Mondim de Basto, comentou a moção de confiança aprovada pela maioria na Assembleia da República.
Cavaco Silva não quis comentar o que o Governo disse terça-feira no Parlamento, mas frisou que os dois partidos da coligação assumiram consigo "o compromisso de manter e reforçar a coesão governamental, representada por dois partidos, e de alcançar de forma duradoura uma sintonia em relação às principais políticas económicas e sociais.
"Esperamos para ver", sublinhou.
Quanto à moção, Cavaco Silva referiu apenas que teve um voto favorável.
"Portanto a conclusão de que podemos tirar é de que o Governo tem um apoio maioritário da Assembleia da República, que é uma condição necessária para se completar uma legislatura", acrescentou.
Mas acima de tudo, Cavaco Silva deseja "é que o Governo governe bem e que atribua prioridade ao crescimento económico e ao combate ao desemprego", conseguindo "um melhor equilíbrio entre a consolidação das contas públicas e a promoção da retoma económica".
O Presidente da República fez ainda referência aos indicadores que "apontam para uma inversão da tendência da economia". "Mas agora é preciso consolidá-la", frisou.
Fonte: NM

Egipto Irmandade Muçulmana pede à comunidade internacional para evitar massacres

O braço político da Irmandade Muçulmana, o Partido Liberdade e Justiça (PLJ), pediu hoje à comunidade internacional para assumir “a sua responsabilidade” e impedir “eventuais massacres de civis desarmados que se manifestavam pacificamente”.
Irmandade Muçulmana pede à comunidade internacional para evitar massacres
Em declarações à agência noticiosa espanhola EFE, o porta-voz do PLJ, Ahmed Subaya, afirmou que o Governo interino egípcio “tem o desejo de continuar com o assassinato de manifestantes pacíficos e apoiantes de [Presidente deposto egípcio Mohamed] Morsi”.
O representante reagia à decisão hoje divulgada pelas novas autoridades egípcias de que serão adotadas “todas as medidas necessárias” para acabar com os acampamentos de protesto promovidos no Cairo pelos apoiantes de Morsi.
Para Ahmed Subaya, esta medida confirma que o Egito está sob “um estado policial que não respeita a liberdade de expressão”.
Outro representante islamita, o porta-voz da Coligação Nacional para a Defesa da Legitimidade (que integra a Irmandade Muçulmana), Ahmed Nashar, também afirmou à EFE que os ativistas irão “resistir de forma pacífica” nas praças da capital egípcia.
Milhares de apoiantes de Morsi (oriundo do movimento Irmandade Muçulmana) estão acampados há cerca de um mês nas praças Rabaa al-Adawiya [nordeste do Cairo] e Al-Nahda [perto da Universidade do Cairo] para exigir o regresso ao poder do Presidente deposto.
Segundo Ahmed Nashar, a decisão hoje adotada pelo executivo egípcio é “própria de um Estado repressivo e de um regime militar, policial e ditatorial”.
As novas autoridades egípcias divulgaram hoje que pretendem acabar com os acampamentos de protesto promovidos pelos islamitas, alegando que estas ações representam “um perigo para a segurança nacional e para a paz social”.
Para tal, o Governo interino egípcio encarregou o Ministério do Interior, responsável pela tutela das forças policiais, a tomar as medidas necessárias para desmantelar os acampamentos.
Desde que foi destituído a 03 de julho, os apoiantes de Morsi organizam regularmente manifestações, manchadas pela violência, e concentrações.
Na terça-feira, os apoiantes de Morsi apelaram para a realização de uma manifestação "de um milhão" de pessoas para exigir a reinstauração do primeiro presidente eleito democraticamente no país.
A crise política no Egito agravou-se recentemente com a morte de 72 civis e um polícia em confrontos entre apoiantes de Morsi e as forças de segurança, no sábado, no Cairo
Fonte: NM

Defesa Ministro alemão envolve oposição no escândalo do 'drone'

O ministro da Defesa alemão admitiu hoje erros no caso de um falhado projeto de avião não-tripulado Euro-Hawk, mas também envolveu os partidos da oposição na polémica, a poucas semanas das eleições legislativas.
Ministro alemão envolve oposição no escândalo do 'drone'
Em causa está a suspensão tardia do projeto Euro-Hawk, um avião não tripulado ('drone'), cujos custos para os contribuintes alemães ainda estão por apurar, mas que, segundo informações veiculadas na imprensa germânica, terá implicado gastos de mais de 500 milhões de euros.
Numa audiência perante uma comissão de inquérito do Parlamento alemão, Thomas de Maiziere, um dos principais dirigentes do governo de Angela Merkel, voltou a admitir erros no projeto, mas também culpou o Partido Social Democrata (SPD), maior partido de oposição, e os Verdes alemães pelo falhanço.
Isto porque, lembrou o governante, o projeto foi aprovado em 2002 e lançado dois anos mais tarde, ou seja durante o governo de coligação entre SPD e Verdes (1998-2005), ao qual se seguiu um governo de grande coligação entre a União Democrata-Cristã (CDU), de Merkel, e o SPD.
O ministro da Defesa alemão salientou hoje perante os deputados que os problemas que levaram a suspensão do projeto “já eram conhecidos na fase inicial de planeamento” e lembrou que quando assumiu funções, “85 por cento do valor total do projeto já tinha sido alocado”.
O "descalabro do drone", como foi apelidado pela imprensa germânica, abalou o governo de Angela Merkel, mas a coligação governamental da chanceler continua a liderar nas sondagens de opinião para as eleições legislativas de 22 de setembro.
Na origem da suspensão do projeto esteve a ausência de um sistema anticolisão que era exigido pelas autoridades aéreas europeias.
O Ministério da Defesa decidiu que custaria demasiado dinheiro dotar o Euro-Hawk com esse sistema e cancelou-o. De Maiziére justificou na altura a sua decisão afirmando ter preferido cancelar o projeto, "num momento em que os custos ameaçavam ficar fora de controlo".
Mas essa justificação não acalmou nem os militares nem os partidos da oposição, que teceram duras críticas à atuação do ministro da Defesa.
Várias vozes acusaram de Maiziere de ter omitido informações e enganado os contribuintes alemães e o próprio executivo – e desde então têm vindo a pedira a sua demissão.
A polémica já obrigou Angela Merkel a vir a público várias vezes e garantir a "plena confiança" no seu ministro da Defesa, que também já deixou claro que não tenciona demitir-se.
Fonte: NM

Grupos armados Rebeldes do Congo não se consideram abrangidos por ultimato da ONU

Os rebeldes do M23, activos na região de Goma, leste da República Democrática do Congo (RDC) não se consideram "abrangidos" pelo ultimato emitido aos grupos armados pela missão da ONU e que expira quinta-feira, disse hoje o seu presidente, Bertrand Bisimwa.
Rebeldes do Congo não se consideram abrangidos por ultimato da ONU
Num comunicado emitido terça-feira a Missão de estabilização das Nações Unidas na RDC concedeu aos grupos rebeldes, em particular ao M23, um prazo até quinta-feira para “entregarem as suas armas na base da Monusco” e aderirem a um programa de desmobilização.
Caso contrário, “serão considerados uma ameaça para os civis e a Monusco tomará todas as medidas necessárias para os desarmar, incluindo o uso da força de acordo com o seu mandato e as regras que determinam a sua ação”.
A zona de segurança prevista pelas Nações Unidas inclui Goma e a sua periferia norte.
“Consideramos que esta medida não nos diz respeito porque não estamos nem em Goma nem no eixo Goma-Sake”, sublinhou Bertrand Bisimwa, presidente do grupo armado que ocupou a capital do Kivu-norte no final de novembro de 2012, antes de se retirar sobre pressão internacional e contra a promessa de um diálogo com Kinshasa.
Cerca de 30 grupos armados estão ativos no Kivu-norte. Mas “se analisarmos a carta da zona de segurança, não deteto de facto rebeldes armados e os limites da zona estão longe das posições do M23”, comentou Fidel Bafilemba, analista da ONG “Enough Project, citado pela agência noticiosa AFP.
Com cerca de 17.000 homens e responsável pela proteção dos civis, a Monusco possui um orçamento anual próximo dos mil milhões de dólares (754 milhões de euros).
Foi muito criticada quando, em novembro de 2012, o M23 ocupou Goma, e no reinício depois dos combates, dois meses depois, entre o grupo rebelde e o exército fiel a Kinshasa, quando optou por não intervir.
Fonte: NM

