Total de visualizações de página

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Enquanto se dever o tractor...anda tudo a pé


O mais velho pediu:
- Oh pai, queria 1 carro! Na faculdade só eu não tenho!
- Só quando eu pagar o tractor.
Vem o outro:
- Oh pai, quero uma moto!
- Só quando eu pagar o tractor.
A seguir vem o mais novo:
- Pai, quero uma bicicleta!
- Só quando eu pagar o tractor.
O miúdo vai pró quintal amuado, vê o galo em cima da galinha, dá-lhe um pontapé e diz:
- Nesta casa enquanto o pai não pagar o tractor anda tudo a pé!!!
Fonte: Internet

Conversa entre dois Alentejanos



Encontram-se dois alentejanos e pergunta um deles:
- Atão compadri, já conseguiu a carta de condução?
Responde o outro:
- Nam. Chumbê no exame...
Pergunta o primeiro:
- Como é que foi isso?
- Ora, cheguê a uma rotunda onde tava um sinal a dizer 30!
- E atão?
- Dê 30 voltas à rotunda.
- E depois?
- Chumbê.
- Atão porquê, contaste male?


Fonte: Internet

A melhor decisão


JURISPRUDÊNCIA
No meio de um julgamento, pergunta o Juiz:
- O senhor chegou a casa mais cedo e encontrou sua mulher na cama com outro homem, correto???.. .
- Correto, meritíssimo!!!... - diz o réu, de cabeça baixa..
Continua o juiz:
- Então o senhor pegou sua arma e deu um tiro na sua mulher, matando-a na hora, correto???.. .
- Correto, meritíssimo!! !... - repete o réu.
- E por que o senhor atirou nela e não no amante dela???...
O réu responde:
- Senhor Juiz....
Pareceu-me mais sensato matar uma mulher uma única vez, do que um homem diferente todos os dias.

Foi absolvido na hora!!!...Corno, porém sensato!!!..
Fonte: Internet

Saúde Criada a primeira vacina contra cancro do pulmão

Um grupo de investigadores argentinos e cubanos criou a primeira vacina terapêutica contra o cancro do pulmão, que prolonga a esperança de vida dos doentes, informou hoje o laboratório argentino Insud, participante no projeto.
Criada a primeira vacina contra cancro do pulmão
A vacina, que resulta de 18 anos de trabalho e da colaboração de um consórcio público-privado de investigação, não previne o aparecimento do tumor, mas promove a sua destruição através da ativação do sistema imunitário do próprio organismo, adiantou o mesmo laboratório em comunicado, citado pela agência Efe.
Batizada com o nome de Racotumomab, a vacina foi testada em ensaios clínicos controlados, e triplicou a percentagem de doentes que continuaram vivos dois anos após a sua toma, assinalou a mesma nota.
A vacina está indicada para casos de cancro do pulmão avançados ou com metástases, em doentes que receberam tratamentos de quimioterapia e radioterapia e se encontram estáveis.
Mais de 90 especialistas, incluindo do Instituto de Imunologia Molecular de Havana, trabalharam na identificação de um antígeno (partícula ou molécula capaz de iniciar uma resposta imune) e no desenvolvimento de um anticorpo monoclonal, que, "ao induzir o corpo a reagir a esse antígeno, ataca o tumor e as suas metástases, mas não o tecido normal", indicou o laboratório Insud.
A vacina é administrada através de injeções intradérmicas e produz uma potente resposta do sistema imunológico, realçou o diretor científico do Consórcio de Investigação e Desenvolvimento Inovador, Daniel Alonso.
A Argentina será, em julho, o primeiro país do mundo a ter disponível a vacina, cuja comercialização foi autorizada em Cuba e em mais 25 países da América e da Ásia.
O cancro do pulmão, considerado um dos mais letais, mata anualmente, em todo o mundo, 1,4 milhões de pessoas, de acordo com estimativas da Organização Mundial de Saúde.
Fonte: NM

Alemanha Manifestantes anti capitalismo invadem Zaras

As manifestações do movimento Blockupy, organizado pela internet, já se espalharam pela cidade de Frankfurt tendo invadido várias lojas, entre as quais a Zara, de modo a protestar contra o capitalismo e as medidas de austeridade.
 Manifestantes anti capitalismo invadem Zaras
A onda de protestos que começou na quinta-feira está a ganhar mais adeptos e a expandir-se pela cidade alemã. Esta quinta-feira milhares de pessoas cercaram o edifício do BCE em protesto contra as políticas de austeridade. Agora, os manifestantes estão a dirigir-se para várias lojas nas redondezas, como a Zara, e a causar alguns desacatos, avança a imprensa internacional.
A insatisfação com a política de austeridade que está a ser aplicada um pouco por toda a Europa está na base do protesto do movimento Blockupy, que foi organizado pela internet.
Fonte: NM

Reino Unido Isabel II de Inglaterra assinala domingo 60.º aniversário da coroação

A rainha Isabel II assinala, no domingo, o 60.º aniversário da coroação, com o início de uma série de eventos, incluindo um regresso a abadia de Westminster, onde foi coroado aos 27 anos de idade.
Isabel II de Inglaterra assinala domingo 60.º aniversário da coroação
Isabel, agora com 87 anos, subiu ao trono a 06 de fevereiro de 1952, com a morte do pai rei Jorge VI, mas para permitir um período de luto no país, só foi coroada 16 meses mais tarde.
Na terça-feira, realiza-se uma cerimónia comemorativa do aniversário, na abadia de Westminster, no centro de Londres, onde num dia chuvoso de verão em 1953, Isabel II ascendeu ao trono do império britânico.
No ano passado, os britânicos assinalaram o jubileu da rainha.
Em julho, prevê-se o nascimento do filho dos príncipes Guilherme e Catarina que, depois da alteração da lei da sucessão, será o terceiro em linha para o trono, independentemente do sexo.
As cerimónias comemorativas da coroação de Isabel II incluem exposições, salvas de saudação e festas em jardins.
O biógrafo real William Shawcross escreveu no jornal The Daily Telegraph que o "Reino Unido era, na altura [da coroação] um outro mundo. Que mudou radicalmente desde 1953. Só a rainha permaneceu uma constante".
A jovem soberana proferiu o seu voto solene na abadia de Westminster, a 02 de junho de 1953. Foi a primeira coroação transmitida pela televisão para mais de 20 milhões de britânicos, enquanto 11 milhões ouviram a cobertura radiofónica da cerimónia.
Apesar da chuva, a multidão encheu as ruas para homenagear a nova rainha e o início de uma nova era, depois das privações da Segunda Guerra Mundial, que tinha terminado oito anos antes.
"A rainha vai passar o domingo em privado", disse uma porta-voz do palácio de Buckingham à agência noticiosa francesa AFP. Isabel II vai passar o dia no castelo de Windsor, a oeste de Londres.
Na terça-feira, a monarca e o marido, príncipe Filipe, acompanhados por outros elementos da família real britânica e perto de dois mil convidados vão assistir a uma cerimónia na abadia de Westminster.
A imponente igreja gótica testemunhou 38 coroações, desde a de Guilherme, o Conquistador, em 1066. Dezoito monarcas britânicos estão enterrados no interior da abadia.
O arcebispo de Cantuária, Justin Welby, fará uma intervenção e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, e o secretário-geral da Commonwealth, Kamalesh Sharma, farão leituras. Será lido também um poema escrito para a ocasião por Carol Ann Duffy.
Entre os convidados, contam-se alguns que assistiram à coroação de 1953, os representantes da monarca na Austrália, Canadá, Nova Zelândia e Jamaica.
Os eventos que assinalam este aniversário estão já a decorrer, como uma exposição de fotografias do dia da coroação patente na abadia de Westminster, enquanto os correios britânicos lançaram um conjunto de selos com seis retratos da rainha.
No palácio de Buckingham, está patente até 27 de julho uma exposição dos conjuntos, incluindo o vestido de cetim branco que a rainha usou, obras e objetos do dia da coroação.
Nos jardins do palácio, de 11 a 14 de julho, uma festa marca a data.
Fonte: NM

