Total de visualizações de página

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

O uso e abuso do poder...a riqueza ilicita e a corrupção..em Democracia?

Avião para os Vinhos de Manuel Vicente

POR CARLOS DUARTE , AGOSTO 3, 2012 · 12 COMMENTS

O candidato a vice-presidente da República, Manuel Vicente, tem um gosto refinado por vinhos e conhaques caríssimos.

Periodicamente, Manuel Vicente envia, a França e Portugal, um avião executivo (o luxuoso Falcon-900 ou o sofisticado Falcon X-7), como cargueiro para o transporte exclusivo dos seus vinhos e conhaques. Os voos são operados pela VipAir, uma empresa comparticipada pela Sonangol, e passageiros não são permitidos durante as referidas viagens.

Alguns casos recentes demonstram como o actual ministro de Estado para a Coordenação Económica e putativo sucessor de José Eduardo dos Santos na presidência da República e do MPLA, vive indiferente à maioria da condição dos cidadãos angolanos que nem sequer têm acesso a água potável.

Em Paris, a tripulação do Falcon-900, em missão de transporte dos vinhos e conhaques de Manuel Vicente, não teve autorização para transportar outra tripulação da VipAir que se deslocou à capital francesa com o objectivo de entregar um outro Falcon à revisão. Como justificação, o encarregado do candidato do MPLA informou à tripulação sobre a escala à Lisboa, em busca de outros vinhos. Algumas das garrafas de vinho Petrus, adquiridas em Paris, são reservadas apenas a multimilionários. O Petrus 1989 Magnum custa cerca de 9,700 euros, enquanto o Petrus 1990 Magnum atinge os 11,000 euros por garrafa. Já o conhaque regular de Manuel Vicente, o Rémy Martin Louis XIII, custa em média 2,500 euros, enquanto as garrafas especiais, da mesma marca e também ao gosto do dirigente angolano, custam acima dos 8,000 euros.

Durante vários anos, até Janeiro passado, Manuel Vicente exerceu o cargo de todo-poderoso presidente do Conselho de Administração e director-geral da Sonangol, no qual constituiu uma fortuna pessoal incalculável e de forma ilícita, como o Maka Angola tem gradualmente revelado. Por isso, as muitas garrafas de vinho Petrus regularmente adquiridas pelo referido dirigente angolano são apenas uma ínfima amostra do seu estilo de vida opulento.

Outro acto semelhante aconteceu também em viagem recente. De regresso a Angola, o Falcon da AirVip escalou um país africano por contigências de serviço. Dado o calor tropical, Manuel Vicente pessoalmente instruiu a tripulação a alugar um quarto, em hotel de cinco estrelas, para o “repouso” exclusivo dos seus vinhos, provenientes de Paris, a uma temperatura de 18º C.

Há dias, Manuel Vicente deu indicações que, mesmo entre os seus mais relevantes colegas de governo, só alguns especiais podem usufruir das suas bebidas. Em viagem de serviço, através da VipAir, o ministro da Defesa, general Cândido Van-Dúnem, aproveitou a presença do ministro de Estado e chefe da Casa Militar do Presidente da República, general Manuel Hélder Vieira Dias “Kopelipa”, no Falcon, para provar o conhaque Luís XIII de Manuel Vicente. Na viagem seguinte, já sem a presença do general Kopelipa no avião, o ministro Van-Dúnem solicitou que lhe servissem o referido conhaque e o pedido lhe foi recusado por se tratar da garrafeira particular de Manuel Vicente. O general Kopelipa é o principal sócio de Manuel Vicente em negócios que envolvem biliões de dólares de investimentos, resultantes de actos de corrupção envolvendo a Sonangol e a presidência da República.

Mas, como a garrafeira de Manuel Vicente também cuida dos desfavorecidos, coube ao pessoal de bordo servir um conhaque Courvoisier ao ministro da Defesa.