Contabilização Julho foi mês mais sangrento no Iraque desde 2008 com 989 mortos

A violência no Iraque matou 989 pessoas em Julho, segundo números do Governo iraquiano hoje divulgados, tornando-o o mês mais sangrento desde Abril de 2008.
Julho foi mês mais sangrento no Iraque desde 2008 com 989 mortos
Entre os mortos durante o mês de julho, em que o Iraque celebra o jejum do Ramadão, contam-se 778 civis, 88 polícias, 55 soldados e 68 rebeldes, de acordo com os números coligidos pelos ministérios da Saúde, do Interior e da Defesa iraquianos.
A violência fez ainda 1567 feridos em julho – 1356 civis, 122 polícias e 89 soldados, indica a mesma fonte.
Os números tornam julho o mês com maior número de mortos desde 2008, quando o Iraque emergia de um conflito sangrento.
Em abril desse ano, 1428 pessoas foram mortas em atos de violência, de acordo com números oficiais – 966 civis, 69 polícias, 38 soldados e 355 rebeldes.
O Iraque tem sofrido anos de ataques de rebeldes, mas os analistas dizem que o descontentamento generalizado entre a minoria sunita, que o Governo fracassou em solucionar, terá alimentado o pico deste ano.
Fonte: NM

Defesa EUA podem reduzir Forças Armadas em mais 15%

O secretário da Defesa norte-americano, Chuck Hagel, anunciou hoje que as Forças Armadas dos Estados Unidos poderão sofrer uma redução de mais 15 por cento, com cortes no número de soldados no ativo bem como na reserva.
EUA podem reduzir Forças Armadas em mais 15%
O responsável indicou que um estudo concluiu que as missões prioritárias poderiam ser levadas a cabo com entre 420 mil e 450 soldados no ativo – em contraste com os 490 mil que estava até agora previsto que subsistiriam aos cortes – e entre 490 mil e 530 mil na reserva, em vez de 555 mil.
Fonte: NM

Compostela Maquinista: "Marca que vou carregar para a vida é tremenda"

O maquinista ferroviário Francisco Garzón Amo, acusado de 79 homicídios por negligência, disse ao promotor público não saber em que ia a pensar quando o comboio que conduzia descarrilou, a 24 de julho, na Galiza.
Maquinista: Marca que vou carregar para a vida é tremenda
O diário espanhol El País publicou na sua edição de hoje a transcrição do interrogatório judicial ocorrido no domingo quando, inquirido pelo promotor público Antonio Roma sobre aquilo em que ia a pensar na altura em que se deu o acidente que provocou, além de 79 mortos, mais de 150 feridos, o maquinista de 52 anos respondeu: “Se o soubesse… a marca que vou carregar para toda a vida é tremenda”.
“Digo-lhe sinceramente que não sei, não estou tão louco que não travasse”, acrescentou.
Ativou os travões no último momento, “o pneumático, etc., todos”, mas a tragédia “era inevitável”, explicou: “É que na curva já vi, já vi que não a ia passar, vi que não a ia passar”.
Depois de descarrilar, ligou para o serviço de emergências da Renfe, a empresa ferroviária espanhola, uma chamada em que terá reconhecido que seguia em excesso de velocidade.
“Depois de tombar, a primeira coisa que qualquer maquinista ou trabalhador faz é telefonar. Disse que havia muitíssimos mortos porque era inevitável”, relatou.
E prossegue: “À velocidade a que ia, apesar de não poder recuar no tempo, eu sei o que levava em mãos e sei que ali tinha de haver desgraça (…) É que tudo vai no sentido em que eu devia saber que naquele ponto devia pôr-me a essa velocidade [80 quilómetros por hora], nada mais”.
Ao juiz Luis Aláez, contou: “Quando foi o golpe, andaria entre os 180 e 190, não me deu tempo para nada”.
À pergunta do juiz sobre porque não reduziu a velocidade, o maquinista respondeu: “É que não há explicação, não compreendo como é que não o vi”.
O magistrado observou, então, que circulou ao longo de quatro quilómetros a uma velocidade muito superior à conveniente, e Garzón Amo comentou que, quase a 200 quilómetros por hora, quatro quilómetros “passam muito depressa” e que, ao entrar nos túneis, não se deu conta de que ia tão depressa e não reduziu a velocidade.
Indicou ainda que o sistema automático de travagem do comboio que conduzia, um Alvia, só entra em funcionamento a partir dos 200 quilómetros por hora e após avisos prévios.
Fonte: NM

Movimento Progressista Lusodescendente de novo partido venezuelano acusa regime de ser "fascista"

A líder do novo Movimento Progressista da Venezuela (MPV), a lusodescendente Andrea Tavares, acusou hoje o regime de ser “fascista” e “totalitário”, naquela que é a sua primeira intervenção como responsável da nova organização política de esquerda.
Lusodescendente de novo partido venezuelano acusa regime de ser fascista
"Fundámos esta organização política e estamos participando na Mesa de Unidade Democrática (coligação opositora). Não é fácil o momento político que se vive no país, mas propomos um novo estilo de partido político, uma nova maneira dos partidos se relacionarem com a sociedade", disse a lusodescendente, filha de emigrantes naturais de Setúbal.
Em declarações à Agência Lusa, a dirigente explicou que a unidade da oposição não permite “promover, de uma maneira mais intensa, a simbologia” própria, mas acredita que o MPV terá um papel fundamental no futuro ".
O MPV foi fundado por militantes do partido Pátria Para Todos (PPT), uma organização de esquerda que dirigiu e que apoiou o falecido presidente Hugo Chávez, passando mais tarde para a oposição. No entanto, o Supremo Tribunal considerou que os símbolos do partido deveriam fazer parte da aliança chavista.
"Fomos alvo de uma expropriação política. Assim como na Venezuela se expropriam propriedades, indústrias e habitações de particulares, também se expropriam partidos políticos. Uma vez que o PPT, em assembleia, decidiu apoiar Henrique Capriles Radonksi (candidato da oposição nas eleições presidenciais de 2012), o Governo iniciou um processo judicial com atores que se fizeram passar por militantes do partido", disse.
Por isso, "continuamos (com o MPV) a manter a nossa condição de organização de esquerda. As nossas ideias e conceitos estão vinculados fundamentalmente à esquerda democrática, que durante anos debateu, repensou e entendeu que a democracia tinha sido um conceito que os setores da antiga esquerda abandonaram e deixaram aos setores da social-democracia", disse.
A lusodescendente acusou o governo venezuelano de ter um discurso manipulador, ao apresentar-se de esquerda no seu discurso, mas com uma “prática” que revela um “deslizamento para o fascismo e o totalitarismo”, que o colocam na “ultra direita fascista".
"O único que o mantém aí ainda, usurpando os espaços, é o livro de cheques petrolíferos, o que faz com que muitos países não apoiem a luta dos venezuelanos pela democracia", disse.
Fonte: NM