OE2013 Governo cativa 2,5% das verbas para salários

O Governo decidiu cativar 2,5% das verbas orçamentais destinadas ao pagamento de salários, deixando assim os serviços do Estado dependentes de uma autorização do ministro das Finanças para utilizar essas verbas.
Governo cativa 2,5% das verbas para salários
A cativação faz parte da proposta de lei de Orçamento Retificativo enviada hoje à Assembleia da República onde se inclui uma cativação de "2,5% das dotações iniciais do subagrupamento 0101 -- «Remunerações certas e permanentes»", rubrica que diz respeito aos salários base não incluindo, por exemplo, suplementos remuneratórios.
Esta cativação substitui a reserva orçamental que tinha sido criada no Orçamento do Estado para 2013 e que é agora revogada para compensar o desvio orçamental provocado pelo cenário macroeconómico pior que o esperado inicialmente e o chumbo do Tribunal Constitucional a quatro normas do orçamento.
 Fonte: NM

NATO Obama anuncia cimeira da NATO sobre Afeganistão em 2014

A NATO vai organizar em 2014 uma cimeira sobre o "capítulo final" da sua guerra no Afeganistão e a anunciada missão de treino que sucederá à retirada das tropas de combate, anunciou hoje o Presidente dos EUA.
Obama anuncia cimeira da NATO sobre Afeganistão em 2014
A NATO vai organizar em 2014 uma cimeira sobre o "capítulo final" da sua guerra no Afeganistão e a anunciada missão de treino que sucederá à retirada das tropas de combate, anunciou hoje o Presidente dos EUA.
Barack Obama revelou a decisão após um encontro na Casa Branca com o secretário-geral da NATO, Anders Fogh Rasmussen, em que também foi abordada a modernização das forças aliadas e a necessidade em estabilizar as fronteiras da Líbia.
"Para facilitar o processo, concordámos que seria útil organizar uma nova cimeira da NATO no próximo ano", disse Obama durante uma conferência de imprensa conjunta com o chefe aliado.
No entanto, o Presidente norte-americano não precisou se foi abordado o desafio para a segurança regional colocado pela guerra civil na Síria, ou eventuais planos de contingência da NATO para uma intervenção.
A Aliança Atlântica fixou o final de 2014 para a retirada da sua força internacional do Afeganistão (Isaf), que incluiu cerca de 100.000 soldados.
Washington, que disponibiliza cerca de dois terços das tropas, já referiu a intenção de manter tropas no terreno após essa data, caso Cabul aceite conceder-lhes imunidade jurídica.
A cimeira "assinalará o capítulo final" das operações de combate norte-americanas, antes de uma transição para uma nova função, a formação das forças de segurança, precisou o líder da casa Branca.
Ao definir 2014 como uma "etapa importante", Rasmussen afirmou por sua vez que "o nosso objetivo está definido, garantir que o Afeganistão se mantenha por si próprio, mas não será o único".
E especificou: "Estamos prontos para uma parceria a longo prazo com os afegãos".
Diversos países da NATO contribuem atualmente para a formação das forças afegãs. Segundo o Presidente afegão, Hamid Karzai, cada país envolvido deverá concluir um "acordo bilateral" com Cabul sobre a sua presença para além de 2014.
A Isaf combate há mais de dez anos, ao lado das forças afegãs, a insurreição liderada pelos talibãs, que se fortaleceu nos últimos anos e que forçou os ocidentais a admitirem conservações de paz.
O ano de 2014 também deverá assistir à designação do sucessor de Karzai, que em princípio não se poderá apresentar a um novo mandato.
Fonte: NM

Estudo Vacina anti-malária reduz número de infectados em mais de dois terços

Uma equipa de cientistas japoneses disse ter criado uma vacina que reduz em mais de dois terços o risco de desenvolvimento da malária em seres humanos.
Vacina anti-malária reduz número de infectados em mais de dois terços
A doença, transmitida por mosquitos, mata anualmente cerca de 650.000 pessoas, na maioria crianças africanas menores de cinco anos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).
Embora exista um grande número de medicamentos preventivos, os cientistas assinalam estar a crescer a resistência aos fármacos.
Os investigadores da Universidade de Osaka criaram uma vacina de pó seco a partir de uma proteína geneticamente modificada encontrada no interior do parasita, que misturaram como hidróxido de alumínio, segundo a agência France Presse.
“O efeito da vacina é maior do que os até agora conhecidos de outras vacinas antimalária”, indica um comunicado divulgado esta semana, adiantando que a designada BK-SE36 deverá reduzir significativamente o número de mortes causadas pela doença.
A vacina já foi testada em adultos no Japão e numa zona do norte do Uganda onde a malária é endémica, entre 2010 e 2011, não tendo sido constatados problemas de segurança.
Um estudo em que foram seguidas pessoas entre os seis e os 20 anos no Uganda mostrou que a vacina reduziu o número de infetados com malária em 72 por cento.
O professor Toshihiro Horii, que conduziu o estudo publicado na revista científica PLOS ONE, disse à agência Jiji Press pretender que a BK-SE36 possa ser utilizada “dentro de cinco anos, após a realização de um ensaio clínico em crianças entre os zero e os cinco anos, que representam a maior parte das mortes por malária”.
Fonte: NM

Greve CGTP marcou greve geral para 27 de Junho

A CGTP marcou hoje uma greve geral para 27 de junho contra as medidas de austeridade que têm sido impostas ao país, por eleições antecipadas e por novas políticas económicas e sociais.
CGTP marcou greve geral para 27 de Junho
A CGTP marcou hoje uma greve geral para 27 de junho contra as medidas de austeridade que têm sido impostas ao país, por eleições antecipadas e por novas políticas económicas e sociais.
A decisão foi aprovada por unanimidade numa reunião extraordinária do Conselho Nacional da Intersindical e vai ser anunciada hoje à tarde em conferência de imprensa pelo secretário-geral Arménio Carlos.
Fonte: NM