Os actos de Manuel Vicente são ofensivos à moralidade e ao princípio da probidade que deve observar enquanto dirigente. O uso exclusivo de um avião de luxo adquirido com fundos da Sonangol, logo propriedade do Estado, para o transporte de vinhos e conhaque para satisfazer os seus caprichos etílicos é um acto inqualificável de corrupção e esbanjamento de fundos do Estado.

Milhares de crianças angolanas morrem à nascença nas mal apetrechadas maternidades do país ou no Hospital Pediátrico David Bernardino, de Luanda. Todas as manhãs, o Hospital de Pediatria de Luanda afixa uma lista com o nome das crianças que morrem sob os seus cuidados. É de cortar o coração. Mas, Manuel Vicente e seus colegas, que nasceram e cresceram pobres, julgam-se, quando muito, indiferentes ao sofrimento que causam ao povo angolano. Regra geral, escarnecem da miséria dos cidadãos, ao ponto do próprio Presidente José Eduardo ter publicamente afirmado que, quando nasceu filho de um pedreiro e de uma lavadeira, “já havia pobreza em Angola” e a culpa não era nem é sua. Seguramente, estes dirigentes devem achar indigno respirar o mesmo ar que o povo, do qual apenas precisam do voto.
Fonte: Internet


quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Enganar Mulher é fogo


Pato com molho branco !...
 
"Não pensem que é fácil enganar mulheres.."

O marido chega a casa às 18 horas e diz à mulher que tinha uma reunião às 22 horas, mas que não iria... pois considerava tal um absurdo.
Mas a mulher, preocupada com a carreira do marido, convence-o que o trabalho é importante.
O marido, esperto, vai então tomar um banho para se preparar e pensa:
"Foi mais fácil do que eu pensava!"
Como todas as mulheres, quando o homem vai para o banho, revista o bolso do casaco e encontra um bilhete onde estava escrito:
"Amor, estou à tua espera para comermos um pato com molho branco.
Beijão,
Sheila"

Quando o marido sai do banho encontra a mulher com uma camisa de dormir transparente, sem cuecas, toda fogosa e deitada de bruços.
O marido, ao ver aquele rabinho sob a transparência, não resiste e ... cá vai disto!
A mulher dá-lhe o tratamento completo, 2 vezes, e ele, exausto, vira-se para lado e adormece.
Quando se aproxima a hora, a mulher acorda o marido.
Este diz que não querer ir à reunião, mas ela convence-o novamente da importância do trabalho. O homem lá se levanta mas a mulher puxa-o para cima dela e diz-lhe:
-Ainda temos 10 minuinhos - e vai mais uma.
De seguida o homem lá se vai embora. Ao chegar a casa da amante, está arrasado.
Cansado, diz-lhe que hoje trabalhou muito e que só iria tomar um banho e descansar um bocado.
Como todas as mulheres, quando ele foi para o banho ela revistou o bolso do casaco, e encontra um bilhete onde estava escrito:
"Querida Sheila,
o pato foi, mas o molho branco ficou todo aqui.......
Beijão......,
A Esposa."
Fonte: Internet

Para quem não domina bem a expressão verbal dos Açoreanos


Para quem domina o Açoriano...
 

O pai diz ao filho:

 - Feilhe, vai dezer a tua mõe q'o pai quer a couna!

 O miúdo vai ter com a mãe e diz:

 - Mõe o pai mandou d'zer que quer a couna.

 - Ah feilhe, mas a mõe hoje na pode dar a couna, t'ou c'o priode....

 A criança volta para ao pé do pai:

 - Olhe pai a mõe na lhe pode dar a couna porque ta c'o priode hoje...

 - Na é essa couna, estúp'do, é a couna de pesca.
Fonte: Internet

 

A visão da alma


Dois homens, ambos gravemente doentes, estavam no mesmo quarto de hospital. Um deles podia sentar-se na sua cama durante uma hora, todas as  tardes, para que os fluidos circulassem nos seus pulmões.
A sua cama estava junto da única janela do quarto.
O outro homem tinha de ficar sempre deitado de costas.