Compostela Maquinista recebeu chamada de controlador que ia a bordo

O maquinista do comboio que descarrilou há uma semana a quatro quilómetros de Santiago de Compostela, na Galiza, disse hoje que momentos antes do acidente recebeu uma chamada do controlador que seguia a bordo.
Maquinista recebeu chamada de controlador que ia a bordo
Perante o juiz de instrução do caso, o maquinista Francisco José Garzón Amo, acusado do homicídio involuntário de 79 pessoas, disse que o autor da chamada telefónica que recebeu minutos antes do acidente foi um controlador, que também seguia a bordo do comboio.
Segundo o condutor, o diálogo, efetuado entre telefones da empresa e que terá durado dois minutos, versou sobre a via em que devia parar o comboio, que fazia a rota entre Madrid e Ferrol, e descarrilou ao chegar a Pontedeume, no dia 24 de julho.
Em declarações ao jornal espanhol El País, o controlador, Antonio Martín Marugán, confirmou que estava a falar ao telefone com o maquinista quando se deu o acidente.
“Telefonei ao condutor para que se apeasse uma família”, explicou, concretizando que sugeriu que, à chegada a Pontedeume (A Coruña), o condutor optasse pela via mais próxima da estação (das duas possíveis), para facilitar a saída da família que viajava com crianças.
Segundo o Tribunal Superior de Justiça da Galiza, citado pelo jornal espanhol El Mundo, o ruído de fundo que se ouve na conversa parece indicar que o maquinista estaria a consultar documentos ou papéis.
Nas primeiras declarações que fez à polícia, Antonio Martín Marugán contou que ia sentado no vagão 3, mas nada disse sobre o telefonema. Também o maquinista omitiu, nas primeiras declarações, que estaria ao telefone com o controlador, atribuindo o acidente a uma distração sua e repetindo que não encontrava explicação para o sucedido.
Segundo fontes consultadas pela agência noticiosa Efe, o contacto telefónico só deveria ter sido efetuado em caso de emergência, já que o guia de boas práticas da Renfe, empresa de caminhos de ferro espanhola, aconselha a supressão das comunicações em pontos críticos.
Hoje, o presidente de Renfe, Julio Gómez-Pomar, confirmou que o telefone só deve ser usado em situações “muito excecionais”.
A chamada telefónica foi registada pelas caixas negras do comboio, descobertas após o acidente. O telefone profissional usado pelo maquinista desapareceu no acidente.
Segundo os dados contidos nas caixas negras, instantes antes do acidente o comboio circulava a 192 quilómetros por hora e, depois da ativação do travão pelo maquinista, embateu no muro ao passar a curva de A Grandeira a 153 quilómetros por hora, num local onde não se deve circular a mais de 80.
Depois do descarrilamento, Garzón Amo contactou os serviços de emergência para comunicar o excesso de velocidade.
O maquinista é acusado de 79 homicídios e de uma série de outros delitos por negligência profissional.
Apesar de as autoridades acreditarem que não haverá mais mortos, 61 pessoas permanecem hospitalizadas, 13 das quais em estado crítico.
Fonte: NM

terça-feira, 30 de julho de 2013

Automóveis Bruxelas dá OK a resgate da Peugeot

A União Europeia decidiu ajudar a Peugeot Citroen, avançando com um plano de resgate de sete mil milhões de euros em garantias públicas, adianta o Diário Económico.
Bruxelas dá OK a resgate da Peugeot
O grupo francês da Peugeot recebeu de Bruxelas o OK para o plano de resgate de sete mil milhões de euros em garantias públicas.
Em Portugal, a Peugeot, com produção em Mangualde, saudou a decisão favorável de Bruxelas.
O comissário europeu da Concorrência, Joaquin Almunia,  justifica a decisão com o facto de se ter chegado a "uma fórmula que permite à PSA avançar com a reestruturação de acordo com os limites definidos, reduzindo ao mínimo os efeitos prejudiciais para os competidores que não receberam apoio do financiamento público", cita o Diário Económico.
Para o comissário, "este é o resultado equilibrado que permite ao grupo PSA a hipótese de um novo início com uma base sólida".
O entendimento passa pela garantia do Estado francês às obrigações da unidade financeira do fabricante de automóveis, o PSA Banque Finance, tendo como objectivo a redução dos custos de financiamento.
Fonte: NM

Governo PSD assume que maioria quer renovar mandato em 2015

O líder parlamentar social-democrata assumiu hoje que a maioria PSD/CDS-PP quer renovar o seu mandato em 2015, enquanto os democratas-cristãos assinalaram a coesão que existe depois de "um momento de tensão".
PSD assume que maioria quer renovar mandato em 2015
"Esta maioria está aqui para dar e durar. Esta maioria quer democraticamente renovar o seu mandato em 2015. Mas, esta maioria sabe que não vai estar eternamente no poder. E há uma coisa que esta maioria quer: quer deixar nesse dia - daqui a muitos anos - àqueles que virão a seguir a nós, um país bem mais preparado para os desafios futuros", afirmou o líder da bancada do PSD, Luís Montenegro, numa intervenção no debate da moção de confiança apresentada pelo Governo e que está a ser discutida no Parlamento.
Num discurso em que deixou rasgados elogios ao primeiro-ministro, enaltecendo a "postura de coragem revelada" por Passos Coelho, mesmo durante o período de "dificuldades que o Governo enfrentou internamente", Luís Montenegro assumiu os próximos dois anos como um "novo ciclo da atual legislatura" ainda que não menos exigente que o anterior.
Corroborando o apelo do primeiro-ministro ao diálogo com os partidos e os parceiros sociais, o líder da bancada social-democrata defendeu que "construir o Portugal pós-troika exige o envolvimento de todos": cidadãos, empresas, partidos políticos e parceiros sociais.
Contudo, ressalvou, ao contrário do que muitos entendem, este envolvimento não é necessário para garantir as condições de governabilidade.
"A estabilidade e a coesão do Governo dependem dos partidos que o compõem e dos grupos parlamentares que o apoiam no Parlamento. E isso está garantido", assegurou, clarificando que o envolvimento que o PSD procura é no sentido de "servir melhor o interesse nacional"
"O interesse nacional não apaga nem é incompatível com o interesse parcelar de um partido político. Uma oposição não deixa de se poder afirmar, de apresentar as suas alternativas, pelo facto de convergir ou de se aproximar da maioria em questões essenciais", sustentou.
Por isso, continuou o líder parlamentar do PSD, a maioria está disponível, "está de boa-fé no propósito de não desperdiçar qualquer hipótese ou oportunidade de diálogo que se abra no debate político", pois existem questões que devem aproximar os partidos "a bem do país".
"Em bom rigor, senhores deputados do PS, quem o fizer não está só a proteger o interesse nacional. Está também a proteger o seu interesse em poder governar bem no futuro", disse, considerando que é essa o ponto-chave do "compromisso nacional" que se deve procurar e que seria "redutor para não dizer mesquinho" que quem aspira a governar não comece logo na oposição a contribuir para resolver os problemas do país.
Pelo CDS-PP, o deputado Telmo Correio destacou igualmente a coesão da maioria, sublinhando que "depois de um momento de tensão, o governo sai objetivamente reforçado deste percurso".
Pelo contrário, acrescentou, dos três "debates de Estado" que se realizaram em menos de um mês no Parlamento - o debate do Estado da Nação, uma moção de censura e outra de confiança - "a oposição sai no mínimo mais dispersa ou com mais disparidade" e sem ter sido capaz de apresentar "uma alternativa sólida e credível".
"A maioria sai indiscutivelmente mais coesa", insistiu.
Notando que a austeridade não é uma escolha do Governo, mas uma opção imposta, Telmo Correia falou igualmente no início de um segundo ciclo que os portugueses avaliarão dentro de dois anos nas urnas.
"Os portugueses avaliarão nas urnas e história julgará esta geração de deputados. Está nas nossas mãos escrever essa história", frisou.
Fonte: NM