2011 Metade das empresas com volume de negócios abaixo dos 111 mil euros

Metade das empresas registou um volume de negócios inferior a 111 mil euros em 2011, enquanto 10% das maiores ultrapassaram um milhão de euros, num ano em que apenas as empresas exportadoras contrariaram a queda dos principais indicadores financeiros.
Metade das empresas com volume de negócios abaixo dos 111 mil euros
As grandes empresas, um universo restrito de 0,4% do total das sociedades (1.095 em 300.923), deram, por outro lado, emprego a 28,8% do pessoal ao serviço das empresas portuguesas (2,786 milhões de pessoas), revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE).
Este grupo de empresas gerou 43,4% do volume de negócios (143,2 mil milhões de um total de 329,9 mil milhões de euros) e foi responsável por 42,3% do Valor Acrescentado Bruto (VAB) da economia nacional (32 mil milhões de um total de 75,6 mil milhões de euros).
De acordo com o estudo 'Empresas em Portugal – Perfil das Sociedades 2011' do INE, no ano em análise, das sociedades não financeiras, 84,7% (254.764 ) eram microempresas, o número de pequenas empresas ascendeu a 39.037 (13%), ao passo que as médias empresas representavam 2% do universo das empresas registadas (6.027).
O Comércio, que reúne tradicionalmente a maior fatia das empresas portuguesas (28,5% em 2011), gerou a maior parte da atividade económica, com o volume de negócios a ascender a 36,4% do total.
Já sob o ponto de vista do VAB a preços de mercado e do excedente bruto de exploração (EBE), o setor da Indústria e Energia foi o que mais se destacou, registando respetivamente 29,8% e 39,2% do total.
Em contrapartida foram as Atividades de informação e de Comunicação – se for excluído o agregado 'Outras atividades de serviços' – que registaram a maior proporção entre o valor acrescentado e o volume de negócios (42,1%), revelou o INE.
As Atividades de informação e de Comunicação apresentaram tanto os maiores gastos com o pessoal por pessoa empregada (33.756 euros) como o maior rácio do VAB por pessoa empregada (72.879 euros).
No outro extremo desta relação entre o peso dos gastos com o pessoal e VAB, o setor da Agricultura e Pesca foi aquele em que se observou a percentagem mais elevada desse rácio (87,4%).
A parcela dos gastos com o pessoal no VAB gerado pelo universo das empresas nacionais foi de 64,9%, sendo que só as grandes empresas apresentaram uma percentagem inferior (56,6%). Os gastos médios com o pessoal por pessoa empregada situaram-se em 17.606 euros, indicador que foi superior nas empresas médias (20.286 euros) e mais ainda nas grandes (22.533 euros).
Fonte: NM

Banca "Alguns bancos italianos estão em risco de terem dificuldades"

O governador do Banco de Itália afirmou hoje que há bancos no país em risco de “enfrentar dificuldades”, pelo que os acionistas devem disponibilizar-se para alienar as participações e estimular as fusões.
Alguns bancos italianos estão em risco de terem dificuldades
“Alguns bancos italianos estão em risco de se confrontarem com dificuldades”, disse o responsável pela instituição de supervisão e regulação italiana num discurso numa conferência em Roma.
Na conferência sobre o enfraquecimento da banca no país, devido à crise da dívida soberana na área do euro e às consequências da recessão, Visco chamou a atenção para este problema, embora não tenha dito quais os bancos que estão em risco.
Na Itália, a recessão tem sido mais prolongada que o previsto, o que está a levar a um aumento das dívidas incobráveis na banca, pondo assim em risco a sua solvabilidade e fazendo aumentar a pressão sobre os rácios de capital exigidos pelo Banco Central Europeu (BCE).
Os créditos incobráveis estão a crescer no setor bancário italiano, tanto por parte das empresas como dos particulares.
Visco pediu recentemente uma auditoria aos 20 principais bancos a operar em Itália a qual concluiu que o nível das provisões para cobertura de créditos em atraso tinha melhorado em geral, mas que existiam instituições financeiras em que piorou, pelo que os acionistas deveriam “renunciar” a obter dividendos.
Fonte: NM

Frankfurt Manifestantes bloquearam sede do BCE em protesto

Manifestantes bloquearam durante a manhã de hoje a sede do Banco Central Europeu (BCE), em Frankfurt, na Alemanha, em protesto contra as políticas de austeridade e empobrecimento na Zona Euro, noticia a imprensa alemã.
Manifestantes bloquearam sede do BCE em protesto
O 'bloqueio' ao BCE durou cerca de três horas e foi convocada pela coligação anticapitalista Blockupy em protesto contra uma "devastadora política de empobrecimento" e em "solidariedade com os povos do Sul da Europa", segundo fontes da organização citadas pela imprensa germânica.
Na ação de protesto participaram cerca de 3.000 pessoas, segundo a organização, mas as autoridades alemãs referem que no local estiveram pouco mais de mil manifestantes.
A Blockupy engloba diversos grupos, organizações e ativistas, desde sindicalistas, redes antiracismo, iniciativas pacifistas e ambientalistas, a estudantes e membros do partido Die Linke (A Esquerda).
Um forte aparato policial e barreiras de seguranças duplas colocadas à volta do Banco Central Europeu impediram a aproximação dos ativistas.
Junto às barreiras registaram-se várias escaramuças entre os manifestantes e a polícia alemã que, de forma isolada, utilizou bastões e 'spray' de pimenta, refere o diário alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung.
O mesmo jornal refere contudo que o protesto decorreu de forma pacífica.
Há também informações contraditórias quanto ao sucesso do 'bloqueio'. Enquanto a Blockupy garante que o funcionamento do BCE "foi interrompido com sucesso" as autoridades e o Banco Central apontam que a instituição liderada por Mário Draghi funcionou normalmente.
O bloqueio terminou no fim da manhã, tendo uma grande parte dos manifestantes sido impedida pelas autoridades de avançar rumo ao aeroporto internacional de Frankfurt, como inicialmente previsto.
Apenas 200 manifestantes receberam autorização para se manifestarem no Terminal I do aeroporto, precisa o diário Süddeutsche Zeitung.
Outras centenas de ativistas levaram a ação de protesto para junto da sede da Deutsche Bank, situada nas proximidades do BCE.
Várias centenas de polícias foram colocados em pontos estratégicos no centro de Frankfurt, depois de a organização ter anunciado a realização de outras ações de protesto e de desobediência civil durante o dia de hoje.
A organização anti-capitalista também convocou para sábado uma manifestação em Frankfurt, como parte da jornada europeia de mobilização contra a troika e a austeridade.
Esse protesto está previsto decorrer em 12 países europeus, nomeadamente Portugal, Espanha, França, Itália, Grécia, Croácia, Suíça, Áustria, Alemanha, Reino Unido, Irlanda e Holanda.
A Blockupy espera mobilizar pelo menos vinte mil participantes para o protesto de Frankfurt, segundo a imprensa alemã.
Fonte: NM

App Nova aplicação quer “curar” homossexualidade em 60 dias

Uma nova aplicação quer “curar a homossexualidade em 60 dias” e “ensinar os homossexuais a libertarem-se da escravidão gay”. A ideia surgiu da Setting Captives Free, um movimento defensor dos ensinamentos da Bíblia, e está a causa polémica. Mais de 60 mil pessoas assinaram uma petição para remover a app.
Nova aplicação quer “curar” homossexualidade em 60 dias
No início do mês foi lançado uma nova aplicação no Google Play que está a causar alguma polémica. A nova app quer “curar a homossexualidade em 60 dias” e “ensinar os homossexuais a libertarem-se da escravidão gay”.
Na aplicação Door of Hope o presidente da Setting Captives Free, Mike Cleveland, explica em cinco lições como “a homossexualidade não é bem vista perante Deus”.
A ideia da aplicação claro que não agradou a todos. Esta semana foi lançada uma petição (Allout.org) para remover a aplicação e já conta com mais de 60 mil assinaturas.
Um rapaz de 23 anos que descarregou a aplicação e ‘aderiu à cura’ revelou ao Huffington Post “ que a experiência foi muito traumatizante. A aplicação associa a homossexualidade “a episódios de pedofilia e influências demoníacas”.
Fonte: NM

Jardim Política é "como plantar árvores"

O presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, comparou hoje a política com o plantar árvores cujos resultados só são visíveis a médio e longo prazo.
Política é como plantar árvores
"A política é um pouco como plantar árvores (...), nós, às vezes, tomamos decisões que as pessoas não percebem, só se veem os resultados a médio e a longo prazo mas têm de ser tomadas", disse, no final da visita que efetuou aos 15 hectares de área reflorestada do Campo de Golfe do Santo da Serra.
O presidente do Governo Regional considerou ainda que o reaproveitamento da área baldia e onde preponderava mato e espécies infestantes constituía também "um exemplo e uma promoção" do Campo de Golfe e da Madeira.
O presidente do Campo de Golfe do Santo da Serra, António Henriques, realçou, por seu lado, que, nos 15 hectares reflorestados, foram plantadas 16.500 árvores autóctones da Madeira como o til, loureiro, vinhático, massaroco e a uveira-da-serra entre outras.
António Henriques realçou ainda tratar-se de um investimento privado no valor de 172 mil euros que teve "85 por cento de apoios do Governo Regional e da União Europeia através do PRODERAM - Programa de Desenvolvimento Rural".
Fonte: NM