Os homens conversavam horas a fio. Falavam das suas mulheres, famílias, das suas casas, dos seus empregos, dos seus aeromodelos, onde tinham passado as férias...

E todas as tardes, quando o homem da cama perto da janela se sentava,passava o tempo a descrever ao seu companheiro de quarto todas as coisas que conseguia ver do lado de fora da janela.

O homem da cama do lado começou a viver à espera desses períodos de uma hora, em que o seu mundo era alargado e animado por toda a actividade e cor do mundo do lado de fora da janela.

A janela dava para um parque com um lindo lago. Patos e cisnes, chapinhavam na água enquanto as crianças brincavam com os seus barquinhos. Jovens namorados caminhavam de braços dados por
entre as flores de todas as cores do arco-íris. Árvores velhas e enormes acariciavam a paisagem e uma tênue vista da silhueta da cidade podia ser vislumbrada no horizonte.

Enquanto o homem da cama perto da janela descrevia isto tudo com extraordinário pormenor, o homem no outro lado do quarto fechava os seus olhos e imaginava as pitorescas cenas.

Um dia, o homem perto da janela descreveu um desfile que ia apassar:
Embora o outro homem não conseguisse ouvir a banda, conseguia vê-la e ouvi-la na sua mente, enquanto o outro senhor a retratava através de palavras bastante descritivas.

Dias e semanas passaram. Uma manhã,a enfermeira chegou ao quarto trazendo água para os seus banhos, e encontrou o corpo sem vida, o homem perto da janela, que tinha falecido calmamente enquanto dormia.

Ela ficou muito triste e chamou os funcionários do hospital para que levassem o corpo.

Logo que lhe pareceu apropriado, o outro homem perguntou se podia ser colocado na cama perto da janela. A enfermeira disse logo que sim e fez a troca.

Depois de se certificar de que o homem estava bem instalado, a enfermeira  deixou o quarto.

Lentamente, e cheio de dores, o homem ergueu-se, apoiado no cotovelo, para contemplar o mundo lá fora. Fez um grande esforço e lentamente olhou para o lado de fora da janela que dava, afinal, para uma parede de tijolo!

O homem perguntou à enfermeira o que teria feito com que o seu falecido companheiro de quarto lhe tivesse descrito coisas tão maravilhosas do lado de fora da janela.

A enfermeira respondeu que o homem era cego e nem sequer conseguia ver a parede. Talvez quisesse apenas dar-lhe coragem...

Moral da História:

Há uma felicidade tremenda em fazer os outros felizes, apesar dos nossos próprios problemas.

A dor partilhada é metade da tristeza, mas a felicidade, quando partilhada, é dobrada.

Se te queres sentir rico, conta todas as coisas que tens que o dinheiro não pode comprar.

' O dia de hoje é uma dádiva, por isso é que o chamam de presente.'
Fonte: Internet

 

Papagaio com elevado sentido de humor


PAPAGAIO abusado

Tinha um papagaio muito abusado que ficava na porta da barbearia.

Sempre que a Selminha passava por lá, ele chamava:

"Oi, puta!"
Ela, já farta, um dia queixou-se ao dono da barbearia, que resolveu dar um castigo no papagaio. Pintou o sacana todo de preto.

Dois dias depois Selminha passou na porta e o papagaio, pintado de preto, não disse nada.
Dia seguinte, passou mais duas vezes, e o bicho quieto.

Ela começou a rir e perguntou:
E aí, mané... Não vai dizer nada hoje?

E o papagaio, tranquilamente, cheio de marra:
Quando estou de smoking não falo com putas !...
Fonte: Internet

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Para sorrir...ou para rir se perceber as piadas


O que é que um tubarão diz para o outro?
-Tubaralhas-me

O que é que uma impressora diz para a outra?
-Essa folha é tua ou é impressão minha?

Diz a massa para o queijo:
- Que maçada!
Responde o queijo:
- E eu ralado!