Igreja Padre gay pede a Papa que se adapte ao mundo contemporâneo

Um padre gay argentino, que foi dispensado do exercídio do sacerdócio após confessar a sua orientação sexual, escreveu uma carta ao papa, instando-o a adaptar-se “aos novos paradigmas do mundo contemporâneo”, depois de Francisco ter sustentado que não julga os homossexuais.
Padre gay pede a Papa que se adapte ao mundo contemporâneo
Andrés Gioeni, que trocou o sacerdócio pelos ofícios de ator e escritor, celebra na sua carta, publicada na rede social Facebook, “a lufada de ar fresco” que representou a chegada do papa Francisco ao Vaticano, mas adverte “que há muito caminho por percorrer”.
“Já fui em tempos sacerdote católico, pastor, partilhei esse ímpeto missionário e essa necessidade de reclamar a abertura eclesiástica. Até que decidi dar o flanco quando descobri a minha própria orientação homossexual e admiti a minha impossibilidade de exercer o ministério pastoral em celibato”, admite Gioeni na missiva.
“Atrevo-me a fazer-me porta-voz de uma grande quantidade de pessoas que pertencem à comunidade homossexual. E simplesmente, com humildade, a pedir-lhe encarecidamente que incentive, estimule, promova e acompanhe um maior aprofundamento na teologia moral sexual sobre o lugar e a experiência da pessoa homossexual”, pede Gioeni.
O sacerdote explica que se sente "feliz e realizado" depois de viver há 10 anos com um companheiro do mesmo sexo.
Gioeni esclarece que não pretende que o novo chefe da Igreja Católica renuncie à doutrina da Igreja, mas que “a ajude a continuar a crescer adequando-se aos novos paradigmas do mundo contemporâneo que nos desafiam a encontrar novas respostas”.
“A sério que o amor de duas pessoas, sendo do mesmo sexo, não demonstra nem reflete nada do amor de Deus?” - questiona o ator e escritor, que pergunta também se “a Igreja, com os seus silêncios, vai permitir que se continue a estigmatizar tantos jovens em tantos países onde continuam a ser assassinados apenas pela sua orientação”.
Gioeni conclui a carta pedindo a Francisco que ajude a comunidade homossexual a descobrir por onde pode “transitar a fé” sem renunciar à sua “experiência de amor”.
Em declarações à imprensa no avião em que regressou do Rio de Janeiro a Roma, o papa disse: “Se uma pessoa é gay, procura o Senhor e tem boa vontade, quem sou eu para julgá-la?”.
A doutrina da Igreja Católica diz que “não se devem marginalizar essas pessoas e que devem ser integradas na sociedade”, acrescentou.
Fonte: NM

Óbito Mulher de Benítez culpa médicos pela morte do jogador

Liseth Chalá acusou os médicos de hospital no Qatar de terem tardado no socorro a Christian Benítez
Mulher de Benítez culpa médicos pela morte do jogador
A mulher de Christian Benítez, Liseth Chalá, acusa os médicos que socorreram o jogador de terem dado um tratamento inadequado no hospital. "Estivemos mais de duas horas sem receber atenção médica apropriada", denunciou Liseth à ESPN.
O jogador equatoriano faleceu na passada segunda-feira, aos 27 anos, após uma apendicite ter evoluído para uma peritonite, acabando por dar origem a uma paragem cardíaca num hospital do Qatar.
O diagnóstico oficial sobre a morte do jogador ainda não foi divulgado.
Fonte: NM

Presidenciais Republicanos não perdem tempo e preparam campanha contra Hillary

Ainda faltam mais de três anos para as próximas presidenciais norte-americanas e já há movimentos dentro do partido republicano a preparar a oposição à eventual candidatura de Hillary Clinton, adianta a BBC. No entanto, a ex-secretária de Estado de Obama ainda não disse se pretende realmente avançar para uma corrida à Casa Branca.
Republicanos não perdem tempo e preparam campanha contra Hillary
Os republicanos não brincam em serviço e a mais de três anos das próximas eleições no país estão já a preparar a ‘combate’ contra a candidatura de Hillary Clinton, que pode até não se vir a confirmar, uma vez que a antiga primeira-dama não comunicou ainda a sua intenção.
Os grupos de republicanos justificam as medidas precoces com o facto de precisarem de estar preparados desde já, antes que seja tarde demais para impedir que "mais um Clinton" ocupe a presidência. De recordar que o marido de Hillary, Bill Clinton, esteve à frente da Casa Branca entre 1993 e 2001.
"É crucial começar agora", disse à BBC o porta-voz de um dos movimentos já em acção, o ‘Stop Hillary PAC’, sendo que a sigla significa Comité de Acção Política, expressão destinada a organizações que não estão ligadas oficialmente a qualquer candidato ou partido, mas que podem angariar fundos e fazer campanhas a favor ou contra candidatos ou causas.
"A máquina ‘Hillary e Bill Clinton’ está pronta para agir no momento em que precisarem. Têm força desde o primeiro dia, assim que Hillary decidir quando será o primeiro dia. Nós precisamos de estar prontos para a enfrentar quando esse momento chegar", explicou o responsável.
Já na semana passada, o ‘Stop Hillary PAC’ divulgou na Internet um vídeo de 50 segundos com imagens negativas sobre um possível governo Hillary.
No vídeo, uma voz feminina presta o juramento presidencial enquanto imagens de cerimónias de posse anteriores são intercaladas por palavras que remetem a escândalos, a que Hillary terá estado associada, como o ataque ao consulado americano em Benghazi, na Líbia, quando era secretária de Estado, e que resultou na morte do embaixador norte-americano no país.
Formado em Maio, o grupo é liderado pelo senador republicano Ted Harvey, do Estado do Colorado, e tem já vários simpatizantes que não hesitaram em fazer contribuições financeiras para "assegurar que Hillary Clinton nunca se torne presidente dos EUA".
Fonte: NM

Fotografia Real Madrid junta David Beckham e Cristiano Ronaldo

O ex-jogador de futebol David Beckham decidiu ir matar saudades dos seus tempos no Real Madrid e foi visitar a equipa ao local de estágio do clube madrileno em Los Angeles. Resultado acabou por posar com Ronaldo para uma fotografia, que foi a alegria das fãs.
Real Madrid junta David Beckham e Cristiano Ronaldo
O ex-jogador de futebol David Beckham decidiu ir matar saudades dos seus tempos no Real Madrid e foi visitar a equipa ao local de estágio do clube madrileno em Los Angeles. Resultado acabou por posar com Ronaldo para uma fotografia, que foi a alegria das fãs.
Real Madrid junta David Beckham e Cristiano Ronaldo
Cristiano Ronaldo e David Beckham posaram juntos para uma fotografia no local de estágio do Real Madrid, em Los Angeles.
O lendário ex-jogador inglês decidiu fazer uma visita à sua antiga equipa.
Em comum, além do futebol e mais particularmente do Real Madrid, tem os suspiros das fãs femininas, mais atentas ao físico dos jogadores, e a admiração dos fãs masculinos que preferem os dotes futebolísticos.
David Beckham representou o clube espanhol entre as épocas de 2003 e 2007, participando em pelo menos 116 jogos.
Fonte: NM