Presidente Banco do Vaticano quer "muito bom" na luta contra branqueamento

O novo presidente do banco do Vaticano, Ernest von Freyberg, assegurou hoje que a instituição, criticada pela falta de transparência, quer obter "a nota 'muito bom'" na luta contra o branqueamento de dinheiro.
Banco do Vaticano quer muito bom na luta contra branqueamento
Nomeado em março pelo papa emérito Bento XVI para chefiar o Instituto para as Obras Religiosas (IOR) o industrial alemão deu, pela primeira vez, uma série de entrevistas publicadas hoje por seis jornais europeus.
Ao diário francês Le Figaro, Freyberg explicou que "o objetivo da Santa Sé" é "obter a nota 'muito bom' e não apenas 'bastante bom' atribuída pela Moneyval", o instituto europeua encarregado de avaliar os sistemas nacionais de combate ao branqueamento de dinheiro.
"Eu aplico os padrões que são as normas mais rigorosas em termos de exigência relativamente aos nossos bancos, recebo no meu gabinete todas as semanas os casos suspeitos e tenho todas as semanas uma reunião com o responsável antibranqueamento", destacou.
Freyberg anunciou "uma política de tolerância zero para clientes e funcionários" implicados em atividades de branqueamento de dinheiro.
O novo patrão alemão acrescentou ter contratado consultores externos para "examinar cada uma das contas e rever as estruturas e processos do banco para detetar irregularidades", bem como "um dos principais escritórios de advogados do mundo" para "melhor compreender o quatro jurídico".
Freyberg denunciou "a má comunicação" no passado do IOR: "Aqui, a tradição era o silêncio... mas quando não falamos, trata-se também de uma mensagem... isso, estamos a mudar agora".
"Queremos pôr fim aos tempos dos rumores. O IOR não tem nada a esconder. Mas não se atrevia a expressar-se. Este tempo acabou", prometeu.
Com a falência do Banco Ambrosiano, foi preciso "pedir a um historiador independente para trabalhar sobre a história do IOR para ver claramente", disse.
Freyberg denunciou "a calúnia", dando "um único exemplo, o último à data: a acusação esta semana de que o IOR está relacionado com a máfia e de esconder o dinheiro no Luxemburgo".
"Pela primeira vez, a nossa defesa foi no plano legal contra aqueles que espalharam estas calúnias", disse.
"A crise financeira acentuou ainda mais a necessidade de controlo dos fluxos financeiros. Não vimos esta evolução em tempo útil porque pensávamos fazer parte dos bons alunos, protegidos por uma espécie de ilha no meio do mundo", mas "este desfasamento deve ser rapidamente ultrapassado", defendeu.
Freyberg sublinhou que "o IOR está de boa saúde (...) a pior surpresa foi perceber a forma como é visto" do exterior.
O banqueiro disse que, em dois anos, as contas de perto de seis mil clientes foram fechadas, especialmente "contas 'adormecidas' ou pouco usadas".
O IOR tem 18.900 clientes e manteve o montante dos ativos em 7,1 mil milhões de euros.
Freyberg é o terceiro perito recrutado pelo Vaticano em menos de um ano. No ano passado, o jornalista norte-americano da estação de televisão norte-americana Fox News Greg Burke, recrutado para o gabinete de comunicação da Secretaria de Estado, também alvo de críticas.
No verão, foi a vez do financeiro suíço René Brulhart liderar a Autoridade de Informação Financeira (AIF) do Vaticano.
Três laicos, completamente dedicados à causa do Vaticano, mas que utilizam metódos modernos que rompem com a tradição do segredo, até aqui em vigor.
A 22 de mai, René Brulhart, conhecido pelo trabalho desenvolvido no Liechtenstein contra o branqueamento de dinheiro, deu uma conferência de imprensa sem precedentes para apresentar o primeiro relatório anual de 2012 da AIF, que supervisiona as questões financeiras do Vaticano.
O perito anunciou terem sido comunicados à AIF seis casos de transações suspeitas em 2012, dois dois quais foram em seguida transmitidos à justiça do pequeno Estado.
Fonte: NM

Polémica Menezes critica falta de "vergonha" de António Costa

A candidatura de Luís Filipe Menezes à Câmara do Porto criticou a falta de “vergonha e ética” do presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, por se “imiscuir” nas eleições a Norte com acusações “sem fundamento” sobre a SRU.
Menezes critica falta de vergonha de António Costa
“Eu acho que é preciso não ter vergonha nem ter ética para que o senhor Costa, que é candidato a Lisboa, venha imiscuir-se nas eleições da Câmara do Porto. Isto é um processo nunca visto”, afirmou hoje à Lusa o porta-voz da candidatura de Menezes, Couto dos Santos.
Em causa estão os comentários de quinta-feira de António Costa que, sobre o processo da Sociedade de Reabilitação Urbana – Porto Vivo, disse existir uma “instrumentalização do Estado (…) a benefício do candidato do Governo, que é o Dr. Menezes, procurando denegrir um trabalho muito importante que foi feito na cidade do Porto”.
As declarações de António Costa no programa televisivo Quadratura do Círculo acabaram hoje publicadas no perfil da candidatura de Rui Moreira numa rede social, com o independente a subscrever a acusação.
Para Couto dos Santos, Rui Moreira deverá agora “desmentir e dizer que nada tem a ver” com as declarações de António Costa, “porque ele que se diz um candidato independente, neste momento é apoiado pelo CDS de Lisboa e agora até pelo PS de Lisboa, ou seja, é o candidato de Lisboa”.
"Porque, um candidato de Lisboa vir apoiar o dr. Rui Moreira, eu acho que não fica bem", disse.
A candidatura de Rui Moreira afirmou, entretanto, que a publicação de declarações do presidente da Câmara de Lisboa tem como objetivo mostrar como o autarca “explicou bem, de forma lúcida, a questão da SRU do Porto”.
A publicação de parte do programa na rede social Facebook tem “o objetivo político de se perceber que a questão da reabilitação urbana no Porto é nacional”, acrescentou, salientando que tanto Lobo Xavier como Pacheco Pereira “corroboraram a opinião” de António Costa.
Apontou que ainda hoje, num artigo publicado num jornal, Menezes “diz que o Porto se está a amesquinhar por 2,4 milhões de euros quando há dias admitia assinar a carta aberta ao Governo”, promovida por Rui Rio contra “o boicote” à Porto Vivo.
Sobre a possibilidade de esta publicação pretender denegrir a imagem do candidato do PSD à Câmara do Porto, Luís Filipe Menezes, a fonte referiu que a “imagem é denegrida pelo próprio”.
Também o candidato do PS à Câmara do Porto, Manuel Pizarro, disse concordar com as declarações de Costa, salientando que no processo da SRU “há uma mão escondida por detrás destes arbustos, os arbustos são baixos e permitem ver que a mão vem do lado de Gaia”, referindo-se a Menezes.
Pizarro destacou, porém, que “tão responsável pela situação da SRU é o PSD no governo como é o CDS no governo que apoia Rui Moreira”, uma vez que “a ministra de cuja tutela depende a SRU, é do partido que apoia Rui Moreira como candidato à câmara”.
O presidente do IHRU (Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana) revelou, em abril, que aquele organismo reprovou as contas da Porto Vivo relativas a 2012 para evitar a insolvência da empresa, numa assembleia-geral que esteve rodeada de polémica porque o IHRU avisou que “já não” pretende pagar a dívida de 2,4 milhões de euros à empresa, nem aprovar as contas de 2012.
Nas suas declarações, António Costa destacou ainda que a questão da SRU é “nacional”, defendendo que deve ser dada “prioridade” à Reabilitação Urbana, que tem sido desvalorizada pelo executivo, e sublinhando o “sucesso” do trabalho feito pela Porto Vivo
Questionado sobre as afirmações deste autarca socialista, o presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, respondeu: “estou de acordo com ele e agrada-me”.
Fonte: NM