O que é que um tomate diz para o outro?
-Tomatas-me

Sabem quando é que os americanos comeram carne pela primeira vez?
- Foi quando lá chegou o cristovão co-lombo

No hospital, diz o médico:
- O senhor é o dador de sangue?
- Não, eu sou o da dor de cabeça!


Dois litros de leite atravessaram a rua e foram atropelados. Um morreu, o outro não, porquê?
- Por que um deles era Longa Vida.

Porque é que o elefante não pega fogo?
- Porque ele já é cinza.

O que é que a galinha foi fazer à igreja?
- Assistir à Missa do Galo.

Como é que as enzimas se reproduzem?
- Fica uma enzima da outra.

Por que canta o galo de olhos fechados?
- Porque ele já sabe a letra da música de cor.

O Batman pegou no seu bat-sapato social e no seu bat-blazer. Onde foi ele?
- A um Bat-zado.

Como é que o Batman faz para que abram a bat-caverna?
- Ele bat-palma.

Como se faz uma omeleta de chocolate ?
- Com ovos da Páscoa!

Por que é que na Argentina as Vacas vivem a olhar para o céu?
- Porque há 'Boi nos Ares'!

Para que servem óculos verdes?
- Para verde perto.

Para que servem óculos vermelhos ?
- Para vermelhor.

Já conheces a piada do fotógrafo?
- Ainda não foi revelada.

Como se diz top-less em chinês?
- Xem-chu-tian.

Sabes qual é a diferença entre uma lagoa e uma padaria ?
- Na lagoa há sapinho, e na padaria 'assa pão'

O que é que um cromossoma diz pró outro?
- Cromossomos bonitos!...
Fonte: Internet


O resultado dos sapatos rotos


O Presidente Putin foi a Cuba e ficou impressionado com o número de
pessoas que usavam sapatos furados, rotos por cima, etc.
Perguntou então, a Fidel, a razão disso. Afinal, já tinham passado 40 anos de 'melhorias' e as pessoas ainda estavam com sapatos rasgados e 
maltratados nos pés.
Fidel, indignado, respondeu com uma pergunta:
- E na Rússia, não é a mesma coisa? Vai-me dizer que lá toda a gente tem sapatos novos?
Putin disse a Fidel que fosse à Rússia para conferir e que se ele encontrasse um cidadão qualquer com sapatos furados, tinha a permissão
para matar o cara.
Fidel mesmo bastante doente, apanhou um avião e foi para Moscou.
Quando desembarcou, a primeira pessoa que veio falar com ele, estava com sapatos rasgados e tão furados que pareciam ter pertencido ao seu
avô.
Não vacilou. Tirou a pistola e matou o sujeito. Afinal tinha permissão do seu colega Putin para fazer aquilo...
No dia seguinte os jornais de Moscou anunciaram:

BARBUDO MALUCO MATA O EMBAIXADOR DE CUBA NO AEROPORTO!...
Fonte: Internet

A importância da letra "F"


O português e a letra "F"

Um homem chega a um restaurante, senta-se e, acenando com o braço, diz:
- Faz favor:- frango frito, favas, farinheira.. .
- Acompanhado com quê?
- Feijão.
- Deseja beber alguma coisa?
- Fanta fresca.
- Um pãozinho antes da refeição?
- Fatias fininhas.
O empregado anota o pedido, já meio intrigado: "o tipo fala tudo com F's!"
Depois do homem terminar a refeição, o empregado pergunta-lhe:
- Vai querer sobremesa?
- Fruta.
- Tem alguma preferência?
- Figos.
Depois da sobremesa, o empregado:
- Deseja um café?
- Forte. Fervendo.
Quando o cliente termina o café:
- Então, como estava o cafézinho?
- Frio, fraco. Faltou filtrar formiguinha flutuando.
Aí o empregado pensa: "Vamos ver até aonde é que ele vai".
- Como é que o senhor se chama?
- Fernando Fagundes Faria Filho.
- De onde vem?
- Faro.
- Trabalha?
- Fui ferreiro.
- Deixou o emprego?
- Fui forçado.
- Por quê?
- Faltou ferro.
- E o que é que fazia?
- Ferrolhos, ferraduras, facas... ferragens.
- Tem um clube favorito?
- Fui Famalicense.
- E deixou de ser porquê?
- Futebol feio , farta.
- Qual é o seu clube, agora?
- Farense.
- O senhor é casado?
- Fui.
- E sua esposa?
- Faleceu.
- De quê?
- Foram furúnculos, frieiras... ficou fraquinha... finou-se.
O empregado de mesa perde a calma:
- Olhe! Se você disser mais 10 palavras começadas com a letra F... não
paga a conta. Pronto!
- Formidável... Foi fácil ficar freguês falando frases fixes.
O homem levanta-se e dirige-se para a saída, enquanto o empregado diz:
- Espere aí! Ainda faltam duas!
O homem responde, sem se virar:
- Foste fodido.