Futebol Vitória de Guimarães bate Paços de Ferreira por 2-0

Um Vitória de Guimarães muito eficaz bateu hoje o Paços de Ferreira por 2-0, com golos de Maazou e Tomané, num jogo particular de futebol realizado em Guimarães.
Vitória de Guimarães bate Paços de Ferreira por 2-0
O Paços de Ferreira deu boa réplica e em vários períodos do jogo foi até superior, mas o Vitória mostrou o pragmatismo que marcou a época passada e aproveitou de forma muito eficaz dois erros do experiente Filipe Anunciação.
Aos 16 minutos, Maazou intercetou a bola ao experiente jogador (34 anos), aguentou depois a carga do central pacense e, à saída de António Filipe, rematou rasteiro, fazendo o primeiro golo da partida.
Apenas três minutos depois, Paulo Oliveira desperdiçou aquele que seria o segundo do Vitória, ao rematar muito mal, mas em excelente posição e sem marcação, após um canto.
O Paços de Ferreira demorou a entrar na partida e só aos 29 minutos criou perigo junto da baliza defendida por Douglas e podia mesmo ter marcado, mas André Leão cabeceou ao lado, também após a marcação de um pontapé de canto.
Os últimos 15 minutos da primeira parte pertenceram à equipa orientada por Costinha e, aos 39 minutos, Jaime Poulsen falhou o cabeceamento, após centro de Manuel José.
Na segunda parte, houve lugar a muitas substituições e o jogo seguia com equilíbrio até que surgiu o segundo golo do Vitória: Filipe Anunciação voltou a facilitar e permitiu a Tomané ganhar-lhe o lance e, na cara do guarda-redes, o jovem avançado não perdoou.
Logo a seguir, Costinha operou uma autêntica revolução no Paços de Ferreira, com 10 substituições em simultâneo (só não mudou de guarda-redes).
Rui Vitória também fez muitas alterações, ainda que faseadamente, tendo mesmo mudado toda a equipa, e até ao final o equilibrio foi a nota dominante, ainda que com o Paços de Ferreira a tentar reduzir.

Jogo no campo número 3 do Complexo Desportivo do Vitória de Guimarães.
Vitória de Guimarães - Paços de Ferreira, 2-0.
Ao intervalo: 1-0.
Marcadores:
1-0, Maazou, 16 minutos.
2-0, Tomané, 65.

Equipas:
- Vitória de Guimarães: Douglas, Pedro Correia, Paulo Oliveira, Josué, Addy, Moreno, Leonel Olímpio, André, Marco Matias, Ricardo Gomes e Maazou.
(Jogaram ainda: Luís Rocha, Crivellaro, Tomané, Hernâni, Barrientos, Freire, Assis, Alex, Siaka Bamba, João Amorim e Kanu).
Treinador: Rui Vitória.
- Paços de Ferreira: António Filipe, Tony, Filipe Anunciação, Roberto Dias, Nuno Santos, André Leão, Rodrigo, Rúben, Manuel José, Hurtado e Jaime Poulsen.
(Jogaram ainda: Tiago Valente, Romeu, Irobiso, Caetano, Gregory, Sérgio Oliveira, Hélder Lopes, Fernando, Vítor e Sousa).
Treinador: Costinha.

Árbitro: Filipe Faria (Braga).
Ação disciplinar: nada a registar.
Assistência: cerca de 2.000 espetadores.
Fonte: NM

Rússia Incêndio obriga a suspender transmissão de canal televisivo

Um incêndio de grandes proporções no centro televisivo Ostankino obrigou hoje à suspensão da transmissão em direto dos programas do primeiro canal da televisão russa ORT e à retirada de funcionários deste e de outros canais.
Incêndio obriga a suspender transmissão de canal televisivo
"Suspendemos completamente as transmissões em direto. O incêndio ocorre no edifício onde se encontra o estúdio. Enviámos para lá uma brigada de técnicos para normalizar a situação", declarou um porta-voz do canal, citado pela agência Ria-Novosti.
Segundo o Ministério para Situações de Emergência da Rússia, os bombeiros tiveram de retirar todos os funcionários dos canais ORT e NTV (Televisão Independente), estando a combater as chamas mais de 30 carros de bombeiros.
"No local encontram-se 35 carros e 127 bombeiros. Segundo os últimos dados, foi localizada a origem do incêndio, continuando as pessoas a serem evacuadas", declarou um porta-voz daquele ministério citado pela mesma agência.
O mesmo ministério sublinha que foram evacuadas mais de mil pessoas, mas que o incêndio não provocou mortos ou feridos.
Fonte: NM

Terrorismo Grupo ligado à al-Qaeda reivindica vaga de atentados no Iraque

Um grupo ligado à rede terrorista al-Qaida reivindicou hoje a vaga de atentados que causou perto de uma centena de mortos no Iraque, na segunda-feira e hoje.
Grupo ligado à al-Qaeda reivindica vaga de atentados no Iraque
O grupo, identificado como Estado Islâmico no Iraque e no Levante, reclama, em comunicado difundido numa página de Internet, ter atingido "patrulhas de segurança militar na região de Bagdade e do sul" do Iraque e assume que pretendia atingir "alvos militares e governamentais" e "traidores sunitas".
Segundo fontes médicas e de segurança, dez pessoas, entre as quais sete polícias, foram mortas hoje em quatro ataques distintos, numa barragem a sul de Bagdade, numa mesquita xiita a norte da capital, na província de Kirkuk e na cidade de Mossul, no norte do país.
Na segunda-feira, pelo menos 16 carros armadilhados explodiram, entre os quais onze na capital iraquiana, causando cerca de 60 mortos.
O Estado Islâmico no Iraque e no Levante avisa que esta vaga de atentados é o ponto de partida de uma nova campanha, que visa atingir sobretudo as zonas maioritariamente xiitas.
O grupo radical sunita já tinha reivindicado, há uma semana, os ataques contra duas prisões, que resultaram na evasão de centenas de reclusos, entre os quais dirigentes extremistas.
De acordo com o balanço feito pela agência noticiosa francesa AFP junto de fontes médicas e de segurança, mais de 820 pessoas morreram em atos violentos no Iraque desde o início do mês, número que ultrapassa as três mil vítimas desde o início do ano.
Fonte: NM