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Braga Greve de médicos anestesistas com adesão de 94,7%

A adesão à greve dos médicos anestesistas do Hospital de Braga é de 94,7 por cento, tendo levado ao encerramento de 10 das 12 salas do bloco operatório, informou hoje o Sindicato Independente dos Médicos (SIM)
Greve de médicos anestesistas com adesão de 94,7%
Segundo o SIM, de um total de 37 médicos anestesistas "não estão em greve apenas dois".
"De igual modo, várias especialidades cirúrgicas e médicas que dependem do apoio dos médicos anestesistas para a execução de exames complementares de diagnóstico estão a ser afetadas", acrescenta o SIM, em comunicado publicado na sua página na Internet.
Diz ainda que os serviços mínimos definidos pelo SIM "estão a ser respeitados, registando-se mesmo com isso uma mais-valia para os doentes que têm ao seu dispor (e de acordo com determinações da DGS que deixaram de ser respeitadas pelo Escala Braga desde 1 de março) uma Equipa de Dor Aguda".
O SIM manifesta a esperança de que esta greve "faça com que o Conselho de Administração do Hospital, a partir de segunda-feira, inicie um processo negocial sério que permita resolver os problemas identificados no serviço de anestesia".
Os anestesistas do Hospital de Braga, gerido em parceria público-privada entre Estado e o Grupo Mello Saúde, iniciaram hoje uma de greve de dois dias, contra o "excesso de recurso a tarefeiros" e "falhas" na gestão da unidade hospitalar, que podem "pôr em causa" a segurança dos doentes.
O diretor clínico do Hospital de Braga, Fernando Pardal, já afirmou hoje que "todas" as questões de segurança dos doentes daquela unidade "estão garantidas" e que a administração "não compreende" os motivos da greve.
Garantiu ainda que, em circunstâncias normais, "o Hospital de Braga não usa médicos tarefeiros".
Fonte: NM

Empresa CTT encerram 60 estações em apenas cinco meses

No âmbito de um processo de reorganização, os Correios já encerraram 60 estações este ano de Norte a Sul do País, segundo dados da própria empresa divulgados ao semanário Expresso. Contudo, acrescentam os CTT, outras tantas estão ainda por fechar portas.
CTT encerram 60 estações em apenas cinco meses
Apesar dos constantes protestos de várias populações, este ano, em apenas cinco meses, já foram encerradas 60 estações de correios. Os CTT garantem à edição online do Expresso que os locais onde as estações estão a ser “transferidas” (termo usado pela empresa) têm também postos de correio, pelo que os habitantes não ficam sem serviços.
Mas este processo de reorganização não vai ficar por aqui. Mais estações das 689 no total no País vão fechar portas ainda este ano, apesar de a empresa presidida por Francisco Lacerda não esclarecer quantas.
Já o Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações avança que haverá mais 70 encerramentos e insiste que os mesmos estão relacionados com o processo de privatização dos CTT, refere o Expresso.
Fonte: NM

PIB Crescimento da economia dos EUA revisto em baixa para 2,4%

A economia norte-americana cresceu 2,4% (ritmo anual) no primeiro trimestre deste ano, anunciou hoje o Departamento do Comércio, que reviu em baixa a primeira estimativa do PIB em 0,1 pontos percentuais.
Crescimento da economia dos EUA revisto em baixa para 2,4%
Esta segunda estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos é ligeiramente pior do que a previsão média dos analistas, que esperavam que o crescimento económico se mantivesse inalterado, nos 2,5%.
No último trimestre de 2012, a economia norte-americana registou um crescimento modesto, de 0,4%, depois de ter registado uma subida de 3,1% no trimestre anterior.
A revisão em queda ligeira deve-se aos aumentos menos fortes do que o previsto das exportações, refere a nota do Departamento do Comércio norte-americano, acrescentando que "a tabela geral da atividade económica não se alterou verdadeiramente".
Globalmente, o crescimento foi impulsionado pelo consumo das famílias que progrediu 3,4% (ritmo anual), contra uma subida de 3,2% calculada na primeira estimativa do produto e de apenas 1,8% no último trimestre de 2012.
O consumo das famílias contribuiu com 2,4 pontos percentuais para o PIB dos Estados Unidos.
Fonte: NM

Augusto Mateus Integração de Portugal na UE salda-se num "semifalhanço"

Os 25 anos de integração portuguesa na União Europeia saldam-se num “semifalhanço”, conclui um estudo hoje apresentado pelo economista Augusto Mateus, que atribuiu este resultado a "erros de alguma impreparação" da classe política.
Integração de Portugal na UE salda-se num semifalhanço
O estudo “25 Anos de Portugal Europeu”, coordenado pelo antigo ministro da Economia e hoje apresentado em Lisboa pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, conclui que os 25 primeiros anos da integração de Portugal na União Europeia resultaram num semifalhanço, com melhorias em termos de qualidade de vida, mas falhanços na sustentabilidade.
"Fizemos coisas muito bem feitas, vivemos hoje melhor, mas cansámo-nos a meio caminho. Perdemos força e velocidade", disse o economista na apresentação do estudo, em Lisboa.
Segundo o documento, Portugal recebeu, entre 1989 e 2013, um volume total de fundos estruturais e de coesão superior a 96 mil milhões de euros, tendo sido executados 81 mil milhões de euros até ao final de 2011.
Este financiamento permitiu apoiar e viabilizar um conjunto muito diversificado de projetos de investimento desenvolvidos por entidades públicas e privadas no país.
No entanto, defendeu hoje Augusto Mateus em conferência de imprensa após a apresentação do estudo, em vez de estes fundos serem usados para construir políticas autónomas para a mudança, "os fundos passaram a ser as políticas e as políticas reduziram-se àquilo que os fundos permitiam".
"Em muitos casos, converteu-se em políticas nacionais as orientações dos fundos comunitários, e isso foi um falhanço", disse.
Por outro lado, afirmou, em Portugal "não se gosta muito de estratégia", mas esta é fundamental.
Augusto Mateus exemplificou com as políticas económicas portuguesas, que, na sua opinião, não souberam ajudar os agentes económicos a adotar comportamentos que fossem bons para si próprios, mas também bons para o país.
"Podemos levar a mal que a população no seu conjunto tenha querido consumir mais? Tenha poupado muito pouco? Do ponto de vista humano, não podemos levar a mal. Do ponto de vista da política pública, podemos e devemos levar a mal", afirmou.
Para o antigo ministro da economia, e sócio da empresa Augusto Mateus e Associados, em causa estiveram "erros de alguma impreparação, de ver facilidades onde elas não existem, erros de ilusão".
Questionado pelos jornalistas como se justifica que estes erros não tenham sido corrigidos ao longo de 25 anos, Augusto Mateus apontou "razões genéticas", nomeadamente a ausência de uma cultura de transparência, de avaliação e de prestação de contas.
"A democracia é um espaço em que cidadãos exercem responsabilidade política com base em transparência, avaliação, escrutínio. É a única maneira de aprendermos coletivamente com a experiência", disse.
O estudo hoje apresentado visa, por isso, "ajudar a sistematizar estes ensinamentos" para que na preparação do programa de coesão para 2014-2020 não se cometam os mesmos erros, disse o economista.
O autor deu o exemplo do erro de fragmentar os recursos concedidos através dos fundos estruturais, devido à preocupação de fazê-los chegar a todo o país.
"Se o incentivo é fraco, não tem resultado. Se se dispersam os meios que temos por multidões de projetos, não há retorno", afirmou, usando a metáfora: "Muitas andorinhas sem primavera".
Augusto Mateus defende que os incentivos devem ir para as empresas que podem contribuir para o progresso, e não em função do tamanho.
Fonte: NM