 




segunda-feira, 20 de agosto de 2012

O Pereira e as suas manias


O Pereira era um alto funcionário da corte
do Rei

Há muito tempo, nutria um desejo incontrolável de beijar os voluptuosos seios da Rainha até se fartar.

Todas as vezes que tentou, deu-se mal.

Um dia revelou o seu desejo a Gaio, principal responsável pelas vestes da Corte e
pediu que ele fizesse algo para ajudá-lo.

Gaio, depois de muito pensar e estudar o assunto -concordou, sob a condição de PEREIRA lhe pagar mil moedas de ouro.

Pereira aceitou o acordo, todavia, não formalizado por escrito.

No dia seguinte, Gaio preparou um líquido que causava comichões e
derramou-o no soutien da Rainha, enquanto esta tomava banho.

Logo a comichão começou e aumentou de intensidade, deixando o Rei
preocupado e a Rainha desesperada.

A Corte fazia consultas a médicos, quando Gaio disse que apenas uma
saliva especial, se aplicada por quatro horas, curaria o mal.

Gaio também disse que essa saliva só poderia ser encontrada na boca do
Pereira.

O Rei ficou muito feliz e então chamou Pereira que, pelas quatro horas
seguintes, se fartou de gozar, beijando à vontade as
suculentas e deliciosas mamas da Rainha.

Lambendo, mordendo, apertando e passando a mão, ele fez finalmente o
que sempre desejou.

Satisfeito, encontrou-se no dia seguinte com o  Gaio.

Com o seu desejo plenamente realizado e a sua libido satisfeita,
Pereira recusou-se a pagar ao Gaio.

Pereira sabia que, naturalmente, Gaio nunca poderia contar o facto ao Rei.

Mas Pereira subestimou Gaio !.

No dia seguinte, Gaio colocou o mesmo líquido nas cuecas do Rei e

...O Rei mandou chamar o Pereira...
Fonte: Internet




O Papagaio deficiente...mas inteligente


O Papagaio deficiente

 Um sujeito está a visitar uma loja de animais de estimação quando vê um papagaio sentado num pequeno poleiro. O papagaio não tem pés nem pernas.
O fulano diz, em voz alta:
"O que terá acontecido a este papagaio?"
O papagaio responde:
"Nasci assim. Sou um papagaio deficiente."

"C'um caraças!", diz o homem. "Pareces ter percebido o que eu disse!"

 
"Percebi tudinho", diz o papagaio. "Acontece que eu sou um Papagaio muito inteligente e instruído. "

"Ah, é?!", pergunta o homem, "Então explica-me como é que te consegues segurar no poleiro se não tens pés. "

"Bom," diz o papagaio, "isso é um bocado embaraçoso, mas, já que perguntas, eu enrolo a minha pilinha no poleiro como se fosse um pequeno gancho. Não a vês porque as penas a tapam. "

"Puxa!", diz o homem, "realmente percebes e falas português!..."