Como vivem as flores


 Era uma tarde quente de verão, e o vendaval agitava a folhagem com violência, anunciando a tempestade que se aproximava rapidamente...
Pelas janelas abertas, um suave perfume enchia a casa...
Lá fora, um espetáculo digno de nota acontecia...
Açoitados pelo vento, os pés de manjericão, alfavaca e lavanda dobravam-se e liberavam um delicioso perfume.
Era impressionante notar a maneira como as flores e folhagens respondiam aos golpes violentos do vento...
Os primeiros pingos de chuva enfeitavam as rosas abertas como se fossem diamantes líquidos...
Mas o temporal anunciado logo chegou e as gotas da chuva, agora misturadas com o vento forte, pareciam um bombardeio cruel macerando as suaves pétalas, que respondiam à agressão liberando um perfume inconfundível...
Era incrível aquela lição viva de generosidade e resignação!
Ante a violência do temporal, instintivamente as plantas se dobravam para não quebrar...
As plantas não pensam, não são seres racionais, mas cumprem, silenciosas e submissas, a tarefa que o Criador lhes confia, apesar das tempestades da vida...
Assim também agem algumas pessoas. São como as flores que, mesmo maceradas pela enfermidade cruel, pela agrestia da vida, respondem com o perfume do otimismo e da alegria.
Seres racionais que são, sabem que todas as lições que lhes chegam são oportunidades de crescimento e autossuperação.
Isso acontece com uma jovem senhora, agredida por um câncer cruel que tenta lhe roubar o corpo, minando-o aos poucos e insistentemente.
Quando soube que teria que fazer quimioterapia novamente, não se desesperou.
Eu venci essa doença uma vez e vou vencê-la de novo. Falava com fé e disposição.
A família, preocupada com seu estado de saúde, insistia para que ela ficasse em casa, repousando, mas ela prefere trabalhar.
Trabalha como vendedora e sempre supera as metas estabelecidas.
Quando faz o tratamento quimioterápico, ela passa muito mal. Mas a dor não a impede de estar o dia todo com um sorriso nos lábios, distribuindo otimismo junto aos seus colegas.
Sempre gentil, ela dribla a doença, trabalha, confia, sofre, espera...
Uma pessoa assim é como uma flor que, mesmo açoitada pelos ventos fortes e pela violência da chuva, exala perfume e não deixa de florescer a cada primavera.
Parece que Deus permite que pessoas assim nasçam na Terra para exemplificar a resignação, a confiança, o otimismo...
Pessoas que não se deixam desanimar, mesmo diante dos quadros mais graves e desesperadores.
O corpo sofre as agressões da doença, não há dúvida. Mas o Espírito está intacto, lúcido, ofertando o perfume da gratidão a Deus pela bênção da vida. E vive intensamente.
Enquanto muitas pessoas saudáveis reclamam por coisas mínimas, faltam ao trabalho sem motivos justos, aquela mulher-flor abre suas pétalas de esperança dignificando a oportunidade de crescer que o Criador lhe concede.
Sem dúvida, um exemplo incomum...
Em vez de se deixar derrotar pela enfermidade, ela luta com vigor e coragem, e, acima de tudo, com confiança plena em Deus...
Quando, em algum momento, sua coragem ameaça vacilar, pensa nas pessoas que sofrem mais que ela e firma o passo outra vez, seguindo em frente.
Imitando as flores que, mesmo tendo suas pétalas rasgadas pelo granizo, não deixam de exalar perfume, também essa moça valente não permite que a doença lhe roube a paz de Espírito e a imensa vontade de viver...
Pense nisso, e busque viver com otimismo, por mais que a situação esteja difícil...
Lembre-se sempre de como vivem as flores...

Fonte: Redação do Momento Espírita.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Crime Cantor brasileiro morre esfaqueado pelo pai

O vocalista da banda Pray For Mercy, Fábio Nunes Frazão, morreu, este fim-de-semana, vítima de esfaqueamento. A irmã do cantor acredita que terá sido o próprio pai a cometer o crime após uma acesa discussão, escreve o site da Globo.
Cantor brasileiro morre esfaqueado pelo pai
Fábio Nunes Frazão, conhecido como Shaman, tinha 25 anos e, segundo os relatos da sua irmã, morreu na sequência de uma discussão com o pai, que o terá esfaqueado até à morte no passado sábado. Os golpes foram, na sua maioria, na zona do abdómen.
De acordo com o site do canal Globo, o vocalista da banda de death metal Pray For Mercy foi encontrado no chão da cozinha. O cantor ainda foi transportado para o hospital mais próximo, mas acabou por não resistir aos ferimentos.
A banda já confirmou, através do Facebook, a morte do jovem artista. “Todos nós estamos chocados e sem acreditar que isso aconteceu, imagino que boa parte de vocês que já estão nos dando palavras de apoio, também estejam assim. Infelizmente a vida segue dessa forma”, escreveu a banda na rede social, pedindo ainda que compreendam a dor e o silêncio perante esta situação.
Por enquanto a polícia brasileira continua à procura do pai de Fábio Frazão, o alegado autor do crime.
Fonte: NM

Tranche FMI aprova desembolso de 1,72 mil milões para Grécia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou hoje o desembolso de 1,72 mil milhões de euros para a Grécia, após a avaliação do cumprimento do segundo programa de ajustamento.
FMI aprova desembolso de 1,72 mil milões para Grécia
Em comunicado, o FMI diz que esta aprovação vai subir para 8,24 mil milhões de euros a contribuição dada pela organização à Grécia no âmbito deste programa de ajustamento.
O segundo acordo com a Grécia envolverá um empréstimo conjunto com os países da zona euro que deverá atingir os 172 mil milhões de euros a desembolsar ao longo de quatro anos.
A Grécia aprovou de urgência, na quinta-feira, um projeto de lei sobre a reforma dos impostos e a redução do setor público, exigido pela União Europeia e FMI para continuar com a ajuda financeira ao país.
O diploma foi aprovado pela maioria da coligação governamental, direita e socialistas, liderada pelo primeiro-ministro conservador, Antonis Samaras, segundo uma fonte parlamentar.
O principal partido da oposição, o Syriza (esquerda radical), bem como outros quatro partidos com assento parlamentar votaram contra o projeto de lei que constitui a última etapa para que a Grécia cumpra os compromissos com os seus credores.
Fonte: NM

Governo Pires de Lima avaliará eficácia dos programas de contrapartidas

O ministro da Economia, António Pires de Lima, fará, em articulação com o ministro da Defesa, uma "avaliação da eficácia dos programas de contrapartidas", considerando sempre "a importância do desenvolvimento económico e a defesa dos interesses do Estado".
Pires de Lima avaliará eficácia dos programas de contrapartidas
A indicação de Pires de Lima, transmitida em nota enviada à agência Lusa pelo Ministério da Economia, surge no dia em que o Correio da Manhã noticia que, dias antes de abandonar a pasta da Economia, o antecessor Álvaro Santos Pereira "deu instruções para ser declarado o incumprimento definitivo do contrato de contrapartidas da compra dos torpedos para os submarinos".
Segundo o gabinete do novo ministro com a tutela da Economia, o contrato de contrapartidas que deriva de aquisição de torpedos tem um período de vigência de oito anos, que termina em fevereiro de 2014.
"Desde 2006, início da vigência daquele contrato, a Comissão Permanente de Contrapartidas apenas aceitou pedidos de creditação de contrapartidas equivalentes a 6,4% do valor acordado dos projetos. Nestes termos, a insuficiência e o atraso no cumprimento são manifestos", reconhece o gabinete de Pires de Lima.
Aaquisição dos torpedos foi adjudicada em fevereiro de 2005, pelo então ministro da Defesa, Paulo Portas, que tutela, na nova orgânica governamental, a política económica.
Nos termos "rigorosos" do contrato, prossegue a nota do Ministério, encontram-se fixadas metas intercalares para os diversos projetos cujo não cumprimento constitui a empresa adjudicatária em mora.
Em fevereiro de 2012 venceu-se a segunda meta intercalar e ficaram em mora 50% das contrapartidas para a maior parte dos projetos sendo que, desta forma, será interpelada a empresa a pagar ao Estado o montante de 4,132 milhões de euros de penalidades por valores em mora.
"Recorde-se que estas ações estão previstas no contrato, que inclui uma exigente garantia bancária de 25% que garante a salvaguarda do interesse do Estado em caso de incumprimento definitivo", nota ainda o Ministério da Economia.
O processo sobre a compra de dois submarinos pelo Governo de Durão Barroso e Paulo Portas ainda ‘persegue' politicamente o líder do CDS-PP e vice-primeiro-ministro, que, em debates ou quando questionado sobre o assunto, defendeu sempre a opção que fez e lembrou que, em termos judiciais, nunca foi chamado a qualquer investigação.
Fonte: NM