Brasil Preocupação com inflação sobe taxa de juro para 8%

A subida da taxa de juro no Brasil para 8% mostra que o banco central está mais empenhado em controlar a inflação do que em relançar a economia, consideram os analistas ouvidos pelas agências de notícias internacionais.
Preocupação com inflação sobe taxa de juro para 8%
A decisão de subir a taxa de juro de referência em meio ponto percentual, para os 8%, foi tomada na quarta-feira por unanimidade no Banco Central do Brasil, o que conferiu credibilidade à decisão da equipa liderada por Alexandre Tombini, consideram os analistas ouvidos pelas agências internacionais, que sublinham também a "coragem" e a "surpresa" sobre a decisão de aumentar novamente as taxas de juro, desta feita em 0,5 pontos.
A subida segue-se aos outros aumentos, feitos em março e abril, de 0,25 pontos percentuais por mês, e surge num contexto de aumento da inflação para 6,49% em abril, mesmo no limite da média definida pelo banco central, entre 2,5 e 6,5%.
Os analistas já esperavam uma subida da taxa de juro, mas alguns encaram o aumento de 0,5 pontos como "surpreendente" e "arrojado", de acordo com a agência France Presse e com a Bloomberg, que lembra que esta foi a primeira vez que o painel de economistas que antecipa as decisões do banco central foi, na sua maioria, apanhado desprevenido, prevendo uma subida de apenas 0,25 pontos e não 0,5 pontos, como aconteceu.
A economia brasileira cresceu 0,6% no primeiro trimestre deste ano face aos últimos três meses, avançando 1,9% face ao período homólogo, de acordo com os dados divulgados na quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas.
Os dados são algo dececionantes face às estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg, que previam um crescimento de 0,9% em cadeia, ao passo que o banco central brasileiro tinha previsto que a expansão da economia brasileira chegasse a 1%.
No ano passado, o Brasil cresceu apenas 0,9%, agravando a tendência de desaceleração desde o ano anterior (7,5% em 2010, 2,7% em 2011 e 0,9% em 2012), mas o executivo espera um crescimento acima dos 3% este ano.
De acordo com um relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), divulgado na quarta-feira em Paris, e que contempla as perspetivas globais da instituição, publicado duas vezes por ano, o Brasil vai crescer 2,9% este ano e 3,5% em 2014, o que representa um regresso aos valores de 2011 (quando cresceu 2,7%), mas ainda assim bem longe dos 7,5% registados em 2010.
O relatório reconhece que o Brasil parece ter recuperado os níveis de crescimento económico que o colocaram como uma das mais dinâmicas economias emergentes, mas lembra que há vários riscos que ainda ensombram as previsões, sublinhando a inflação elevada e defendendo que as políticas que restringem as importações devem ser "repensadas".
As pressões inflacionárias, argumenta a OCDE, resultam "de um mercado laboral rígido, de um forte crescimento do crédito, de constrangimentos no lado da oferta e por choques nos preços alimentares global e localmente".
A organização lembra que, em março, a inflação passou dos 6,5% face ao período homólogo de 2012, furando a barreira definida pelas autoridades, e deverá manter-se acima dos 4,5%, o ponto médio definido pelo Banco Central.
Fonte: NM

Negócio Sonangol compra 15% de bloco petrolífero do 'vice' de Angola

A Sonangol Pequisa e Produção, SA, vai comprar 15% do bloco 21-09 da Nazaki, uma empresa detida pelo vice-presidente de Angola, Manuel Vicente, noticia a agência financeira Bloomberg, citando o decreto legal que autoriza a operação.
Sonangol compra 15% de bloco petrolífero do 'vice' de Angola
A Sonangol vai comprar 15% do bloco, segundo um decreto legal de 28 de fevereiro consultado pela agência, que explica que a Sonangol P & P tem vindo a angariar ativos para contribuir para a meta de produção de 2 milhões de barris por dia dentro de quatro anos.
A operação deste bloco é assegurada pela Cobalt International Energy, que disse em março que os testes nos dois projetos tinham sido "excecionais" e que a produção devia arrancar em 2016.
A Cobalt, de acordo com a agência norte-americana, é detida, entre outros, pelo Goldman Sachs, First Reserve, Riverstone Holdings, Carlyle Group e KERN Partners.
A Nazaki, a empresa dona do bloco para exploração petrolífera, é detida, para além de Manuel Vicente, por Leopoldino Fragoso do Nascimento, chefe da polícia secreta do presidente, e Manuel Helder Vieira Dias, conhecido como 'Kopelipa', chefe do aparelho militar, de acordo com os documentos da transação. A posse desta empresa, aliás, tinha sido confirmada por Manuel Vicente numa entrevista ao Financial Times, no ano passado.
Para além desta transação, a Bloomberg noticia também que existe outro decreto que autoriza a compra de 15% do bloco 15-06 à Total SA, mostrando que a Sonangol está a dar corpo à estratégia de investir 8 mil milhões de dólares na exploração de petróleo na próxima década.
Angola é o segundo maior produtor de petróleo em África a seguir à Nigéria.

Fonte: NM

Marques Guedes (act.) Orçamento rectificativo aprovado sem aumento de impostos

O ministro dos Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes, esclareceu hoje, no final da reunião do Conselho de Ministros, que o objectivo do Orçamento Rectificativo foi “assegurar o cumprimento dos limites orçamentais para 2013” evitando, em simultâneo, “o impacto no rendimento disponível dos portugueses”, nomeadamente dos que “menos têm”, através de um novo aumento de impostos.
Orçamento rectificativo aprovado sem aumento de impostos
No final da reunião do Conselho de Ministros, que aprovou esta quinta-feira o Orçamento Rectificativo, o ministro dos Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes, lembrou que as medidas que constam no documento, que amanhã de manhã vai ser entregue na Assembleia da República, visam substituir as medidas chumbadas pelo Tribunal Constitucional.
Em conferência de imprensa, o ministro salientou que “foi necessário cuidado e diligência para assegurar o cumprimento dos limites orçamentais para 2013” e, ao mesmo tempo, “evitar o impacto no rendimento disponível dos portugueses”, garantindo neste sentido que “não haverá aumento de impostos” e que vai ser reposto “o subsídio aos trabalhadores do público e aos pensionistas”.
“A defesa dos rendimentos daqueles que menos tem é uma prioridade”, reforçou o governante.
Assim sendo, acrescentou Luís Marques Guedes, a aposta do Governo na elaboração do Orçamento Rectificativo centrou-se na reforma do Estado, designadamente com “o aumento do horário de trabalho na Função Pública” e dos “descontos para ADSE e subsistemas de saúde (…) por forma a ajustar as contribuições”. Neste último ponto, o ministro sublinhou que o Executivo quer “conservar e valorizar a ADSE” apesar de atravessarmos “um tempo de reestruturação das administrações públicas”.
O Orçamento Rectificativo hoje aprovado em Conselho de Ministros também prevê o aumento de 5% para 15% da dedução em IRS do IVA gasto em aquisições e prestações de serviços em algumas actividades. 
Fonte: NM