"Na verdade eu falo também espanhol e inglês e posso conversar com competência acerca de quase qualquer assunto; política, religião,desporto, física, filosofia. Sou especialmente bom em ornitologia. Devias mesmo comprar-me. Eu seria uma companhia bestial. "

O sujeito olha para a etiqueta do preço e vê 300 euros. "Desculpa, mas és simplesmente demasiado caro para mim."

"Psssst!", diz o papagaio, "Eu sou defeituoso, portanto a verdade é que ninguém me quer; provavelmente podes comprar-me por 30 euros,experimenta fazer uma oferta ao dono DA loja".

O homem oferece 30 euros e sai da loja com o papagaio.

Passam-se semanas. O papagaio é sensacional. Tem um Grande sentido de humor, é interessante, é um Grande compincha, percebe tudo, é simpático, sensível. O homem está extasiado.

Um dia ele chega a casa vindo do trabalho e o papagaio diz-lhe "Psssst!" e com uma ASA faz-lhe sinal para ele se chegar. "Não sei ! Se devia contar-te isto ou não, mas é acerca da tua mulher... E do carteiro".

"De que estás a falar?", pergunta o homem.
"Quando o carteiro veio hoje, a tua mulher cumprimentou-o à porta vestida com uma camisa de noite preta e beijou-o apaixonadamente" .
"O QUÊ???", o homem exclama, incrédulo.

"E DEPOIS, o que aconteceu?"

"Bom, o carteiro entrou em casa, levantou-lhe a camisa e começou a beliscá-la", disse o papagaio.
"Meu Deus!", o homem exclama. "E depois o que se seguiu?"
"Bom, ele tirou-lhe a camisa de noite, pôs-se de joelhos e começou a apalpá-la toda, começando nos seios e lentamente começando a descer..."
"BOM???" pergunta o homem desvairado, "E DEPOIS O QUE ACONTECEU??"

Isso queria eu saber. Fiquei com "tusa" e caí do poleiro!...
Fonte: Internet


domingo, 19 de agosto de 2012

O destino une e separa


O destino une e separa as pessoas
mas nenhuma força é tão grande
para fazer esquecer pessoas
que por algum motivo
um dia nos fizeram felizes.


 

Chega um momento na vida em que tu sabes
quem é importante para ti,

quem nunca foi,
quem não é mais
quem o será sempre.


Fonte: Internet   

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

O carácter internacionalista do povo Português!


O carácter internacionalista do povo Português!...


Se tem um problema intrincado

Vê-se grego

Se não compreende alguma coisa

"Aquilo" é chinês

Se trabalha de manhã à noite

Trabalha que nem um mouro

Se vê uma invenção moderna

É uma americanice

Se alguém fala muito depressa

Fala que nem espanhol

Se alguém vive com luxo

Vive à grande e à francesa

Se alguém quer causar boa impressão

É só para inglês ver

Se alguém tenta regatear um preço

É pior que cigano!

Se alguém é agarrado ao dinheiro

É pior que judeu

Se vê alguém a divertir-se

Está a gozar que nem um preto

Se vê alguém com um fato claro vestido

Parece um brasileiro

Se vê uma loura alta e boa

Parece uma autêntica sueca

Se quer um café curtinho

Pede uma italiana

Se vê horários serem cumpridos

É pontualidade britânica

Se vê um militar bem fardado

Parece um soldado alemão

Se uma máquina funciona bem

É como um relógio suíço

Mas quando alguma coisa corre mal

É "à PORTUGUESA"





O Bêbado e a dama de preto

Começou a música e um bêbado levantou-se cambaleando e dirigiu-se a uma senhora de preto e pediu:
- Hic... Madame, dá-me o prazer desta dança?

E ouviu a seguinte resposta:
- Não, por quatro motivos:

Primeiro, o senhor está bêbado!

Segundo, isto é um velório!

Terceiro, não se dança o Pai-nosso!

E quarto porque "Madame", o raio que o parta! Eu sou o padre!...

O banho do Padre João


O BANHO DO PADRE...

Era sábado, dia do banho do padre João.