Banco BCP quer voltar ao lucro em Portugal após a reestruturação

O BCP está "mais forte" e "mais sólido" após a reestruturação operada nos últimos anos no banco, na opinião do presidente Nuno Amado, que aponta para o regresso ao lucro na atividade doméstica como o próximo grande desafio.
BCP quer voltar ao lucro em Portugal após a reestruturação
"Temos um BCP renovado para atingir os objetivos principais: alcançar o 'break even' [resultados positivos] em Portugal e apoiar os particulares e empresas", afirmou hoje o mesmo responsável, numa conferência de imprensa em Lisboa.
O prejuízo de 488,2 milhões de euros entre janeiro e junho "é ainda um resultado bastante negativo", admitiu Nuno Amado, considerando que o novo ciclo que se abre no banco dará frutos a médio prazo.
"Este verão vamos dar por concluído uma fase importante do nosso plano estratégico de reposicionamento do banco. No primeiro semestre, os principais destaques passam pelo reforço de capital, reforço de liquidez, pela venda da operação na Grécia e pela definição do perímetro do banco depois das negociações com Bruxelas", destacou.
"Falta-nos executar o aprofundamento do plano, que será divulgado nos resultados do terceiro trimestre", frisou o banqueiro.
Nuno Amado salientou a importância da operação de venda da sucursal grega do BCP, concluída no primeiro semestre, sublinhando que "o risco da Grécia era muito difícil de gerir, semestre após semestre".
"O banco está agora mais forte e mais sólido", finalizou o banqueiro.
Fonte: NM

Reestruturação Banif já fechou 42 balcões e encerramentos vão continuar

O Banif fechou 42 balcões entre janeiro de 2012 e junho deste ano, disse hoje o presidente do banco, que perspetivou ainda que o plano de reestruturação do Banif deverá ser fechado com Bruxelas em "setembro ou outubro".
Banif já fechou 42 balcões e encerramentos vão continuar
O Banif ainda está a negociar o plano de reestruturação com a Direção-Geral da Concorrência europeia, um documento obrigatório para os bancos que receberam dinheiros públicos.
Depois de Caixa Geral de Depósitos, BCP e BPI terem fechado os seus planos na semana passada, Jorge Tomé disse hoje que o do Banif - que começou a ser negociado cerca de seis meses depois dos outros bancos portugueses - deverá ser concluído em "setembro ou outubro" e que o que falta são sobretudo questões operacionais, nomeadamente como vai Bruxelas monitorizar se o Banif está a cumprir o acordado.
O plano de reestruturação define as linhas estratégicas do Banif até 2017, sendo já conhecido que o banco vai ter de sair de muitas das operações internacionais, à exceção do negócio da emigração.
Na atividade em Portugal, vai focar-se na banca de retalho na Madeira e nos Açores e nas pequenas e médias empresas e terá de reduzir os seus custos, incluindo com o fecho de balcões e saída de pessoal.
"Os balcões que não têm rentabilidade vamos ter de os fechar", disse hoje Jorge Tomé aos jornalistas, à margem da apresentação dos resultados do aumento de capital, recusando confirmar se o plano negociado com Bruxelas implica o encerramento de cerca de 100 balcões.
"O ano passado e este ano já fechamos 42 balcões e esse processo é para continuar", acrescentou apenas o presidente do Banif.
Fonte: NM

Banco Venda do Banif Brasil arranca depois do Verão

O Banif vai iniciar depois do verão o processo de venda da operação que tem no Brasil, disse hoje à Lusa o presidente do Banif, adiantando que há já interessados para o banco que tem em Cabo Verde.
Venda do Banif Brasil arranca depois do Verão
"O processo [para a venda do Banif Brasi] será iniciado no final de setembro, início de outubro", disse hoje à Lusa o presidente do Banif, Jorge Tomé, adiantando que o Crédit Suisse está a ajudar o banco nesta alienação.
O Banif tem tido problemas com a operação no Brasil, que tem contribuído de forma significativa para os prejuízos que o banco tem apresentado.
Decorre ainda uma ação de responsabilidade civil contra ex-diretores do Banif no Brasil, depois de auditorias internas terem detetado "indícios de irregularidades" na sequência de auditorias.
Mais adiantado está o processo para a venda da operação de Cabo Verde, tendo já sido enviada informação sobre o Banco Caboverdiano de Negócios (BCN) a potenciais compradores.
"Temos interessados, mas temos de aguardar", disse Jorge Tomé.
Quanto ao banco que o Banif tem em Malta, Banif Bank, o responsável disse que ainda é "um ponto de interrogação" o que será feito.
O plano de reestruturação que o Banif está a negociar com Bruxelas, apesar de ainda não ter sido fechado, vai obrigar o Banif reduzir a sua atividade até 2017 e a desinvestir da maior parte das unidades que tem no estrangeiro, designadamente Brasil, Malta, Estados Unidos, Cabo Verde, Bahamas e ainda Banif Mais Internacional e Banca Pueyo (Espanha).
A exceção é o negócio da emigração, onde o banco está autorizado a apostar.
Jorge Tomé disse também hoje à Lusa que o Banif tem uma base de clientes "importante" nas comunidades emigrantes da Venezuela, África do Sul, Canadá e Estados Unidos "que é para continuar e para reforçar".
Fonte: NM

domingo, 28 de julho de 2013

Estação Internacional Cargueiro espacial russo acoplou com êxito

A nave de carga russa Progress M-20M efetuou, com sucesso, a acoplagem à Estação Espacial Internacional, menos de seis horas depois de ter sido lançada a partir do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.
Cargueiro espacial russo acoplou com êxito
A agência espacial norte-americana (NASA) informou que o cargueiro, que não é tripulado, completou a sua manobra automática pelas 22:26 horas de Washington (03:26 em Lisboa).
A nave, que se acoplou ao módulo Pirs, que forma parte do segmento russo da Estação Espacial Internacional, foi colocada em órbita por um foguetão russo Soyuz-U, lançado às 00:45 horas de Moscovo (21:45 em Lisboa).
O cargueiro russo transporta para a Estação água, oxigénio, alimentos e combustível, bem como equipamentos para as experiências que levam a cabo os 'inquilinos' da plataforma.
A nave de carga transporta também aos tripulantes da missão 36 da estação ferramentas que podem servir para reparar os fatos, depois de um problema ter comprometido a caminhada espacial do astronauta italiano da Agência Espacial Europeia.
Uma infiltração de água no capacete do astronauta, que continua a ser investigada, obrigou à suspensão do passeio espacial.
O último cargueiro lançado no final de abril, o Progress M-19M, que se desintegrou na sexta-feira na atmosfera no final da missão, demorou dois dias a 'atracar' na Estação Espacial Internacional, depois de ter registado problemas numa das suas antenas de aproximação.
Os russos Pável Vinográdov, Alexandr Misurkin, Fiódor Yurchijin, os norte-americanos Chris Cassidy e Karen Nyberg, e o italiano Luca Parmitano compõe a atual tripulação a bordo da Estação Espacial Internacional.
Fonte: NM