Estudo Tabaco é responsável direto por dois em cada 10 tumores

O tabaco é responsável direto por dois em cada dez tumores, indica uma investigação do Instituto Catalão de Oncologia - Hospital Duran i Reynals, que seguiu cerca de 440 mil pessoas durante uma média de 11 anos.
Tabaco é responsável direto por dois em cada 10 tumores
Das 441.211 pessoas seguidas, 14.563 desenvolveram um tumor relacionado com o hábito de fumar, informou hoje o Instituto Catalão de Oncologia, a propósito do Dia Mundial Sem Tabaco, que se assinala na sexta-feira.
O estudo, publicado na revista Journal of Clinical Oncology, confirma que fumar origina 80 por cento dos tumores do pulmão e laringe, assim como 20 a 50 por cento dos restantes tumores respiratórios, digestivos e do trato urinário, segundo a agência noticiosa espanhola EFE.
A investigação determina, pela primeira vez, que percentagem daqueles tumores é responsabilidade direta do tabaco, causa também de 25 por cento dos cancros do fígado, 14 por cento dos do ovário e oito por cento dos do rim.
Os cientistas compararam o número de casos de tumores entre os participantes fumadores ou ex-fumadores e os que nunca tinham fumado.
A investigação mostrou que 36 por cento dos tumores relacionados com a utilização de tabaco são diretamente provocados pelo seu consumo, o que representa 20 por cento do total de tumores, indicou a EFE.
Fonte: NM

OE2013 Governo conta com 340 milhões de baixa de juros e reserva para tapar buraco

O Governo vai usar cerca de 340 milhões de euros que prevê gastar a menos com juros da dívida pública para compensar o 'buraco' orçamental criado após o chumbo do Tribunal Constitucional, juntamente com uma reserva orçamental.
Governo conta com 340 milhões de baixa de juros e reserva para tapar buraco
O orçamento retificativo foi aprovado hoje em Conselho de Ministros e será entregue na sexta-feira de manhã na Assembleia da República.
No final da reunião de hoje, o secretário de Estado do Orçamento, Luís Morais Sarmento, explicou que "a redução principal é na parte da gestão da dívida pública", que será mais visível e com uma redução prevista entre 330 e 340 milhões de euros.
O governante explica que esta redução dos gastos agora previstos, face ao que o Governo inscreveu que pretendia gastar em outubro no Orçamento do Estado para 2013, se deve à queda nos juros de Bilhetes do Tesouro emitidos pelo Estado e ainda à redução dos juros de outros empréstimos.
Este Governo já usou uma folga criada por previsões mais altas para os encargos com juros da dívida em orçamentos passados para compensar desvios orçamentais, nomeadamente os resultantes da redução nos juros dos empréstimos europeus a Portugal, no âmbito do Programa de Assistência Económica e Financeira, quando a oposição parlamentar e a própria Unidade Técnica de Apoio Orçamental consideravam a previsão como excessivamente alta.
Luís Morais Sarmento disse ainda que com o desvio orçamental, o Governo foi também obrigado a usar a reserva orçamental prevista no Orçamento do Estado para 2013 - cujo valor não adiantou - e que os serviços terão agora sob maior pressão para reduzir custos, aumentando o risco de execução do orçamento.
"A reserva orçamental prevista no orçamento inicial teve de ser eliminada", disse.
Fonte: NM

Orçamento Governo espera que crédito fiscal se pague a si próprio

O Governo espera que a receita fiscal que irá perder com o crédito fiscal extraordinário seja paga pela aceleração da atividade económica a que este irá levar e diz que já existem empresas muito interessadas neste instrumento.
Governo espera que crédito fiscal se pague a si próprio
O Governo espera que a "despesa fiscal seja compensada com aceleração da atividade económica, com a produção do investimento que resultar desta medida e dessa forma com o crescimento do produto resultante dessa medida", afirmou o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio.
No final da reunião do Conselho de Ministros de hoje, o governante garantiu ainda que foi informado pela AICEP da existência de "diversas empresas nacionais e internacionais muito interessadas em beneficiar destas medidas", mas não foi capaz de concretizar quantos empresas serão.
O governante diz que se trata de uma "medida muito relevante para inverter a tendência de queda de investimento privado".
O ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes, voltou então a alinhar pela frase várias vezes repetida pelo ministro das Finanças durante a apresentação do que foi apelidado pelo Governo de "supercrédito" fiscal: "Chegou o momento de apostarmos no investimento", disse.
Fonte: NM

Marques Guedes "Governo não prevê novo sobressalto" orçamental

O ministro da Presidência, Luís Marques Guedes, afirmou hoje que o “Governo não antevê, não antecipa nem deseja que se verifique um sobressalto” ao nível da consolidação, decorrente, nomeadamente, de medidas de benefício fiscal constantes do Orçamento Rectificativo, que foi aprovado hoje.
Governo não prevê novo sobressalto orçamental
"O Governo não antevê, não antecipa nem deseja um sobressalto" na execução orçamental, afirmou Luís Marques Guedes, quando questionado na conferência de imprensa, no final da reunião do Conselho de Ministros, se o Governo exclui a possibilidade de ser necessário até ao final do ano um outro orçamento rectificativo.
Marques Guedes sublinhou que essa pergunta deixa implícito a existência de "um novo sobressalto relativamente à execução do orçamento", que, frisou, "o Governo não antevê, não antecipa e obviamente não deseja".
O ministro salientou que o "Orçamento Rectificativo deve-se à decisão do Tribunal Constitucional que pôs em causa a execução do Orçamento de 2013 conforme ele estava configurado". Marques Guedes reconheceu, contudo, que o caminho que existe "pela frente é bastante estreito".
"A preocupação do Governo é fazer a rectificação orçamental necessária sem recurso ao aumento de impostos", frisou o governante, acrescentando que "chegou o momento de, depois da consolidação toda, apostar no investimento e em políticas de crescimento e emprego". Para Marques Guedes, "isso não é compaginável com alterações da carga fiscal". "Esse não é o caminho, o Governo não acredita nesse caminho", vincou. 
Fonte: NM

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Rússia Cientistas encontram sangue de mamute que pode ser clonado

Cientistas russos anunciaram hoje ter descoberto sangue na carcaça congelada de um mamute, acrescentando que poderá aumentar as hipóteses de clonar um daqueles animais pré-históricos extintos.
Cientistas encontram sangue de mamute que pode ser clonado
A carcaça de uma fêmea, que terá morrido com 60 anos de idade, foi descoberta em bom estado de conservação no princípio do mês por uma expedição russa a uma ilha remota no Oceano Ártico.
O chefe da expedição, Semyon Grigoriyev, destacou que é a primeira vez que é encontrada a carcaça de uma fêmea, estimando que terá entre 10 mil e 15 mil anos.
O mais surpreendente foi o facto de o cadáver ainda ter tecido muscular e sangue líquido.
"Isto dá-nos uma hipótese muito boa de encontrar células vivas que nos possam ajudar a concretizar o projeto de clonar um mamute", afirmou.
No ano passado, a Universidade Federal do Nordeste, onde trabalha Grioriyev, assinou um acordo com o pioneiro da clonagem sul-coreano Hwang Woo-Suk, que em 2005 fez a primeira clonagem de um cão.
Nos próximos meses, especialistas em mamutes da Coreia do Sul, Rússia e Estados Unidos deverão estudar os restos mortais do animal, que estão conservados num local secreto para evitar roubos.
Fonte: NM