A jovem irmã Madalena já havia preparado a água e as toalhas, exactamente como o velho padre gostava. Irmã Madalena foi também instruída para não olhar para o corpo nu do padre, e fazer apenas o que ele lhe pedisse. E rezasse...

Na manhã seguinte, a madre superiora perguntou à irmã Madalena se o banho havia decorrido bem.

- Ah! Madre - disse irmã Madalena - eu fui salva!

- Salva? Como assim? - Perguntou a madre superiora.

- Bom, quando o padre João estava todo ensaboado, ele pediu-me para enxaguá-lo. Enquanto eu estava tirando o sabão, ele guiou a minha mão para o meio das suas pernas, onde ele disse que Deus guarda a chave do paraíso.

Então, ele disse que se aquela chave coubesse na minha fechadura, os portões do paraíso se abririam para mim e eu teria a salvação e a paz eterna. Nisso, o padre João colocou a chave do paraíso na minha fechadura.

Primeiro foi uma dor horrível, mas o padre disse que o caminho da salvação é mesmo doloroso, e que a glória do senhor iria encher o meu coração de êxtase. Assim foi, eu fui salva!

- Aldrabão!!! - Berrou, furiosa, a madre superiora - Há mais de trinta anos que ele me diz que aquilo é um apito para chamar os anjos...



O atraso


O ATRASO

A mãe está trabalhando na cozinha e escutando o filhinho de 8 anos, brincar com o seu novo trem elétrico na sala. Ela escuta o trem parar, e seu filho dizer aos bonequinhos:

- Todos os filhos da puta que querem desembarcar, saiam desta porra de trem agora, porque essa merda é a última parada! E todos os filhos da puta que estavam voltando e desejam entrar na porra deste trem, coloquem suas bundas no trem agora, porque nós vamos sair com essa merda daqui a pouco!...

A mãe foi imediatamente à sala e falou ao filho:

- Nós não usamos esse tipo de linguagem aqui em casa! Vá já para seu quarto e fique lá por 3 horas. Quando você voltar, poderá brincar novamente com o seu trenzinho, mas, só se usar uma linguagem adequada!

Três horas depois, o garoto sai do quarto e volta à sala de estar, para brincar com seu trem. Logo o trem pára e a mãe ouve o garoto dizer aos bonecos:

- Todos os passageiros que estão desembarcando do trem, por favor, lembrem-se de levar seus pertences. Nós agradecemos a todos por viajarem connosco hoje, e esperamos que tenham tido uma ótima viagem!

Ela escutou o pequenino continuar a falar:

- Para aqueles que já estão embarcando, pedimos que acomodem suas bagagens de mão debaixo dos assentos. Por gentileza, lembrem-se que não há área para fumantes neste trem. Esperamos que todos tenham hoje, uma viagem prazerosa e relaxante.

A mãe estava contentíssima. Seu castigo parecia haver funcionado. Aí, o garoto adicionou:

- E para aqueles que estão putos da vida com o atraso de 3 horas, reclamem com aquela vaca que tá lá na cozinha!...

O Alentejano sempre com 2º intenção


O Alentejano sempre com 2º intenção


Um lisboeta e um alentejano foram parar à mesma barbearia, no tempo em que lá se fazia a barba

Lá sentados, com um barbeiro atendendo cada um deles, não se falou uma palavra.

Os barbeiros temiam iniciar qualquer conversa, pois poderia descambar em discussão.

Terminaram a barba de seus clientes mais ou menos ao mesmo tempo.

O barbeiro que tinha olisboeta na sua cadeira estendeu o braço para pegar o after-shave, no que foi interrompido rapidamente pelo seu cliente:
- Não obrigado, a minha esposa vai sentir esse cheiro e pensar que eu estive numa casa de putas - disse o lisboeta.

O segundo barbeiro virou-se para o alentejano: 
- E o senhor? - indagou.
E o alentejano  respondeu:
- Ponha bastante! A minha esposa não sabe como é o cheiro de uma casa de putas.