Jornadas Papa incentiva jovens a serem protagonistas de mudanças

O Papa incentivou ontem os jovens, durante a vigília da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Rio de Janeiro, a serem os protagonistas das mudanças sociais, instando-os a participarem na vida e a não serem meros observadores dos acontecimentos.
Papa incentiva jovens a serem protagonistas de mudanças
"Por favor, não deixem que outros sejam os protagonistas das mudanças, vocês são os protagonistas do futuro", disse Francisco, referindo que são os jovens que têm saído às ruas no mundo para protestar por mudanças sociais.
Francisco disse que Jesus foi engajado na sua vida e que os jovens devem seguir o seu exemplo e não somente observar os acontecimentos.
O papa fez estas declarações durante a vigília organizada pela Jornada Mundial da Juventude (JMJ), em Copacabana, que contou com a presença de cerca de três milhões peregrinos, segundo a prefeitura do Rio de Janeiro.
De acordo com o Vaticano, foram cerca de dois milhões de pessoas que assistiram à vigília em Copacabana.
O papa Francisco apelou aos jovens para que sejam cristãos a cem por cento, não de fachada, mas sim autênticos.
"Tenho a certeza de que a semente cai em boa terra, que vocês querem ser boa terra, não cristãos a tempo parcial (...), de fachada, mas sim autênticos. Estou certo de que não querem viver na ilusão de uma liberdade que se deixa arrastar pela moda e pelas conveniências do momento", disse Francisco.
O líder católico pediu aos jovens que não tenham medo de ir contra a corrente.
"Jesus pede-nos para jogar na sua equipa", disse, convidando os jovens para ajudarem a construir a igreja do futuro.
"Aqui no Brasil, como noutros países, o futebol é uma paixão nacional. Bem, o que faz um jogador quando é chamado para ser parte de uma equipa? Deve treinar! Assim é a nossa vida de discípulo do Senhor", declarou.
"Jesus nos oferece algo melhor do que a Taça do Mundo! Ele oferece-nos a possibilidade de uma vida produtiva e feliz, mas também nos dá um futuro que não vai acabar, a vida eterna", acrescentou.
O papa disse ainda que Jesus pede para "estarmos em forma para enfrentar todas as situações da vida sem medo" e lembrou a vida de Francisco de Assis, que abandonou a riqueza pelos mais pobres.
A vigília apresentou encenações, números musicais, além de depoimentos de jovens sobre como a fé e a Igreja contribuíram para superar as dificuldades nas suas vidas. O ator Tony Ramos também participou no evento.
O papa chegou ao Forte de Copacabana de helicóptero e deslocou-se até o palco principal na praia de Copacabana em papamóvel, acenando para os fiéis, abençoando e beijando crianças, recebendo ainda muitas prendas dos peregrinos.
A princípio, a vigília e a missa de encerramento da JMJ (que acontece no domingo) seriam realizadas em Guaratiba, na zona oeste do Rio de Janeiro.
A transferência destes eventos para Copacabana aconteceu após as chuvas dos últimos dias alagarem o terreno preparado pela JMJ em Guaratiba.
As autoridades brasileiras organizaram uma operação especial de transportes públicos para a população e ajudaram na deslocação de infraestruturas (de saúde, alimentação, informações e casa de banho) de Guaratiba para Copacabana.
Os fiéis têm reclamado muito das dificuldades em utilizar os transportes públicos, sempre cheios, e também das infraestruturas - sobretudos as casas de banho - que consideram muito ineficientes.
Os peregrinos poderão dormir na praia de Copacabana, segundo a prefeitura da cidade.
Desde hoje cedo, milhares de pessoas fizeram a tradicional peregrinação da JMJ, entre o centro da cidade e Copacabana - com nove quilómetros e meio -, e instalaram-se nas areias da praia à espera da vigília.
O papa Francisco, que realiza sua primeira viagem internacional desde que se tornou papa, está no Brasil para a 28.ª Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, que decorre até ao domingo.
Fonte: NM

Israel Processo de paz de Israel com a Palestina passará por referendo

O governo de Israel aprovou hoje um projeto-lei para submeter a um referendo um eventual acordo de paz com a Palestina, revelou hoje o gabinete do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.
Processo de paz de Israel com a Palestina passará por referendo
"Qualquer acordo que possa ser alcançado nas negociações [de paz] será submetido a referendo. É importante que em tal decisões históricas cada cidadão vote diretamente", declarou o gabinete do governante israelita.
O primeiro-ministro israelita disse no sábado estar disponível para libertar 104 prisioneiros palestinianos, no quadro de um retomar de negociações de paz com a Autoridade Palestiniana, que pode ter lugar já na próxima terça-feira, em Washington.
Apesar de o retomar das negociações de paz entre israelitas e palestinianos, suspensas há quase três anos, ainda não ter sido confirmado oficialmente pelo Estado judaico, a agência noticiosa AFP cita um responsável palestiniano que refere que as duas partes podem encontrar-se já na próxima terça-feira.
A possibilidade de libertação de mais de uma centena de prisioneiros palestinianos foi adiantada pelo primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, numa declaração publicada na sua página da rede social Facebook.
"Dei o meu acordo para a libertação de 104 palestinianos, por etapas, depois de iniciadas as negociações de paz, e em função da sua evolução", escreveu o primeiro-ministro israelita, sem avançar qualquer pormenor relativamente à identidade dos prisioneiros que podem vir a ser libertados.
"No momento presente, parece-me da mais alta importância que o Estado de Israel entre em negociações. É importante para aumentar as hipóteses de pôr fim ao conflito com os palestinianos, e para reforçar a posição internacional de Israel", acrescentou.
De acordo com as informações adiantadas pela agência AFP, Netanyahu deverá fazer ainda hoje uma declaração oficial no final da reunião do Conselho de Ministros israelita sobre o reatar das negociações de paz e para mandatar uma comitiva ministerial para gerir o processo de libertação de prisioneiros.
A comitiva, acrescenta a AFP, deverá ser liderada pelo próprio primeiro-ministro israelita, a quem caberá a decisão sobre quando e quem será libertado.
Ainda de acordo com fontes palestinianas, deverá ocorrer um jantar informal em Washington, nos Estados Unidos da América, na segunda-feira, no qual se espera a presença do chefe das negociações palestiniano, Saeb Erakat, da ministra da Justiça israelita Tzipi Livni e de altos responsáveis norte-americanos.
Fonte: NM

'Smartphones' Samsung vende mais do dobro da Apple

A Samsung vendeu, no último trimestre, 2,4 vezes mais 'smartphones' do que a Apple, indica o site da Forbes. Com um total de 76 milhões de unidades vendidas, a empresa sul-coreana consolida, cada vez mais, a sua posição como líder de segmento de mercado.
Samsung vende mais do dobro da Apple
No segundo trimestre deste ano, a Samsung vendeu 2,4 vezes mais ‘smartphones’ do que a Apple. O gigante sul-coreano terá vendido cerca de 76 milhões de dispositivos, enquanto a empresa californiana vendeu apenas 31,2 milhões, indica a Forbes.
A Samsung conta agora com uma cota de mercado de 30,4 % contra 13,1 % da Apple, a maior desde que o iPhone saiu em 2007.
Neil Mawston, director da Strategy Analytics, empresa que publicou os números, indica que "a quota da Apple no mercado de global de ‘smartphones’ é a mais baixa de sempre”.
O responsável revelou ainda os problemas que se podem colocar à empresa norte-americana. “A Apple está em risco de ficar entre a espada e a parede. Entre os dispositivos Android de três polegadas de baixo custo e os dispositivos de cinco polegadas, no segmento dos topo de gama", afirma Mawston.
Fonte: NM