Ministro Deputados querem ouvir Santos Pereira sobre crescimento e emprego

Os deputados que integram a Comissão de Economia e Obras públicas votaram e aprovaram hoje, por unanimidade, um requerimento do PS para a audição do Ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, sobre iniciativas que promovam o crescimento e o emprego.
Deputados querem ouvir Santos Pereira sobre crescimento e emprego
Os deputados querem ouvir Santos Pereira sobre o impacto na atividade económica do conjunto de iniciativas financeiras e fiscais para o investimento, crescimento e emprego anunciado pelo Governo.
Foi igualmente aprovada hoje uma proposta do deputado socialista, Basílio Horta, para que seja ouvido na mesma comissão o Ministro-Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, sobre a aplicação dos fundos referentes ao Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN), que deverá ocorrer em junho.
Fonte: NM

Jogador Jefferson é o primeiro reforço do Sporting para nova época

O defesa brasileiro Jefferson assinou hoje contrato com o Sporting por quatro anos, sendo o primeiro reforço confirmado pelos "leões" para a próxima época da I Liga de futebol.
Jefferson é o primeiro reforço do Sporting para nova época
Proveniente do Estoril-Praia, o lateral esquerdo, de 24 anos, vinculou-se ao Sporting até 2017 e foi apresentado no Estádio José Alvalade, em Lisboa, na companhia do presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e do diretor desportivo, Augusto Inácio.
O jogador natural de Campo Formoso, Baía, iniciou-se no São Caetano, em 2007, e passou depois por Americana, Palmeiras, Grémio Barueri, antes de representar uma primeira vez o Estoril-Praia, por empréstimo, em 2010/11, então na II Liga.
Jefferson regressou ao Brasil, para passagens quase sem atividade no Fluminense, no Náutico e no Santa Cruz, e cruzou de novo o Atlântico em direção a Portugal, outra vez rumo ao Estoril, para fazer 31 jogos em todas as competições na época 2012/13.
Com cinco golos, quatro deles na I Liga, em que fez 28 jogos, Jefferson deu nas vistas como lateral esquerdo, sobretudo nas ações ofensivas, sendo um dos principais jogadores da equipa que se qualificou para as competições europeias pela primeira vez na história do clube.
Fonte: NM

Facebook Assessor de Passos: Banqueiros são "elitistas e mal habituados"

Rudolfo Rebelo, assessor económico do primeiro-ministro, deixa um rol de críticas ao grupo dos banqueiros portugueses num post no Facebook. “Sempre foram um grupo um pouco elitista, acomodados, mal habituados e pouco ambiciosos”, aponta, acusando-os também de “erros de ciclo e de apreciação” no passado.
Assessor de Passos: Banqueiros são elitistas e mal habituados
Os banqueiros portugueses são alvo de um leque de críticas num comentário que o assessor de Passos Coelho publicou na sua página no Facebook.
“Confesso que nunca tive simpatia pela forma como os banqueiros trabalham o mercado português. Acho mesmo que sempre foram um grupo um pouco elitista, acomodados, mal habituados e pouco ambiciosos”, começa por criticar Rudolfo Rebelo, continuando que estes profissionais terão “agora, com um Governo a impor um ambiente mais exigente, de reaprender a trabalhar o mercado, introduzir mais transparência e serem mais eficientes”.
O assessor do primeiro-ministro prossegue o seu comentário, recomendando que os banqueiros terão de ser "pró-activos na concessão do crédito em vez de estarem à espera que os pedidos de empréstimos lhes entrem pela porta dentro". "Terão de sair dos gabinetes, percorrerem o raio de acção, serem agressivos com os produtos de crédito, baixarem os filtros de aceitação. Sejam agora tão bons a vender crédito às PME quanto o foram no passado recente no crédito hipotecário", aponta.
Rudolfo Rebelo diz também que os banqueiros “têm de correr riscos, algo que nunca fizeram”, acusando-os de terem feito, isso sim, “erros de ciclo, de apreciação”.
Fonte: NM

Declarações Soares acusa Governo de destruir Portugal e massacrar portugueses

O antigo Presidente da República Mário Soares acusou hoje o governo PSD/CDS de estar a “destruir Portugal” e a “massacrar os portugueses”, em declarações à imprensa antes de uma cerimónia na fundação que tem o seu nome.
Soares acusa Governo de destruir Portugal e massacrar portugueses
“Este governo está a destruir Portugal. Está a massacrar os portugueses, que vivem mal e têm fome. É preciso acabar com o governo. Ponto final parágrafo”, acrescentando: “E com a austeridade”.
Considerando a austeridade uma “desgraça” e os seus defensores governamentais como “fanáticos” e “neoliberais puros”, Mário Soares disse ainda que o ministro das Finanças deveria demitir-se – “a gente dava palmas”.
Soares falou à comunicação social antes da apresentação do livro “La embajada roja en Lisboa”, de Ignacio Vàzquez Molini, em cerimónia que contou também com a presença do antigo embaixador de Espanha em Portugal, Raul Morodo.
As críticas do antigo Presidente ao governo foram expressas ao justificar a promoção da sessão pública “Libertar Portugal da austeridade”, prevista para quinta-feira, na Aula Magna da Universidade de Lisboa.
Esta reunião, disse Soares, “não é um debate”, contrapondo: “É para que estejam presentes os que consideram que a austeridade vai ser um desastre para Portugal”.
O encontro deverá juntar dirigentes do PS, PCP e Bloco de Esquerda e os líderes da CGTP, Arménio Carlos, e da UGT, Carlos Silva. Estão previstas as presenças de Pacheco Pereira (historiador), Manuel Alegre (ex-candidato presidencial), Boaventura Sousa Santos (sociólogo), Sampaio da Nóvoa (reitor da Universidade de Lisboa), Alberto Costa (antigo ministro da Justiça) e Pilar del Río, viúva de José Saramago.
Admitindo que “gostava de ver um entendimento” à esquerda, remeteu para os partidos e respetivos líderes eventuais avanços na constituição de uma “plataforma de convergência entre a esquerda”.
Soares comentou ainda as suas próprias afirmações, feitas em entrevista ao jornal i, sobre a alegada chantagem ao ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, por causa do negócio dos submarinos.
“Não disse que estava a ser [chantageado]. Disse que é uma hipótese, é uma coisa diferente. Não posso afirmar isso, mas posso dizer porque é que uma vez diz que sim, outra que não?”, relativizou.
Mas acrescentou que “não foi por acaso” que “no dia em que o Dr. Paulo Portas, que é uma pessoa muito inteligente, como toda a gente sabe, diz que vai sair do governo ou está a pensar em sair do governo saem grandes artigos nos jornais a falar dos submarinos”.
Insistindo, questionou: “Porque é que isso aconteceu? Não foi por acaso. Acho que foi uma tentativa… É um pensamento meu, não quer dizer que seja a verdade”.
A propósito de Paulo Portas e da sua reivindicação do ideário democrata-cristão, Soares invocou Sá Carneiro para o opor ao atual PSD.
“O que era Sá Carneiro? Não era por este governo. Não era anti-social-democrata. Era um homem de esquerda, que quis entrar na Internacional Socialista. O que é que isso significa? Significa que estão a trair o ideal de Sá Carneiro”, disse.
“É por isso que dois terços do PSD não estão com o governo. Como ninguém [está]! Quem é que está com o governo? Militares? Não estão. Padres e Igreja? Não estão. Cientistas e universidades? Não estão”, concluiu.
Fonte: NM